Olá,

Visitante

Grupo Gestar – Orientação às Gestantes

o grupo “Gestar” é uma iniciativa da enfermeira da equipe da Estratégia de Saúde da Família 302 (ESF 302) e da docente enfermeira do Centro Universitário de Goiatuba (Unicerrado) que realiza estágios da disciplina de Obstetrícia. Para que as mulheres brasileiras, inseridas em uma cultura cesarista dominante, consigam realizar as mudanças individuais necessárias para terem partos ativos, elas têm que desenvolver autonomia e autoconfiança durante a gestação e precisam de apoio emocional em suas comunidades. E esse é o papel do grupo “Gestar”. Além do incentivo ao um parto ativo e seguro o grupo também incentiva o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e complementado até os dois anos de idade. Diante disso, o surgimento do grupo se justifica pela responsabilidade que a equipe de atenção primária possui em promover informações de saúde às gestantes para prevenir agravos à saúde da mãe e do bebê.

Estabelecer uma rede de apoio para as gestantes com incentivo ao parto normal, aleitamento materno e cuidados gerais durante o ciclo gravídico puerperal. o grupo “Gestar” acontece semanalmente na sala de reuniões da ESF 302, às 14 horas. em cada encontro são trabalhados conteúdos desde a concepção, a fisiologia da gestação e do parto, até os cuidados com o recém-nascido e com a mulher durante o período puerperal. as reuniões são abertas ao público do município, incluindo pais e responsáveis que estão em contato direto com as gestantes e são elaboradas de acordo com as demandas do público alvo e em dados momentos há participação de outros profissionais que contribuam com temáticas relacionadas aos objetivos do grupo.

A média de comparecimento de gestantes no grupo é de 20 mulheres por encontro e foi perceptível que as mulheres demonstram mais segurança tanto no cuidado com a gestação, como no cuidado com seu filho recém-chegado. A medida que os encontros aconteceram foi possível notar também a participação dos companheiros das mulheres que foram despertados a se preocupar com seu papel enquanto cuidador da gestante e enquanto pai. A adesão ao aleitamento materno exclusivo também foi notada e as mães se sentiram mais seguras em não fornecer complemento, mesmo sendo estimuladas a isso.Fica evidente que uma assistência obstétrica de qualidade está diretamente relacionada ao fornecimento de informações claras e que coloque a mulher como protagonista do processo de gestação, parturição e cuidado com seu filho. E que o trabalho da equipe de saúde especialmente, do profissional enfermeiro, é facilitado quando há um entendimento do processo, contribuindo para resultados melhores no cuidado do profissional com a gestante e da gestante consigo mesma e com seu concepto.

Principal

Larissa Cássia Silva

larissa.cassia.silva@hotmail.com

Coautores

Lívia Vieira Simões Ansaloni

A prática foi aplicada em

Goiatuba

Goiás

Centro-Oeste

Instituição

Rua São Franscico, 764 – Centro

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Patrícia Lemes De Lima

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal