Olá,

Visitante

Imunização Extramuros

Categoria não especificada

O município de Carlos Chagas faz parte da microrregião de saúde de Nanuque e macrorregião de saúde de Teófilo Otoni- Minas Gerais, sendo conhecida como a “Pérola do Mucuri” ou “Gloriosa Carlos Chagas”, pois é considerada uma das mais belas cidades do vale. Com uma área total 3.202,984 km², o município possui 35 comunidades rurais e população total de 20.087 habitantes (IBGE, 2010), tal território é um desafio para atendimento das demandas de saúde de toda população. A rede de saúde do município conta com 07 Programas de Saúde da Família, sendo 04 urbanos: PSF Juá, PSF Central, PSF Colina Verde e PSF Cruzeiro e 03 rurais: PSF Mayrink, PSF Pena e PSF Epaminondas Otoni, 01 Centro de Especialidades Clinicas: Dely Coelho Nogueira, 01 Hospital Lourenço Westin (atende média e alta complexidade), 01 Centro de Atenção Psicossocial I- CAPS- Dona Sinhazinha, 01 Centro de Enfrentamento ao Covid-19, 12 Consultórios Odontológicos (07 em PSF, 02 em Pontos de apoio- 01 na Escola Municipal Arminda Lopes Ribeiro e 01 Unidade móvel de Odontologia), 01 Farmácia de Minas. Desde 2021 foi iniciado um trabalho de descentralização das salas de Imunização para aumento das coberturas e vacinação extramuros em todas as localidades do município de Carlos Chagas. A vacinação extramuros tem como objetivo alcançar um grupo de usuários que, muitas vezes, não tem disponibilidade de se dirigir a uma unidade de saúde devido aos horários de trabalho, dificuldade no transporte, etc. Sendo uma ação de extrema importância para saúde, pois contribui para o crescimento dos índices da vacinação e consequentemente para a redução das patologias imunopreveníveis. Durante a pandemia de Covid-19 o município de Carlos Chagas realizou uma série de estratégias para ofertar as vacinas para toda a sua população, como: contratação e treinamento de novos profissionais e disponibilização de carros para levar os vacinadores para os mais remotos pontos da cidade, imunizando assim toda a população com as vacinas de campanha e de rotina. A vacina foi levada para as escolas, empresas, lojas, farmácias, igrejas; etc, para todos os locais onde houvessem pessoas para serem imunizadas. Garantindo assim, fácil acesso para toda a população.

Dentre as várias estratégias para aumento das coberturas vacinais, foram as ações de comunicação nas redes sociais ( Instagram, Facebook, Grupos e status do Whatsapp) entrevistas nas rádios e a disponibilização do transporte para a vacinação in loco nas zonas rurais que se demonstraram mais relevante para o aumento da imunização no nosso município.

1- Investimento em capacitação de novos profissionais para as salas de vacinas, pois por se tratar de um serviço de extrema importância e responsabilidade o treinamento de tal profissional demora meses. 2- Descentralização das salas de vacinas para todos os Programas de Saúde da Família dos municípios. 3- Aquisição de rede de frios adequada para conservação dos imunobiológicos 4- Aquisição de transporte próprio para o setor de imunização 5-Campanhas de Imunização ostensivas 6- Rede de internet, computadores e tablet’s disponíveis para inserção no sistema de Informação.

A Imunização tornou-se um desafio para todos os municípios, o Programa de Imunização Nacional foi tão bem sucedido em décadas anteriores que as patologias imunopreveníves desapareceram e a população passou a desvalorizar a vacina. Com as baixas coberturas vacinais e Fake News, tais patologias retornaram a assombrar a nossa sociedade. Sem investimentos palpáveis, as salas de imunização foram sucateadas, a rede de frios dos municípios foram fragilizadas, os profissionais da imunização estão se aposentado e sem perspectivas de contratação e treinamento de novos profissionais. O Ministério da Saúde juntamente com as Secretarias de Estado de Saúde necessitam de dar suporte ostensivo para os municípios reerguerem o processo vacinal como todo, desde transporte, rede frios e recursos humanos até serviços de monitoramento em tempo real da situação vacinal de cada cidade/ estado.

Principal

Ludmila Aparecida Soares Souza

Coautores

Ana Laura de Oliveira Silva, Maristela Marques Amral, Gyomana Medrado Sander Santos, Ianca Rufino Costa Paixão, Darla Alves da Silva, Renata da Hora Reuter Batista, Renata Teles lima Prates, Paulo Eduardo de Matos Santana, Lívia Soares Moreira, Abraão Cesar Ribeiro

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro