Olá,

Visitante

Desafios para Manutenção do Vínculo e da Co-Repsonsabilização Frente a Ausência do Profissional Médico – a Equipe Multiprofissional de Saúde Sendo a Referência de Cuidado em Saúde

ObjetivoGarantir cuidado integral à população do campo com ênfase nas ações de promoção à saúde, mesmo na ausência do profissional médico, aliviando os desconfortos físicos e emocionais decorrentes das suas realidades carentes de acessibilidade e comunicação.MetodologiaPara suprir a ausência da consulta médica, a equipe ampliou seu olhar e buscou novas alternativas, como: consulta de enfermagem, nutricionista (avaliação e adequação da dieta) e farmacêutica (uso correto da medicação) aos pacientes crônicos descompensados. Também pré-natal e puericultura com enfermeira, dentista e nutricionista apoio à pacientes com transtornos mentais e utilização de PICs como complementares aos tratamentos (auriculoterapia e florais). O trabalho exaustivo dos agentes comunitários informando a ausência do médico e encorajando a população a manter o vínculo e confiança na equipe foi essencial.

A Promoção da Saúde refere-se à capacitação das pessoas e comunidades para modificação dos determinantes da saúde em prol da qualidade de vida da população no contexto do campo, faz-se necessário que as equipes atuem com criatividade frente às especificidades deste povo. No município de Aceguá a maior parte da população reside na zona rural além de pequenos e grandes proprietários de terra, encontram-se Assentamentos da Reforma Agrária, Colônia Alemã e Comunidades Quilombolas. Desde o ano de 2004, estas comunidades recebem atenção à saúde por meio de uma valiosa ferramenta: a unidade móvel de saúde, cuja equipe atuante enfrentou o desafio de não perder o vínculo com a população frente à ausência do profissional médico em boa parte de 2018. Sendo assim, dentista, enfermeira. nutricionista, farmacêutica, técnica de enfermagem, auxiliar de saúde bucal, agente comunitário de saúde e motorista superaram-se na criação de alternativas que suprissem as necessidades destas comunidades.

Esta experiência demonstrou que apesar do médico ser essencial para um cuidado de excelência na atenção básica, este é passível de acontecer na sua ausência. Garantiu-se uma atenção integral à população do campo, ofertada por equipe multiprofissional engajada e motivada a auxiliar no crescimento individual e coletivo dos usuários e comunidade, tendo por base os preceitos da promoção de saúde. Foram meses sem médico, mas com muito trabalho e presença constante dos nossos usuários.

Principal

Rosane Gehling Reimche

A prática foi aplicada em

Rio Grande do Sul

Sul

Instituição

Aceguá

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Teste: verificando o recurso de emissão de certificados
Todos os Estados (Sudeste)
Práticas
Gestão de saúde em Queimadas – PB: uso estratégico da informação no planejamento das ações
Paraíba
Práticas
Implantação e ampliação de Serviço Especializado em município do sertão da Paraíba
Paraíba
Práticas
Gestão de saúde de Cabedelo na implantação da nova lei de licitações: desafios e conquistas
Paraíba
Práticas
Processo de elaboração do Plano Municipal de Saúde 2022-2025- relato de experiência.
Paraíba
Práticas
INFORMATIZAÇÃO DA REGULAÇÃO MUNICIPAL COM A ATENÇÃO PRIMÁRIA COMO COORDENADORA DO CUIDADO
Rio de Janeiro
Práticas
A importância da implantação de sistema de regulação de exames no Município de mendes.
Rio de Janeiro