Olá,

Visitante

Desafios da Pandemia: Relato de Experiência na Transformação do Cuidado em Saúde Mental em Carmo, Pequena Cidade do Interior do Rio de Janeiro.

Assim como os demais serviços de saúde, diante da pandemia por Covid-19 os serviços de saúde mental precisaram reestruturar o seu trabalho para lidar com o novo contexto, não permitindo aglomerações, incentivando o isolamento social com medidas de prevenção. Desde que decretada a pandemia em 16 de março de 2020 foram suspensas as atividades grupais do Centro de Convivência e do CAPS Carmo, as equipes foram orientadas sobre o uso de EPI e sobre como melhor proceder nas situações de atendimento individual necessários, doação de cestas básicas e kits de higiene pessoal, contendo álcool em gel, máscaras, sabonete, pasta e escova de dentes, papel higiênico, absorvente íntimo e barbeador, e do “kit artesanato” para os usuários que participam desta oficina no CAPS. Além disso, uma equipe do Serviço Social esclarece sobre o processo de inclusão dos usuários e familiares no programa de auxílio emergencial do Governo Federal. Para os cuidadores e usuários do CAPS, das Residências Terapêuticas e Centro de Convivência, foi lançado o desafio de criarem e postarem vídeos nas redes sociais, com o objetivo de promover atividades de lazer e entretenimento em suas casas, como estratégia de enfrentamento ao isolamento social. Os vídeos mais curtidos foram premiados nas Redes Sociais. Também foram produzidos e divulgados relatos e vídeos de cuidadores sobre atividades realizadas em casa para lidar com o isolamento.Em junho, Carmo criou uma “Casa de Campanha”, seguindo os protocolos de biossegurança, para acolher os usuários das Residências Terapêuticas que por algum motivo precisaram ser hospitalizados e ficaram de algum modo expostos ao risco de contaminação, além do acolhimento aos usuários com suspeita e confirmação de COVID.O Centro de Convivência Paula Cerqueira tem produzido oficinas através dos canais digitais para usuários, cuidadores e população em geral. As experimentações com as oficinas foram crescendo, chegando a construção do “1º Arraiá Virtual” realizado em 11 de junho de 2020, por meio de uma grande mobilização de cuidadores, usuários e profissionais na ornamentação e produção das comidas típicas. Além disso, Carmo tem participado do movimento ‘Centro de Convivência Virtual Estadual’, com a participação de usuários, profissionais e familiares que trocam experiências com outros centros de convivência do Estado.O compromisso com o cuidar em Saúde Mental, ampliado para a população local e aos trabalhadores da ESF de Carmo, resultou na implantação do projeto “Terapia Comunitária Integrativa (TCI) on-line”. O TCI conta com profissionais das áreas de Psicologia e Serviço Social e busca ser uma forma de apoio em tempos de distanciamento social. Recorrer a ações gratuitas de acolhimento on-line para apoio emocional tem acontecido com freqüência em Carmo. O Serviço de Atenção à Infância e Juventude (SAIJ) compartilha materiais na rede social e promove o diálogo a partir da troca de mensagens, contando com o apoio de profissionais qualificados da área de Psicologia de diversos serviços do município. O acolhimento acontece pelo canal “Escuta Empática”, em parceria com o Programa Saúde na Escola (PSE), com dias e horários previamente divulgados.Em junho de 2020 foi iniciada uma ação de incentivo à formação de uma rede socioafetiva de cuidado virtual no município. A iniciativa envolve a participação de 50 mulheres na criação e publicação depodcasts. A estratégia de transmissão de mensagens pretende promover o acolhimento virtual aos interessados em compor o grupo, ser um espaço de reflexão, de resgate de histórias da vida e de mobilização, em especial, para as pessoas com dificuldades de acesso aos serviços de saúde. Além de todas essas ações aos usuários de Saúde Mental, o município de Carmo ofertou “suporte psicológico”, acolhendo e amparando a população em relação a dúvidas e anseios em relação à pandemia, por meio do Instagram, em parceria com o Programa Saúde na Escola (PSE). Nesse sentido, o Serviço de Atenção a Infância e juventude (SAIJ) criou duas plataformas digitais (Instagram e Messenger) para que informações e materiais chegassem as famílias ofertando suporte. Psicólogasde vários serviços disponibilizaram horários para atendimento através do “canal de escuta empática” do PSE. Foi divulgado também o telefone do “Centro de Valorização pela Vida” para suporte emocional e prevenção do suicídio – 24h por dia, assim como números para disk denúncia para os casos de violência doméstica e infantilCarmo dispõe de uma Equipe de Atenção Psicossocial da Atenção Básica, composta por uma Psicóloga e uma Assistente Social, para realização de Cuidado Ampliado à população e profissionais das Equipes de Estratégia de Saúde da Família. Em junho iniciaram atividades de escuta e cuidado ao Distrito com maior número de casos da COVID-19. Através dos “Rádio-áudios” – “podcasts” vem estimulando a rede socioafetiva de cuidado virtual, contando com o apoio de um grupo de 50 mulheres, já existente naquela localidade. A ideia foi acolher virtualmente as pessoas que quisessem compor o grupo, abrir um espaço de reflexão, levantamento de potencialidadesde ação, de resgate das histórias de vida, de mobilização e alcance comunitário às pessoas com maior dificuldade de acesso aos serviços de saúde. Outro recurso tem sido as atividades de Terapia Comunitária Integrativa (TCI) online, que oferta cuidado não só a população, como aos profissionais que estão atuando na assistência neste momento. Estão avaliando a expansão desse projeto aos profissionais da Educação, que neste momento acompanham as crianças e adolescentes de forma remota.

