Olá,

Visitante

Guaraí de Bem com a Vida

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:A adoção de um estilo de vida ativo que proporciona diversos benefícios à saúde, uma vez que é considerado como um importante componente para a melhoria da qualidade de vida e da independência funcional do idoso. Porém, tão importante quanto investigar os benefícios biopsicossociais adquiridos pela prática da atividade física, é compreender os fatores associados que influenciam a sua adesão e manutenção. Sendo assim, a partir das fichas cadastrais e de observações, o presente trabalho tem como proposta discutir a relação entre adesão à prática da atividade física e a funcionalidade do idoso.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS: ?

O envelhecimento é um processo gradual, universal e irreversível, provocando uma perda funcional progressiva no organismo, Nahas (2006). Esse processo é caracterizado por diversas alterações orgânicas, por exemplo, a redução do equilíbrio e da mobilidade, das capacidades fisiológicas (respiratória e circulatória) e modificações psicológicas (maior vulnerabilidade à depressão). Para a Organização Mundial da Saúde (OMS, 2006), um dos componentes mais importantes para se ter uma boa saúde é o estilo de vida adotado pelas pessoas, o qual pode ser entendido como as ações realizadas pelo indivíduo no seu dia a dia: alimentação, prática de atividades físicas regulares, dentre outros, que são passíveis de serem modificadas. Essa mesma organização reconhece a prática de atividades físicas como um relevante meio de promoção da saúde e redução dos fatores de risco. Porém, ao se refletir sobre as atividades físicas, precisa-se pensar além dos benefícios biopsicossociais proporcionados pela sua prática, como também, por exemplo, compreender as mudanças de comportamentos individuais e/ou coletivos para a adesão e manutenção dessas atividades. Essas só proporcionarão os devidos benefícios, se realizadas continua e corretamente. Sendo assim, tão importante quanto investigar os benefícios proporcionados por essas práticas, é compreender como motivar as pessoas a se manterem engajadas neste propósito. Define-se como idoso todo indivíduo com idade igual ou superior a 60 anos para países em desenvolvimento ou 65 anos, no caso de nações desenvolvidas (OMS, 2005). As condições de saúde da população idosa podem ser compreendidas por indicadores específicos do processo saúde/doença, destacando-se o perfil de morbidade, mortalidade e qualidade de vida desta faixa etária. Especificamente com relação às causas de morbidade no idoso, merecem destaque as doenças e agravos não transmissíveis (DANT), pois exigem acompanhamento constante para que possa evitar o aumento da mortalidade nessa população. A prevalência de DANT encontrada em Guaraí no grupo da melhor idade “GUARAÍ DE BEM COM A VIDA”, foi de 67%. As principais doenças observadas foram: hipertensão arterial (41%), obesidade (15%) e diabetes (10%). Essas doenças tendem a se manifestar de forma ainda mais expressiva quanto maior for a idade. Sabe-se que as DANT podem afetar a funcionalidade dos idosos, dificultando ou impedindo o desempenho de suas atividades cotidianas de forma independente. Ainda que não sejam fatais, essas condições geralmente tendem a comprometer de forma significativa a qualidade de vida dos mesmos (BRASIL, 2006). Portanto, manter a autonomia e independência durante o processo de envelhecimento é uma meta fundamental a ser alcançada.Seguindo as diretrizes da promoção da saúde, as atividades físicas apresentam-se como um dos componentes mais importantes para a adoção de um estilo de vida saudável e uma melhor qualidade de vida das pessoas (OMS, 2006). Mas, infelizmente, apesar de todo conhecimento sobre os efeitos deletérios proporcionados pela inatividade física, ainda constata-se um aumento dessa prevalência em âmbito mundial, acarretando em um rápido crescimento das DANT. A manutenção da capacidade funcional dos idosos é um dos fatores que contribuem para uma melhor qualidade de vida dessa população. Nesse sentido, a prática de atividades físicas é um importante meio para se alcançar esse objetivo, devendo ser estimulada ao longo da vida. Especificamente nessa faixa etária, deve-se priorizar o desenvolvimento da capacidade aeróbica, flexibilidade, equilíbrio, resistência e força muscular de acordo com as peculiaridades dessa população, de modo a proporcionar uma série de benefícios específicos à saúde biopsicossocial do idoso. Para tanto, se faz necessário compreender mais detalhadamente os fatores associados às práticas de atividades físicas, para a elaboração de estratégias específicas de intervenção promovendo a adesão dessa população à essas atividades. O projeto “GUARAÍ DE BEM COM A VIDA” o qual está vinculado à Secretaria Municipal de Saúde de Guaraí, surgiu à partir da observação das equipe multi – profissional das Unidades Básica de Saúde e também dos relatos de observações feitas pelos os Agentes Comunitários de Saúde, através das visitas domiciliares, os quais constataram o crescimento dessa população bem como o aumento das morbidades e mortalidade na mesma, diante disso verificou-se a necessidade de elaboração e realização de ações voltadas para esse público no sentido de melhorar a capacidade funcional, intelectual e o convívio social dos mesmos, através da realização de atividades físicas que auxiliam na redução das DANT’s.O projeto conta com uma equipe multi – profissional, que são: Educador físico, Fisioterapeuta, Nutricionista, Núcleo de Apoio á Saúde da Família – NASF, Estratégia de Saúde da Família – ESF, Secretaria Municipal de Ação Social, AABB Comunidade, dentre outros.

Sendo assim, é importante que haja um planejamento de ações voltadas para esse grupo populacional, que é crescente, no sentido de está preparando continuamente os profissionais para atender esse grupo e também sensibilizando a população de Guaraí para um envelhecimento mais saudável, o que aumentará a qualidade de vida dessa população.Diante dos dados observados, é possível percebermos que a atividade física regular e a adoção de um estilo de vida ativa são necessárias para a promoção da saúde e qualidade de vida durante o processo de envelhecimento.

Principal

Maria José Neres da Silva

A prática foi aplicada em

Guaraí

Tocantins

Norte

Instituição

Av. Goiás, 1330

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Maria José Neres da Silva

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Uso do Futsal Como Estratégia de Promoção da Saúde e Diminuição do Risco de Marginalização: Projeto Caminhos do Viver.
São Paulo
Práticas
Qualidade de Vida no Grupo “Mulher Ativa” na Cidade de Montalvânia – Mg
Minas Gerais
Práticas
Qualidade de Vida e Longevidade: Educação/Prevenção/Promoção em Saúde Sob os Aspectos Biopsicossociais Como Ferramenta para o Cuidado de Pacientes Hipertensos e Diabéticos.
Minas Gerais
Práticas
Projeto “Viva Leve”
Minas Gerais
Práticas
Grupo Girassol: Relatos de Experiência de Ações de Promoção da Saúde para Melhoria da Qualidade de Vida de Pessoas com Doenças e Sequelas
Minas Gerais
Práticas
Praticas Exitosas no Grupo de Emagrecimento.
Minas Gerais
Práticas
Promoção de saúde e prevenção de doenças crônicas não transmissíveis através de grupos para perda de peso em São Gonçalo do Rio Preto (MG)
Minas Gerais
Práticas
Artesanato Como Prática de Promoção em Saúde Mental.
Rio de Janeiro
Práticas
Utilização do Lúdico Como Estratégia de Favorecimento do Atendimento e Vínculo com o Paciente odontopediátrico na Estratégia de Saúde da Família.
Espírito Santo
Práticas
Escola de Postura: Prevenção da Lombalgia, Através da Motivação da Prática Corporal, Contribuindo para a Melhoria da Qualidade de Vida dos Usuários de Irecê, Bahia.
Bahia