Olá,

Visitante

Participação Comunitária na Estratégia Saúde da Família do Abapã no Município de Castro – Paraná

Finalidade da experiência

O município de Castro possui uma população estimada em 2014, de 76084 habitantes (zona urbana – 49.266 habitantes e zona rural – 17.818 habitantes (IBGE, 2010). Aderiu a ESF (Estratégia Saúde da Família) em 1998, inicialmente com cinco equipes na área rural, desde então vem ampliando gradativamente a metodologia de trabalho preconizada pelo Ministério da Saúde. Em 2015, conta com dezessete equipes, com 85% da população castrense atendida pela ESF. O Ministério da Saúde (Brasil, 1996) propõe como estratégia a participação comunitária para que as pessoas adquiram consciência de que podem tomar a iniciativa no processo de melhoria das condições de saúde. Assim, os indivíduos são sujeitos do processo, capazes de elaborar planos de ação, individuais e/ou coletivos, visando melhor qualidade de vida. Com foco na participação comunitária e no controle social, este projeto visou intervir na realidade existente nas áreas rurais do município de Castro através do estimulo para implantação dos Conselhos Locais e Distritais de Saúde. Após a implantação dos Conselhos foi utilizada a Estimativa Rápida Participativa para (re) conhecer os territórios. Com diagnóstico situacional em mãos, foi utilizado o MAPP (Método Altadir de Planificação Popular) para o planejamento de ações em nível local (Mattus, 1996). Essa experiência leva a algumas reflexões como: no decorrer do processo houve uma maior participação dos moradores do território indicando que, quando são implementadas ações que estimulam a participação popular e o empoderamento, existe uma resposta positiva da comunidade, modificando a realidade local.

Como resultado desse trabalho na Vila do Abapã e áreas de abrangência da ESF, foram implantadas dezesseis Conselhos Locais de Saúde, e por comum acordo, um Conselho Distrital de Saúde para agregar as microáreas e fortalecer as reivindicações das comunidades. O diagnóstico situacional e o planejamento das ações que foram desenvolvidas demonstraram a necessidade de programar ações ampliadas, para além do setor saúde. Nesse sentido, a intersetorialidade foi necessária na busca da solução dos problemas locais.

Principal

Carla Denise Scheremeta

carlasche@gmail.com

A prática foi aplicada em

Castro

Paraná

Sul

Instituição

Rua Francisco de Assis, 47

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Carla Denise Scheremeta

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Análise Institucional dos Conselhos de Saúde de Joinville
Santa Catarina
Práticas
Condições do financiamento em saúde nos municípios de Pernambuco
Pernambuco
Práticas
Conhecendo a Realidade de Saúde de Trabalhadores na Agricultura por Meio de Escutas Itinerantes
Distrito Federal
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Relato de Experiência da Implantação dos Conselhos Distritais e Locais de Saúde em João Pessoa ? Pb.
Paraíba
Práticas
Organização do Sistema Loco-Regional das Pacientes com SUSpeita de Câncer de Mama no Hospital Regional de Cotia
São Paulo
Práticas
A Arte da Escuta
São Paulo
Práticas
A Pesquisa de Satisfação dos Usuários SUS em Hortolândia: o Fortalecimento da Participação Popular
São Paulo
Práticas
Ouvidoria Ghc – Espaço de Escuta e de Participação Popular
Rio Grande do Sul
Práticas
Educação Popular, Saúde e Participação Popular: Relato de Experiência de Projeto de Intervenção de Estudantes de Medicina em uma Comunidade
Paraíba
Práticas
Conversando Sobre Saúde com a População
Piauí