Olá,

Visitante

Organograma Como Dispositivo de Gestão: a Experiência de Mauá

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA: Este grupo condutor começa a construir, então, um projeto de gestão que visa aumentar os graus de transversalidade, bem como colocar a educação permanente e a gestão do cuidado como diretrizes fundamentais na gestão dos processos de trabalho em todos os pontos da Secretaria.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS: Para a concretização deste projeto, são operadas diversas mudanças objetivas no organograma da Secretaria – mudanças estas que se expressaram, parcialmente, em uma reforma administrativa aprovada em meados de 2013. Os diversos departamentos e áreas existentes foram sintetizados em seis Núcleos de Gestão, sendo eles: Núcleo de Gestão Administrativa, Núcleo de Gestão da Atenção Especializada, Núcleo de Gestão da Atenção Básica, Núcleo de Apoio à Gestão, Núcleo de Gestão da Atenção à Urgência, Emergência e Hospitalar e Núcleo de Gestão da Proteção à Saúde e Vigilâncias, além da Gerência de Educação Permanente (EP). Esta gerência foi vinculada, estrategicamente, diretamente ao Gabinete, permitindo a maior transversalidade possível desta diretriz com todos os Núcleos. Sendo, ainda, desta forma, afirmada inteiramente como a principal ferramenta de gestão desta Secretaria.Para operar a gestão global do Núcleo criou-se o cargo de gestor de Núcleo, além de outras duas funções estruturantes: o gerente de Gestão do Cuidado (GC) e o gerente de Educação Permanente (EP). Estes dois gerentes devem trabalhar de forma articulada dentro do Núcleo, promovendo a capilarização (para gerentes de serviços e em todas as ações do Núcleo) das lógicas da EP e da GC. Com os outros Núcleos devem se articular com os gerentes similares para construção de ações de EP e/ou produção das linhas de cuidado.Assim, Gabinete e Núcleos têm espaço colegiado semanal para tomada de decisões e reflexão sobre a condução dos processos. Gerentes de GC de diferentes Núcleos têm espaço colegiado semanal para pensar e dar vida às diferentes políticas, linhas de cuidado e Redes Temáticas no município

No início de 2013 um novo grupo condutor assume a Secretaria de Saúde de Mauá. Como em muitos outros municípios brasileiros, encontra um contexto de fragmentação dos processos de gestão e de cuidado, pouca interação entre os diversos níveis do sistema de saúde e entre os chamados “programas” ou coordenadorias da Secretaria Municipal.

Vimos como a mudança no organograma, visando alterações significativas na gestão, requer, para ‘sair do papel’, um trabalho e investimentos constantes nas pessoas. Não basta alterar cargos, nomes e desenhos organizacionais, é necessário constituir cada um na sua nova função e no novo lugar que ocupa em uma estrutura remodelada. Este processo, de constituição de cada um no seu novo papel, demanda, acima de tudo, a produção de novos modos de estar no coletivo e de novas compreensões das finalidades do fazer na saúde.Pudemos perceber, ademais, que este processo só é passível de ser posto em andamento a partir do momento que é sustentado como política estruturante da Secretaria e não como um acessório que complementa outros modos de se fazer gestão.Tomamos como nosso desafio mais fundamental que aquilo que se passa no território passe a ter centralidade na pauta da gestão e seja a partir de onde se constroem as redes, tanto no nível local quanto na gestão central.A partir desta vivência, fica cada vez mais explícita a necessidade de articularmos concepções e os modos de organizar o fazer da saúde com as concepções e os modos de organizar a gestão de sistemas. É uma mudança fundamental dos nossos problemas sobre como produzimos a saúde em um município que nos coloca a necessidade de pensar mudanças nos modos de fazer a gestão nas Secretarias. Em Mauá, movidos pelo desejo de produzir um outro modo de fazer saúde, os envolvidos na gestão foram impelidos a mudar os desenhos mesmos da organização, seus modos de tomar decisões e de fazer encontrar os diversos pontos que fazem a gestão do SUS. Tal mudança é absolutamente necessária – ainda que não a garanta – à produção de outros modos de fazer saúde.

Principal

Juliana Aline Pacheco

saude@maua.sp.gov.br

A prática foi aplicada em

Mauá

São Paulo

Sudeste

Instituição

Av. Dr. Getúlio Vargas, 330 - Vila Guarani

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Juliana Aline Pacheco

Conta vinculada

03 jul 2016

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Estratificação de Pacientes Ambulatoriais Através de Rotas Permite Que Pacientes em Situação de Risco Não Fiquem Esquecidos na Linha de Cuidados Ambulatoriais.
Paraná
Práticas
Cuidar e Acolher Um Sonho Possível
Sergipe
Práticas
Digite Saúdeeste Portal de Saúde Alinha de Forma Interativa, Gestores, Provedores, Médicos e Usuários Permitindo Alto Impacto e Grande Alcance, Melhorando a Coleta de Dados e os Resultados obtidos.
São Paulo
Práticas
Comunicare – Redes Temáticas
Minas Gerais