Olá,

Visitante

Avaliação diagnóstica do TEA no SUS e capacitação dos pais como forma primordial de intervenção

O tema Autismo vem se tornando objeto de discussão dentro da prática dos serviços de saúde pública, talvez como nunca antes. Vem crescendo o número de crianças diagnosticadas, além de adolescentes e adultos que recebem diagnóstico tardio. Considerando essas demandas e a carência de serviços voltados ao TEA , em maio de 2023, no município de Itatiaia, iniciamos o planejamento de algumas ações que serão implantadas no território, voltadas para o população autista (principalmente crianças) e suas famílias. Entre elas, duas já foram consolidadas, em agosto de 2023, que são: a Avaliação Psicológica para casos suspeitos de autismo, realizada dentro do dispositivo Caps I, o único do município; e a formação de um grupo de mães, pais e cuidadores para falarmos sobre Análise do Comportamento Aplicada (ABA), que consiste na prática com maior evidência científica para ser utilizada nos casos de TEA. A este projeto do grupo, nomeamos de “Mães que ensinam: ABA aplicada no dia a dia”.

O município de Itatiaia não conta, até o momento, com serviço/dispositivo especializado para atender as demandas relacionadas ao TEA, como um espaço de intervenção interdisciplinar. Também não contava com um modelo de avaliação mais estruturada para casos suspeitos de TEA, sendo esta realizada somente pelo médico, a partir de seu olhar clínico e experiência profissional.
Uma grande demanda do município advinha das mães de crianças autistas, que devido a uma rotina intensa de cuidados com a criança e, muitas vezes, sobrecarregada, solicitavam por acolhimento e ajuda para lidarem melhor com seus filhos.

Cerca de 30 crianças já passaram pela avaliação psicológica para confirmação ou descarte do TEA. Aquelas com diagnóstico confirmado, podem seguir sendo acompanhadas pela Psiquiatria infantil do CAPS. Com a implementação dessa prática, a avaliação diagnóstica do TEA passou a contar com o conhecimento e olhar clínico do profissional de Psicologia, além das escalas para dar maior embasamento ao processo avaliativo.
Quanto ao grupo, ainda falta aderência de muitos familiares. Muitas mães não contam com rede de apoio, e relatam dificuldade de irem ao Caps para participar. Para outras famílias, ainda falta um despertamento e conscientização sobre seu papel primordial na evolução do filho.

Capacitação profissional é fundamental para lidar com questões tão específicas como são as que norteiam o Oficina de Estimulação Cognitiva como estratégia de cuidado ampliado para indivíduos com dependência de álcool.

Principal

Taiza de Oliveira Melo

taizamelopsi@gmail.com

Psicólogo

Coautores

Taiza de Oliveira Melo

A prática foi aplicada em

Itatiaia

Rio de Janeiro

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Rua Wanderbilt Duarte de Barros, n. 848, Jardim Itatiaia

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Taiza de Oliveira Melo

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

19 fev 2024

e atualizada em

19 fev 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Estruturação do cuidado em saúde mental de crianças e adolescentes vítimas de violência
Rio de Janeiro
Práticas
Estruturação da Rede de Cuidado para a Atenção às Crianças e Adolescentes com TEA e suas famílias
Rio de Janeiro
Práticas
O novo “habitar” das residências terapêuticas de Rio Bonito
Rio de Janeiro
Práticas
Matriciamento. Saúde Mental e Atenção Primária produzindo vida nos territórios onde a vida acontece.
Rio de Janeiro
Práticas
Acolhimento Qualificado na urgência hospitalar: integrando a saúde mental em volta redonda
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina de jogos e desenho /CAPS AD
Rio de Janeiro
Práticas
EMBELEZE-SE: Diálogos sobre desigualdades, gênero, sexualidade e padrões de beleza
São Paulo