Olá,

Visitante

O Registro Eletrônico em Saúde em Minas Gerais: Relato de Caso

Os dados e informações dos atendimentos ficam registrados em papel ou distribuídos em diferentes sistemas de informação. Este cenário impossibilita acessar e integrar todos os dados de um paciente e resulta em uma visão fragmentada da evolução dos problemas de saúde que pode ser superada com o desenvolvimento do Registro Eletrônico em Saúde (RES). 3. OBJETIVO Este trabalho tem por objetivo relatar as ações e expectativas do Projeto Tecnologia da Informação para Atenção Primária à Saúde (TI-APS) da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES). 4. RELATO DO PROJETO A SES propôs a organização do SUS em seu território nas redes de atenção à saúde e criou o Projeto TI-APS, que visa melhorar a atenção à saúde e possui cinco principais frentes: a Base de Registro Eletrônico em Saúde (B-RES), a Rede de Governo, o Sistema de RES (SRES), o Tablet e a Integração com Sistemas de Saúde. Para a consecução deste projeto foi escolhido o Padrão ISO 13606, baseado na modelagem em dois níveis (Modelo de Referência e Modelo de Arquétipo), para desenvolver e disponibilizar a B-RES e o SRES, que garante maior perenidade e flexibilidade ao projeto. O modelo de referência é utilizado para representar as propriedades genéricas que especificam todos os tipos de entradas de dados clínicos e documentos enquanto o modelo de arquétipos são meta-dados utilizados para definir padrões para as características dos dados clínicos a fim de garantir a interoperabilidade semântica, a consistência e qualidade dos dados. A B-RES viabiliza a interoperabilidade entre sistemas de saúde para acesso a informações sócio-demográficas e clínicas do cidadão. A Rede de Governo disponibiliza conectividade via satélite para acesso a sites e sistemas governamentais. O SRES, que considerou o processo de trabalho, critérios de eficiência, de usabilidade e de interoperabilidade, está em fase de homologação. O Tablet permite o acompanhamento das famílias e possui vídeos educativos. A Integração com Sistemas de Saúde está em desenvolvimento e começou com o Sistema de Informação da Atenção Básica

As mudanças demográficas na sociedade modificaram o acesso à informação e o fluxo de procura dos serviços de saúde, o que exigiu a organização dos serviços de saúde em redes para viabilizar a integração e continuidade do cuidado, possibilitando a otimização dos recursos, a resolução de problemas complexos e o compartilhamento da responsabilidade.

Principal

Thais Abreu Maia

A prática foi aplicada em

Belo Horizonte

Minas Gerais

Sudeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Thais Abreu Maia

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Conselho itinerante:fortalecendo o controle social em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
Oficina de Culinária Afeto e Sabor
Paraíba
Práticas
Aproximando a Comunidade com a Gestão da Atenção Primária em Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Implantando Novas Instâncias Deliberativas no Município Paulo Jacinto – Al
Alagoas
Práticas
Importância da Conferência Municipal de Saúde para o Fortalecimento da Participação da Comunidade na Defesa do SUS.
Paraíba
Práticas
Participação Popular na Estratégia Saúde da Família em Petrópolis-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Roda de Conversa com As Famílias: Cuidando de Quem Cuida
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação de Colegiado Gestor nas Unidades de Saude da Família de Japeri-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Controle Social e Saúde do Trabalhador: a Experiência Regional do Conselho Gestor do Cerest- Pólo Duque de Caxias – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
A Experiência do 1º Curso de Capacitação para Conselheiros de Saúde e Membros das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador (Cists) Sobre a Temática da Saúde do Trabalhador do Cerest- Pólo Duqu
Rio de Janeiro