Olá,

Visitante

Automatização do Boletim Diário Covid-19 no Estado da Paraíba

Esse trabalho consiste em um relato de experiência, sobre a automatização do tratamento de dados Covid-19 para elaboração de boletins epidemiológicos Covid-19. O estado da Paraíba possui uma população estimada de 4.059.905 habitantes, distribuídos em 223 municípios, que compõem as 12 Gerências Regionais de Saúde. Para definição de caso seguiu-se o Guia de Vigilância Epidemiológica Covid-19. Assim, o fluxo de dados inicia-se com a notificação de cada caso suspeito de Covid-19 nos sistemas de informação, e-SUS Notifica para casos leves e moderados e Sivep Gripe para casos graves. Esses dados são disponibilizados pelo Ministério da Saúde, por meio da Application Programming Interface (API) e consumidos pela área técnica. Em integração com a vigilância e tecnologia, foram criados scripts em linguagem python atendendo as definições de casos Covid-19.Por se tratar de um relato de experiência, este estudo não foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa, mas ressalta-se que foram atendidos os preceitos éticos da Resolução nº 466/12.

A pandemia causada pelo SARS-CoV-2 impactou o cenário de saúde em todos os aspectos, inclusive no quesito análise de dados em saúde, devido a crescente quantidade de dados, maior velocidade e novas fontes de dados. Na Epidemiologia, há a necessidade de ferramentas que facilitem o manuseio desses dados para análise dos perfis epidemiológicos que auxiliam em tomadas de decisão. Nessa vertente, uma das etapas da análise envolve o tratamento do dado, onde se torna imprescindível a ocorrência do tratamento qualificado para que resulte em informação correta. O processamento de dados na vigilância epidemiológica ocorre por meio de software de planilhas eletrônicas, entretanto nesse cenário de pandemia, o estado da Paraíba necessitou aperfeiçoar o processamento de dados e gerenciamento de um volume maior de dados relacionados a Covid-19.

Recomenda-se integração dos setores de vigilância e tecnologia para aperfeiçoamento de dados referentes a Covid-19, para automatização do boletim diário. Diariamente os scripts são executados para contabilização de casos Covid-19, em tempo hábil com informação segura contribuindo na qualificação do processo de vigilância no monitoramento deste agravo. Desse modo, estratégias podem ser desenvolvidas para aprimorar esse fluxo e sugere-se continuidade desse trabalho para outros agravos, com intuito de otimizar as análises de situação de saúde e tomadas de decisão necessárias na saúde pública.

Principal

Silmara Pereira de Lima

silmaralimaspl@gmail.com

A prática foi aplicada em

Paraíba

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Fernanda Carolina Rodrigues Vieira

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Um surto, um susto, uma superação: relato de experiência sobre o eurto da gripe a (H1N1) em Pedra Branca (CE)
Ceará
Práticas
Elimina Dengue: Intervenções e valorização do servidor em um município prioritário (Anchieta) no combate à dengue
Espírito Santo
Práticas
Ações Compartilhadas de Vigilância em Saúde: uma Estratégia de Integração Entre Vigilância e Atenção Primária
Mato Grosso do Sul
Práticas
Bota fora da dengue em primavera
São Paulo
Práticas
Usando uma Escala de Risco Familiar Baseada na Ficha A: Relato de Um Agente Comunitário de Saúde
Paraíba
Práticas
Processo de Informatização no Trabalho do Agente de Combate Às Endemias em Queimadas-Pb
Paraíba
Práticas
A Construção do Sistema de Monitoramento do Covid-19 Como Um Instrumento de Apoio a Gestão e Controle Social na Sms Petrópolis – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Integralidade da Atenção À População em Situação de Rua de Niterói (Rj) na Pandemia de Covid: Prevenção de Surtos e Promoção do Cuidado
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto Saúde em Foco
Rio de Janeiro
Práticas
Intersetorialidade no diagnostico e combate de arboviroses na pandemia
Rio de Janeiro