Olá,

Visitante

Intervenção Precoce: Implantação do Programa na Rede de Atenção Básica e Rede Intersetorial no Município de Boa Vista-Pb

o Programa de Intervenção Precoce surge através da criação de um serviço de saúde mental implantado no município, possibilitando um novo olhar a pequena infância para intervir em tempo hábil durante a fase de estruturação psíquica, que venha ofertar ao bebe ou a criança pequena. o presente trabalho é desenvolvido no município de Boa Vista/PB, descreve a experiência exitosa do programa, implantado em março/2017, através do Núcleo de Atenção Integral a Saúde Mental, desenvolvendo matriciamento com os profissionais da Rede de Atenção Básica e Intersetorial, onde foi observado a pequena infância com risco e/ou com transtorno no seu desenvolvimento psicossocial. Contemplando assim a construção de políticas públicas através da Rede de Cuidados em Saúde Mental no município.

Implantar o Programa de Intervenção Precoce na Rede de Atenção Básica e Intersetorial como dispositivo que auxilie na identificação de sinais de sofrimento psíquico na infância o estudo foi desenvolvido através de uma pesquisa descritiva, a partir da experiência com o Programa de Intervenção Precoce. as informações da pesquisa foram repassadas aos participantes que cientes dos objetivos assinaram o termo de autorização do uso de imagem. o universo do estudo é composto por 50 profissionais, inseridos no Núcleo de Atenção Integral a Saúde Mental, na Rede de Atenção Básica e Intersetoriais, participando do matriciamento, objetivando a continuidade do cuidado integral, focado em práticas dinâmicas de interação e cuidados para a implementação do projeto no município.

A implantação do Programa de Intervenção Precoce e a realização da Rede de Cuidados em Saúde Mental, com a participação da Rede de Saúde e Intersetorial, em capacitações e rodas de conversa, contempla o objetivo de identificar o sofrimento psíquico na primeira infância, a inclusão da família no processo de acompanhamento e a criação de dispositivos que auxiliem nas intervenções dos indicadores de riscos. Os resultados obtidos visam identificar, em tempo hábil, os riscos psíquicos do público assistido os referenciando ao serviço de saúde mental para estimulação precoce, diminuindo e/ou anulando os transtornos psíquicos futuros.o Programa de Intervenção Precoce mostra a necessidade adequada de sua implantação nas políticas públicas de saúde mental, incluindo os profissionais e o envolvimento da família no programa de atendimento. Com a implantação do programa conseguimos articular a Rede de Saúde e Intersetorial do nosso município, para um olhar mais atento ao sofrimento psíquico na pequena infância, permitindo uma integração para detectar e intervir precocemente por meio da estimulação precoce.

Principal

Carolina Farias Almeida Gomes

carolinagomespb@gmail.com

Coautores

Sedna Asmir Santos Barreto, Magnolia Silva Verissimo De Lima, Raissa Barbosa Frutuoso, Samara Silva Brito, Jardiel Araújo De Sousa

A prática foi aplicada em

Boa Vista

Paraíba

Nordeste

Instituição

Boa Vista Pb

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Carolina Farias Almeida Gomes

Conta vinculada

carolinagomespb@gmail.com

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Fórum Permanente de Embu Guacu: uma Possibilidade de Organização do Cuidado Intersetorial
São Paulo
Práticas
Profilaxia Pré-Exposição ao Hiv (Prep) como Nova Estratégia para A Prevenção do Hiv – uma Experiência Multiprofissional
São Paulo
Práticas
Consultório na Rua: uma Ampliação da Abordagem das Pessoas Vivendo com Hiv/Aids Focando A Adesão
São Paulo
Práticas
Processo Formativo de Apoio em Saúde Mental no Município de Franco da Rocha – Sp
São Paulo
Práticas
Estruturação da Rede de Saúde de Franco da Rocha: Análise do Financiamento das Ações, Por Meio da Transferência de Recursos Obrigatórios e Voluntários ao Município
São Paulo
Práticas
Participação Social na Construção do Planejamento Estratégico em Saúde e do Plano de Educação Permanente no Território de Ermelino Matarazzo/Sp
São Paulo
Práticas
Impactos da Formação de Trabalhadores Sobre Práticas Relativas ao Uso Racional de Medicamentos: Experiência no Contexto do Plano Regional de Educação Permanente em Saúde (Pareps)
São Paulo
Práticas
A Assistência Farmacêutica como Veículo de Educação e Economia
São Paulo
Práticas
Programa de Automonitoramento Glicêmico para Paciente Diabético Insulinodependente
São Paulo
Práticas
Experiência do Grupo Terapêutico Infantil na Atenção Primária
São Paulo