Assim como os demais serviços de saúde, diante da pandemia por Covid-19 os serviços de saúde mental precisaram reestruturar o seu trabalho para lidar com o novo contexto, não permitindo aglomerações, incentivando o isolamento social com medidas de prevenção. Desde que decretada a pandemia em 16 de março de 2020 foram suspensas as atividades grupais do Centro de Convivência e do CAPS Carmo, as equipes foram orientadas sobre o uso de EPI e sobre como melhor proceder nas situações de atendimento individual necessários, doação de cestas básicas e kits de higiene pessoal, contendo álcool em gel, máscaras, sabonete, pasta e escova de dentes, papel higiênico, absorvente íntimo e barbeador, e do “kit artesanato” para os usuários que participam desta oficina no CAPS. Além disso, uma equipe do Serviço Social esclarece sobre o processo de inclusão dos usuários e familiares no programa de auxílio emergencial do Governo Federal. Para os cuidadores e usuários do CAPS, das Residências Terapêuticas e Centro de Convivência, foi lançado o desafio de criarem e postarem vídeos nas redes sociais, com o objetivo de promover atividades de lazer e entretenimento em suas casas, como estratégia de enfrentamento ao isolamento social. Os vídeos mais curtidos foram premiados nas Redes Sociais. Também foram produzidos e divulgados relatos e vídeos de cuidadores sobre atividades realizadas em casa para lidar com o isolamento.Em junho, Carmo criou uma “Casa de Campanha”, seguindo os protocolos de biossegurança, para acolher os usuários das Residências Terapêuticas que por algum motivo precisaram ser hospitalizados e ficaram de algum modo expostos ao risco de contaminação, além do acolhimento aos usuários com suspeita e confirmação de COVID.O Centro de Convivência Paula Cerqueira tem produzido oficinas através dos canais digitais para usuários, cuidadores e população em geral. As experimentações com as oficinas foram crescendo, chegando a construção do “1º Arraiá Virtual” realizado em 11 de junho de 2020, por meio de uma grande mobilização de cuidadores, usuários e profissionais na ornamentação e produção das comidas típicas. Além disso, Carmo tem participado do movimento ‘Centro de Convivência Virtual Estadual’, com a participação de usuários, profissionais e familiares que trocam experiências com outros centros de convivência do Estado.O compromisso com o cuidar em Saúde Mental, ampliado para a população local e aos trabalhadores da ESF de Carmo, resultou na implantação do projeto “Terapia Comunitária Integrativa (TCI) on-line”. O TCI conta com profissionais das áreas de Psicologia e Serviço Social e busca ser uma forma de apoio em tempos de distanciamento social. Recorrer a ações gratuitas de acolhimento on-line para apoio emocional tem acontecido com freqüência em Carmo. O Serviço de Atenção à Infância e Juventude (SAIJ) compartilha materiais na rede social e promove o diálogo a partir da troca de mensagens, contando com o apoio de profissionais qualificados da área de Psicologia de diversos serviços do município. O acolhimento acontece pelo canal “Escuta Empática”, em parceria com o Programa Saúde na Escola (PSE), com dias e horários previamente divulgados.Em junho de 2020 foi iniciada uma ação de