Olá,

Visitante

Ouvidoria do SUS na secretaria municipal de saúde de Fortaleza: uma experiência pioneira e apaixonante

O cidadão anseia espaços de desabafo do sofrimento por atendimentos que o deixa insatisfeito por determinados tratamentos recebidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). É, neste contexto, que a partir do ano 2000, iniciam-se os processos de implantação das Ouvidorias da Saúde nos hospitais e em 2005, foi despertado o olhar da humanização pelos Ouvidores já atuantes. Neste momento, a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (SMSF), com o apoio do Ministério da Saúde, através do Sistema Nacional de Ouvidoria e de Humanização no SUS, vem mobilizando diferentes atores que compõe a SMSF, na qualificação e democratização da gestão das políticas públicas de saúde. Estabeleceu-se ainda, em 2005, uma parceria com o Departamento de Ouvidoria Geral do SUS-DOGES, para o desenvolvimento de iniciativas de sensibilização e capacitação de usuários, trabalhadores e gestores no processo de implementação e fortalecimento de ouvidorias em saúde. E, no ano de 2006, o Curso de Extensão Universitária HumanizaSUS, teve como tema de encerramento: ?A Saúde Ouve Você?. Esse curso envolveu 5000 conselheiros, trabalhadores e gestores de Saúde, que juntos reafirmaram o compromisso compartilhado de saúde, ressaltando a importância do acolhimento das demandas e manifestações da população, apresentando dessa forma, o serviço de Ouvidoria como um canal primordial de comunicação da saúde com o cidadão (CANUTO et al, 2008). HISTÓRICO DAS OUVIDORIAS DO SUS DE FORTALEZANum contexto histórico, seguem as implantações de ouvidorias em saúde no município de Fortaleza, tendo como objetivos: avaliar a percepção do atendimento pelos usuários, estabelecer canal de comunicação entre cidadãos e gestores e proporcionar retorno às demandas dos usuários. Em meados de 1986, com a implantação no Hospital Instituto José da Frota (IJF). Em 1997, foi instituído na Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF), o cargo de Ouvidor Geral do Município, a nível central, bem como nas seis Secretarias Executivas Regionais da cidade.No ano de 1997, registramos a criação da Ouvidoria do Hospital Distrital Maria J. Barros de Oliveira (Frotinha de Parangaba)

Seguindo as capacitações, em 2008, o Secretário de Saúde Dr.Luiz Odorico, culminou com a implantação da Ouvidoria na SMSF, oportunizando acesso de voz ao cidadão fortalezense em registrar suas manifestações relativas ao atendimento de toda rede de saúde, tendo como missão: Disponibilizar no nível central da SMSF, um canal de comunicação para usuários internos e externos, constituindo um instrumento de gestão participativa e democrática.

Com a evolução deste valioso serviço, apresentamos dados crescentes de manifestações a seguir: Em 2008(737), 2009(1584), 2010(1653). A partir de 2011(2588) e 2012(2921), tivemos um número ascendente de demandas, associando como resultante da implantação do Sistema Informatizado OuvidorSUS, composto por dois níveis de acesso, já com acesso ao nível II, e em 2010 foi implantado o nível I, onde as demandas passaram a ser inseridas pela própria ouvidoria. Repassados em forma de relatórios gerenciais à gestão, dos quais, já visualizamos resultados, no momento em que, os dados apresentados nos relatórios, serviram de subsídio à gestão hospitalar na tomada de decisões, bem como, registram-se ações baseadas em demandas desta Ouvidoria, como por exemplo, reavaliação de contratos com instituições credenciadas, culminando até em fechamento, advertências gerais, indicação da qualificação dos profissionais na forma de uma educação continuada e mudanças de fluxos em benefícios aos cidadãos.

Principal

Liduina Maria Benevides de Castro

A prática foi aplicada em

Fortaleza

Ceará

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Liduina Maria Benevides de Castro

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

07 maio 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Conselho itinerante:fortalecendo o controle social em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
Oficina de Culinária Afeto e Sabor
Paraíba
Práticas
Aproximando a Comunidade com a Gestão da Atenção Primária em Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Implantando Novas Instâncias Deliberativas no Município Paulo Jacinto – Al
Alagoas
Práticas
Importância da Conferência Municipal de Saúde para o Fortalecimento da Participação da Comunidade na Defesa do SUS.
Paraíba
Práticas
Participação Popular na Estratégia Saúde da Família em Petrópolis-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Roda de Conversa com As Famílias: Cuidando de Quem Cuida
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação de Colegiado Gestor nas Unidades de Saude da Família de Japeri-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Controle Social e Saúde do Trabalhador: a Experiência Regional do Conselho Gestor do Cerest- Pólo Duque de Caxias – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
A Experiência do 1º Curso de Capacitação para Conselheiros de Saúde e Membros das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador (Cists) Sobre a Temática da Saúde do Trabalhador do Cerest- Pólo Duqu
Rio de Janeiro