Olá,

Visitante

Vozes da Saúde: série de relatos sobre o SUS ganha seis novos episódios e alcança a marca de 87 vídeos

Coletânea de vídeos produzidos pela IdeiaSUS e a VideoSaúde dá visibilidade a um sistema público de saúde potente e presente na vida de milhões de pessoas

Leitura: 3 minutos
Imagem do episódio 'Acolhimento na Crise: relato de uma experiência prática no município de Itatiaia (RJ)'/ Acervo: IdeiaSUS Fiocruz

Acolhimento humanizado dos usuários de um serviço de saúde mental. Utilização das práticas integrativas e complementares em saúde, as PICS, no cuidado dos trabalhadores de Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Expansão do matriciamento em ginecologia e obstetrícia, ou seja, na atenção à saúde da mulher. Descentralização das ações de controle da tuberculose, garantindo acesso, controle e tratamento da doença. Aplicação da ferramenta de gestão e-SUS Atenção Primária (e-SUS APS) na ordenação de uma rede de atenção à saúde do SUS. E reforma da Atenção Primária à Saúde (APS) num município fluminense, com o provimento médico de 100% das equipes de saúde. Esses são os seis novos assuntos de Vozes da Saúde, as experiências da IdeiaSUS.

Produzida pela Plataforma IdeiaSUS e a VideoSaúde, unidades da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com o apoio da Agência Fiocruz de Notícias (AFN) e a Coordenação de Comunicação Social (CCS) da Fundação, a série chega a 87 episódios sobre diferentes experiências e serviços do SUS. O assunto principal de todos é a Saúde Pública. Trata-se de um retrato das lutas, dos desafios, da criatividade e, sobretudo, do compromisso de trabalhadores e trabalhadoras do SUS.

A série serve como ponto de memória de práticas que apontam para um sistema público de saúde diverso, potente e presente na vida de milhões de pessoas. Vozes da Saúde está disponível no canal da Plataforma IdeiaSUS Fiocruz no Youtube.

Confira os resumos dos episódios. Para assistir, clique sobre o título de cada um.

Acolhimento na Crise: relato de uma experiência prática no município de Itatiaia (RJ)

Doutora em serviço social, com ênfase em saúde mental, a assistente social e coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Itatiaia, no Rio de Janeiro, Anastácia Mariana fala neste episódio de Vozes da Saúde sobre o trabalho de acolhimento na crise de usuários do serviço de saúde mental. Trata-se de um serviço que preza pela humanização do cuidado em saúde mental, por meio de um fluxograma criado dentro do hospital municipal, sob a orientação do Caps.

A utilização de Práticas Integrativas e Complementares no cuidado aos trabalhadores de saúde mental

Psicólogo e acupunturista, Felipe Dadam conta que a iniciativa em um Caps ad do município de Resende (RJ), que atende pessoas com problemas decorrentes do uso abusivo de álcool e outras drogas, e se estende para o Capsi, ou seja, para os trabalhadores da unidade de saúde mental que atende crianças e adolescente. A ideia de aplicação da prática da acupuntura nos trabalhadores da saúde mental, já utilizada com os pacientes, surge por conta das queixas de ansiedade, insônia e dores musculares e nas articulações relatadas pelos profissionais dos Caps. Dadam conta neste vídeo que já foram realizados, desde 2019, quando surge o projeto, um total de 3.889 atendimentos.

A expansão do processo matricial

Médico ginecologista e gestor da Atenção Primária à Saúde de Volta Redonda (RJ), no apoio médico, Tássio Huguenin conta neste episódio de Vozes da Saúde que a prática de expansão do processo matricial de atendimento à mulher surge em 2022 e consolida-se em 2023. A iniciativa buscar melhorar e ampliar o atendimento à saúde das mulheres, bem como empoderar os trabalhadores quanto a este atendimento. Os matriciadores atuam nas unidades básicas de saúde, como também nas redes especializada e hospitalar.

A descentralização das ações de controle da tuberculose

É em Volta Redonda (RJ) que nasce o projeto, retratado neste episódio pelo médico ginecologista e gestor da Atenção Primária à Saúde, Tássio Huguenin. Trata-se de uma iniciativa inovadora, por meio da qual unidades da Atenção Primária à Saúde atuam em conjunto com o Centro de Doenças Infecciosas do SUS do município, garantindo acesso, controle e tratamento da tuberculose. O trabalho está pautado na promoção do acesso prioritário pela unidade básica de saúde.

Coordenação do cuidado ordenação da rede de atenção à saúde e o e-SUS AB como ferramenta de gestão

Neste episódio, Beatriz Xavier Ramos de Souza, enfermeira e coordenadora da Atenção Primária à Saúde de Rio Claro (RJ), relata que o trabalho surge da necessidade de se fazer a referência e a contrarreferência da rede de atenção à saúde do município e, com isso, melhora o cuidado integral à saúde do usuário do SUS. Trata-se da aplicação, em todos os pontos da rede onde há ambulatórios, da ferramenta e-SUS Atenção Primária (e-SUS APS), antigo e-SUS AB, otimizando a gestão no atendimento e nos encaminhamentos dos usuários para as redes especializadas e hospitalar.

A reforma da APS em Volta Redonda (RJ): o provimento médico de 100% das equipes de atenção primária

Médica de família e comunidade, Silvia Mello fala neste episódio sobre o projeto, nascido em 2021, ainda no contexto da Pandemia de Covid-19, para dar conta da necessidade de uma atenção primária à saúde (APS) resolutiva. Foi feita uma reestruturação da APS, incluindo ajustes salariais, contratação de profissionais de saúde, buscando completar todas as equipes de Saúde da Família, implantação de protocolos clínicos, não mais focados na Covid-19, capacitações continuadas das equipes, parcerias com universidades, entre outras ações. O trabalho resultou no provimento de 100% de médicos generalistas nas equipes de Saúde da Família.

Por Katia Machado (Plataforma IdeiaSUS Fiocruz)

Gostou? Compartilhe clicando abaixo

Palavras-chave

Você pode se interessar também