Olá,

Visitante

Matriciamento Entre o Centro de Atenção Psicossocial Infantil e Estratégia Saúde da Família: uma Experiência Desafiadora no Município de Barbalha-Ce

O objetivo deste relato é apresentar a experiência de matriciamento nos serviços do Caps infantil e da atenção básica do município de Barbalha-Ceará

A Estratégia de Saúde da Família (ESF) é considerada um importante instrumento para o fortalecimento da rede de atenção em saúde mental uma vez que, converge para a proposta de assistência pautada nos princípios da Reforma Psiquiátrica e do SUS. A dinâmica de saúde mental na atenção básica permite também uma melhor organização no atendimento, tratando as pessoas com problemas mentais na sua própria realidade, encaminhando ao CAPS apenas os casos graves, diminuindo, assim a sobrecarga desse serviço e, consequentemente, possibilitando uma melhor assistência. Parte-se da premissa de que grande número de problemas em saúde mental podem ser resolvido nesse nível de assistência, sem ter necessidade de serem referidos a níveis especializados do sistema de saúde.

Neste processo de gestão estratégica para trazer nossos pacientes mais próximos dos serviços de saúde através do apoio do NASF e da ESF, é necessário que contemos com uma equipe que detenha conhecimento e qualificação em saúde mental para prestar uma boa assistência, com ações inovadoras e que venham a garantir o bem estar do cliente. Essa constatação nos leva a um novo desafio, que é ofertar aos profissionais da atenção básica ferramentas de aperfeiçoamento para que em paceria com o CAPSi e NASF possam prestar uma assistência de qualidade aos já usuários do serviço de saúde mental. O momento atual exige a conjugação de esforços, no sentido de viabilizar a interlocução entre a atenção básica e a saúde mental através da construção de uma rede integrada de saúde e da construção do pensar e agir em relação ao processo saúde-doença mental.

Principal

Polyana Amorim Cruz Nascimento,Maria Evânia Sousa Furtado,Estela Máris Amorim Cruz,Ana Bruna Macêdo Matos,Saskia Thamyles Bezerra Coutinho,Solange Oliveira Ferreira

A prática foi aplicada em

Barbalha

Ceará

Nordeste

Instituição

R. L 1, 176

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Polyana Amorim Cruz Nascimento,Maria Evânia Sousa Furtado,Estela Máris Amorim Cruz,Ana Bruna Macêdo Matos,Saskia Thamyles Bezerra Coutinho,Solange Oliveira Ferreira

Conta vinculada

emanoel.filho@fiocruz.br

06 ago 2022

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Oficina de jogos e desenho
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina de Economia Solidária
Rio de Janeiro
Práticas
Terapia Comunitária Integrativa: um relato de experiência no município de Resende (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Grupo terapêutico: um espaço de acolhimento e de suporte para o final de semana, através da musica, violão e técnica da auriculoterapia
Rio de Janeiro
Práticas
Equipe multidisciplinar – um olhar psicossocial na atenção à infância e adolescência
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto Adoles-SER- a clínica em movimento. Cuidado e promoção de saúde mental de adolescentes
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Avaliação diagnóstica do TEA no SUS e capacitação dos pais como forma primordial de intervenção
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina de Estimulação Cognitiva como estratégia de cuidado ampliado para indivíduos com dependência de álcool
Rio de Janeiro
Práticas
Os dados do CAPS1 Minha Vida como indicador avaliativo do serviço na supervisão clínico-institucional
Rio de Janeiro
Práticas
Grupo de familias em um CAPS infanto-juvenil
Rio de Janeiro