incentivo à formação de uma rede socioafetiva de cuidado virtual no município. A iniciativa envolve a participação de 50 mulheres na criação e publicação depodcasts. A estratégia de transmissão de mensagens pretende promover o acolhimento virtual aos interessados em compor o grupo, ser um espaço de reflexão, de resgate de histórias da vida e de mobilização, em especial, para as pessoas com dificuldades de acesso aos serviços de saúde. Além de todas essas ações aos usuários de Saúde Mental, o município de Carmo ofertou “suporte psicológico”, acolhendo e amparando a população em relação a dúvidas e anseios em relação à pandemia, por meio do Instagram, em parceria com o Programa Saúde na Escola (PSE). Nesse sentido, o Serviço de Atenção a Infância e juventude (SAIJ) criou duas plataformas digitais (Instagram e Messenger) para que informações e materiais chegassem as famílias ofertando suporte. Psicólogasde vários serviços disponibilizaram horários para atendimento através do “canal de escuta empática” do PSE. Foi divulgado também o telefone do “Centro de Valorização pela Vida” para suporte emocional e prevenção do suicídio – 24h por dia, assim como números para disk denúncia para os casos de violência doméstica e infantilCarmo dispõe de uma Equipe de Atenção Psicossocial da Atenção Básica, composta por uma Psicóloga e uma Assistente Social, para realização de Cuidado Ampliado à população e profissionais das Equipes de Estratégia de Saúde da Família. Em junho iniciaram atividades de escuta e cuidado ao Distrito com maior número de casos da COVID-19. Através dos “Rádio-áudios” – “podcasts” vem estimulando a rede socioafetiva de cuidado virtual, contando com o apoio de um grupo de 50 mulheres, já existente naquela localidade. A ideia foi acolher virtualmente as pessoas que quisessem compor o grupo, abrir um espaço de reflexão, levantamento de potencialidades de ação, de resgate das histórias de vida, de mobilização e alcance comunitário às pessoas com maior dificuldade de acesso aos serviços de saúde. Outro recurso tem sido as atividades de Terapia Comunitária Integrativa (TCI) online, que oferta cuidado não só a população, como aos profissionais que estão atuando na assistência neste momento. Estão avaliando a expansão desse projeto aos profissionais da Educação, que neste momento acompanham as crianças e adolescentes de forma remota.

Criar estratégias coletivas de prevenção ao contágio do novo coronavírus de uma população marcada pela vulnerabilidade e isolamento social

Principal

Catarina Maria Grazia Guida

ericareginavictoriorocha@gmail.com

A prática foi aplicada em

RJ

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Rua Celso Faria de Carrilho, 458

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Erica Regina Victorio da Rocha

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Fato ou fake: utilizando a força da internet no combate a fake news sobre vacinação em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Projeto saúde na feira: ampliando o acesso de serviços de saúde no município de Ingá.
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Promoção da saúde mental dos trabalhadores da estratégia de saúde da família: cuidando do cuidador.
Paraíba