Olá,

Visitante

Participação Comunitária na Estratégia Saúde da Família do Abapã no Município de Castro – Paraná

Finalidade da experiência

O município de Castro possui uma população estimada em 2014, de 76084 habitantes (zona urbana – 49.266 habitantes e zona rural – 17.818 habitantes (IBGE, 2010). Aderiu a ESF (Estratégia Saúde da Família) em 1998, inicialmente com cinco equipes na área rural, desde então vem ampliando gradativamente a metodologia de trabalho preconizada pelo Ministério da Saúde. Em 2015, conta com dezessete equipes, com 85% da população castrense atendida pela ESF. O Ministério da Saúde (Brasil, 1996) propõe como estratégia a participação comunitária para que as pessoas adquiram consciência de que podem tomar a iniciativa no processo de melhoria das condições de saúde. Assim, os indivíduos são sujeitos do processo, capazes de elaborar planos de ação, individuais e/ou coletivos, visando melhor qualidade de vida. Com foco na participação comunitária e no controle social, este projeto visou intervir na realidade existente nas áreas rurais do município de Castro através do estimulo para implantação dos Conselhos Locais e Distritais de Saúde. Após a implantação dos Conselhos foi utilizada a Estimativa Rápida Participativa para (re) conhecer os territórios. Com diagnóstico situacional em mãos, foi utilizado o MAPP (Método Altadir de Planificação Popular) para o planejamento de ações em nível local (Mattus, 1996). Essa experiência leva a algumas reflexões como: no decorrer do processo houve uma maior participação dos moradores do território indicando que, quando são implementadas ações que estimulam a participação popular e o empoderamento, existe uma resposta positiva da comunidade, modificando a realidade local.

Como resultado desse trabalho na Vila do Abapã e áreas de abrangência da ESF, foram implantadas dezesseis Conselhos Locais de Saúde, e por comum acordo, um Conselho Distrital de Saúde para agregar as microáreas e fortalecer as reivindicações das comunidades. O diagnóstico situacional e o planejamento das ações que foram desenvolvidas demonstraram a necessidade de programar ações ampliadas, para além do setor saúde. Nesse sentido, a intersetorialidade foi necessária na busca da solução dos problemas locais.

Principal

Carla Denise Scheremeta

carlasche@gmail.com

A prática foi aplicada em

Castro

Paraná

Sul

Instituição

Rua Francisco de Assis, 47

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Carla Denise Scheremeta

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Conselho itinerante:fortalecendo o controle social em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
Oficina de Culinária Afeto e Sabor
Paraíba
Práticas
Aproximando a Comunidade com a Gestão da Atenção Primária em Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Implantando Novas Instâncias Deliberativas no Município Paulo Jacinto – Al
Alagoas
Práticas
Importância da Conferência Municipal de Saúde para o Fortalecimento da Participação da Comunidade na Defesa do SUS.
Paraíba
Práticas
Participação Popular na Estratégia Saúde da Família em Petrópolis-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Roda de Conversa com As Famílias: Cuidando de Quem Cuida
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação de Colegiado Gestor nas Unidades de Saude da Família de Japeri-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Controle Social e Saúde do Trabalhador: a Experiência Regional do Conselho Gestor do Cerest- Pólo Duque de Caxias – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
A Experiência do 1º Curso de Capacitação para Conselheiros de Saúde e Membros das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador (Cists) Sobre a Temática da Saúde do Trabalhador do Cerest- Pólo Duqu
Rio de Janeiro