Olá,

Visitante

Participação Comunitária na Estratégia Saúde da Família do Abapã no Município de Castro – Paraná

Finalidade da experiência

O município de Castro possui uma população estimada em 2014, de 76084 habitantes (zona urbana – 49.266 habitantes e zona rural – 17.818 habitantes (IBGE, 2010). Aderiu a ESF (Estratégia Saúde da Família) em 1998, inicialmente com cinco equipes na área rural, desde então vem ampliando gradativamente a metodologia de trabalho preconizada pelo Ministério da Saúde. Em 2015, conta com dezessete equipes, com 85% da população castrense atendida pela ESF. O Ministério da Saúde (Brasil, 1996) propõe como estratégia a participação comunitária para que as pessoas adquiram consciência de que podem tomar a iniciativa no processo de melhoria das condições de saúde. Assim, os indivíduos são sujeitos do processo, capazes de elaborar planos de ação, individuais e/ou coletivos, visando melhor qualidade de vida. Com foco na participação comunitária e no controle social, este projeto visou intervir na realidade existente nas áreas rurais do município de Castro através do estimulo para implantação dos Conselhos Locais e Distritais de Saúde. Após a implantação dos Conselhos foi utilizada a Estimativa Rápida Participativa para (re) conhecer os territórios. Com diagnóstico situacional em mãos, foi utilizado o MAPP (Método Altadir de Planificação Popular) para o planejamento de ações em nível local (Mattus, 1996). Essa experiência leva a algumas reflexões como: no decorrer do processo houve uma maior participação dos moradores do território indicando que, quando são implementadas ações que estimulam a participação popular e o empoderamento, existe uma resposta positiva da comunidade, modificando a realidade local.

Como resultado desse trabalho na Vila do Abapã e áreas de abrangência da ESF, foram implantadas dezesseis Conselhos Locais de Saúde, e por comum acordo, um Conselho Distrital de Saúde para agregar as microáreas e fortalecer as reivindicações das comunidades. O diagnóstico situacional e o planejamento das ações que foram desenvolvidas demonstraram a necessidade de programar ações ampliadas, para além do setor saúde. Nesse sentido, a intersetorialidade foi necessária na busca da solução dos problemas locais.

Principal

Carla Denise Scheremeta

carlasche@gmail.com

A prática foi aplicada em

Castro

Paraná

Sul

Instituição

Rua Francisco de Assis, 47

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Carla Denise Scheremeta

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Sistema de Apoio As Conferências
Distrito Federal
Práticas
Implantação de Instrumento de Acompanhamento dos Indicadores do Pmaq-Ab no Distrito Sanitário Ii do Município do Recife-Pe
Pernambuco
Práticas
A Força Tarefa nos Laboratórios de Citopatologia do SUS no Estado do Rio de Janeiro: Articulação com a Gestão Estadual e Impacto na Reestruturação e Qualificação da oferta dos Exames Citopatológicos N
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação das ouvidorias Municipais do SUS 2013 – Relato de Experiência da 7ª Região de Saúde
Ceará
Práticas
Uso da Cif no SUS: a Experiência de Barueri/Sp
São Paulo
Práticas
Escuta e Parcitipação Social: a ouvidoria Como Instrumento de Gestão
Ceará
Práticas
Estratégia de Enfrentamento da Epidemia de Aids na População Feminina Itapajé-Ce
Ceará
Práticas
Sensibilização de Gestores e Controle Social para Implementação da Pnpst-SUS na Região de Saúde do Cerest Registro/Sp
São Paulo
Práticas
A Universalidade do Acesso ao Serviço de ouvidoria do Hemocentro do Pará: Relatos de Experiências Exitosas
Pará
Práticas
Projeto Conselho de Saúde Itinerante: Um Desafio para o Conselho de Saúde de Aracati – Ce
Ceará