Olá,

Visitante

Detecção do 1º Caso de Raiva Canina e as Ações de Controle Executadas no Município de Hortolândia, São Paulo

A raiva é uma zoonose que acomete mamíferos e está presente em todos os continentes com exceção da Antártida. No Brasil os morcegos são os principais transmissores da doença, mas também são registrados casos humanos transmitidos por outras espécies de animais silvestres, por herbívoros, por cães (variante viral canina) e de 2001 a 2017 foram registrados 4 casos humanos transmitidos por cães e gatos infectados com variantes virais de morcegos. No estado de São Paulo não há registros de casos humanos autóctones infectados por variante de cão desde 1997 e em 2018 foi confirmado um caso humano infectado por variante viral de morcego a circulação do vírus é detectada anualmente na população animal sendo de grande preocupação os casos registrados em cães e gatos decorrentes da infecção por variantes de morcegos entre 2003 e 2017 foram 17 casos em gatos e 8 em cães. em Hortolândia o 1º registro de raiva em cão semi-domiciliado provocada por variante viral de morcego foi em julho de 2018.

Apresentar a detecção do 1º caso de raiva canina do município provocada pela infecção por variante viral de morcego e as ações de investigação e controle desencadeadas pela Unidade Básica de Saúde (UBS), Vigilância Epidemiológica (VE) e pela Unidade A detecção do caso de raiva canina em 06/2018 surge como fruto do trabalho da UVZ de sensibilização dos Médicos Veterinários (MV) para a notificação de casos suspeitos de zoonoses. A comunicação entre os profissionais da UBS, VE e UVZ na investigação, na adoção das medidas profiláticas e para o ágil envio da amostra à São Paulo para o diagnóstico laboratorial foi fundamental. A UVZ ficou responsável pela ação de bloqueio da raiva (ações definidas por os critérios técnicos desencadeadas em um território que visam evitar novos casos em cães, gatos e seres humanos) os insumos necessários a estas ações e a ampla divulgação do caso na imprensa se deu pela articulação da secretaria de saúde com demais secretarias e com a vigilância estadual.

A investigação revelou que 4 pessoas e 3 cães tiveram contato de risco para a transmissão do vírus rábico com o cão doente e foram submetidos a profilaxia. Na ação de bloqueio foram visitados 1.696 imóveis, vacinados 718 cães e 195 gatos e identificados 5 animais que tiveram contato de risco com morcegos para a transmissão do vírus rábico. Houve aumento da notificação de morcegos encontrados com comportamento alterado propiciando a intervenção oportuna foi criado um grupo de whatsapp para a rápida comunicação dos MV com os técnicos da UVZ e VE resultando na aproximação entre os profissionais aumentou em 36% no número de cães e gatos vacinados na campanha anual contra a raiva e não houve até o presente momento novos registros de casos.o trabalho das equipes que compõem a vigilância em saúde com os demais serviços de atenção à saúde é de fundamental importância para a execução de ações eficientes e eficazes, para tanto há que se ter uma política de trabalho voltada para a integração entre as equipes. A reestruturação do serviço de controle de zoonoses de Hortolândia em 2017 de acordo com a Portaria MS nº1138/2014 possibilitou a qualificação e incremento das ações de controle de zoonoses, agravos relevantes para a saúde pública

Principal

Tosca De Lucca Benini Tomass Rezende

tosca_delucca@yahoo.com.br

Coautores

Camila C. G. Travassos, Evandro A. Cardoso, Marciano P. Robert, Ibraim B. Almeida, Antonio R. Stivalli

A prática foi aplicada em

Hortolândia

São Paulo

Sudeste

Instituição

Rua Manoel Esteves Da Silva, 130 – Terras Do Barão – Cep: 13085-620

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Odete Carmem Gialdi

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal