Olá,

Visitante

Atenção Primária a Saúde na Testagem e Contigenciamento do Covid 19 Numa Comunidade de São Gonçalo-Sg

A Organização Mundial da Saúde foi informada, em 31 de dezembro de 2019, que na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China, havia casos de pneumonia de etiologia desconhecida e em 12 de janeiro de 2020 foi confirmado que um novo tipo de Coronavírus estava circulando. Os coronavírus estão, em geral, associados a síndromes gripais e sua sintomatologia da infecção varia desde um resfriado comum até síndromes respiratórias graves. O que mudou no cenário de 2019/2020 é que os casos estão relacionados a uma nova variante desse vírus, denominada 2019-nCoV, recentemente renomeada COVID-19, que não era encontrada em humanos. No Brasil, o Ministério da Saúde, em 3 de fevereiro de 2020, declara Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional em decorrência do cenário mundial. O primeiro caso notificado, no entanto, só ocorreu no dia 26 desse mesmo mês no estado de São Paulo.O município de São Gonçalo é o segundo mais populoso do Estado do Rio de Janeiro, possuindo uma população estimada em 2019 de 1.084.839 habitantes, distribuída em uma área territorial de 248,160 km² distribuído em cinco distritos, que são São Gonçalo Centro, Monjolos, Ipiíba, Neves e Sete Pontes. Em Monjolos está situado um dos maiores loteamentos populares da América Latina, o bairro Jardim Catarina, que em 2017, possuía 73.493 mil habitantes, cujo possui alta concentração demográfica e dificuldade de acesso à saneamento básico, características que podem propiciar aumento do contágio na região.Os objetivos desse estudo foram realizar o teste rápido de SARS-COV-2 na população do bairro do Jardim Catarina, analisar o perfil da população testada e implantar o plano de contingência com reorganização dos serviços de saúde da Atenção Primária à Saúde.O estudo é um relato de experiência da gestão municipal da Atenção Básica em conjunto com o setor de Vigilância Epidemiológica do município de São Gonçalo. O bairro do Jardim Catarina possui um Polo Sanitário, o Jorge Teixeira de Lima, que é a unidade de saúde de referência da localidade que possui serviços ambulatoriais e de Atenção Básica com diversos profissionais da saúde, entre eles médicos clínicos e especialistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, educadores físicos, psicólogos, assistentes sociais, dentistas, auxiliares bucais. Além dessa unidade, há 8 unidades de saúde da família com um total de 17 equipes de estratégia da saúde da família que cobrem a região. 2 de junho a 3 de julhoOs testes rápidos de SARS-COV-2 foram realizados no Polo Sanitários Jorge Teixeira de Lima entre 3 de junho a 3 de julho por enfermeiros e técnicos de enfermagem à pessoas com sintomáticas e assintomáticas. Para a sua realização, foram disponibilizados treinamento sobre como realizar o teste e conduta a ser tomada em caso de positivo aos médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem pelo Núcleo de Educação Permanente da Secretaria de Saúde juntamente com gestão da Atenção Básica e Vigilância Epidemiológica, testes rápidos, equipamentos de proteção individual como máscaras cirúrgicas, face shield, álcool 70%, avental, toucas e luvas descartáveis e transporte para realizar testes em domicílio em pessoas domiciliadas. Foi realizado o teste rápido SARS-COV-2 em 7684 mil pessoas moradoras do bairro do Jardim Catarina – SG, sendo 4738 mulheres, 2944 homens e 2 não informados

O bairro Jardim Catarina em São Gonçalo é um dos maiores loteamentos populares da América Latina, com 73.493 mil habitantes, o que significa alta concentração demográfica com dificuldade de acesso à saneamento básico e baixa escolaridade. Esses fatores descritos combinados com a pandemia de coronavírus no Brasil e no mundo, podem propiciar um local de alto contágio e disseminação do vírus SARS-COV-2.

É necessário conhecer o perfil da população brasileira para realizar as melhores decisões sobre o contingenciamento e organização dos serviços de saúde para atender a demanda da pandemia do covid-19. No que diz respeito ao Jardim Catarina, é um local que pode ser comparável a outros que possuem as mesmas características no estado do Rio de Janeiro e fora dele, portando as ações realizadas podem ser reproduzidas por outros gestores com a intenção de conscientizar sobre o contágio do vírus SARS-COV-2 e conhecer o perfil da população mais afetada direcionando melhor os cuidados.

Principal

Maria Auxiliadora Rodrigues

enfmado@gmail.com

A prática foi aplicada em

São Gonçalo

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

RUA CARIRANHA, 100, JARDIM CATARINA, SÃO GONÇALO

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Maria Auxiliadora Rodrigues

Conta vinculada

enfmado@gmail.com

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Laboratorio Vivo Fortalecendo Intersetorialidade na Prevenção das Arboviroses em Junco do Serido/Pb.
Paraíba
Práticas
Vigilancia em Saude e Saúde na Escola: uma Parceria de Sucesso no Municipio de Queimadas-Pb
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Laboratorial do Lacen-Pb: Um Relato de Experiência
Paraíba
Práticas
A Feira Livre de Esperança-Pb: Vigilância Sanitária e As Ações de Prevenção e Combate À Covid-19
Rio de Janeiro
Práticas
Ferramentas Tecnológicas Aplicadas no Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Laboratorial do Lacen-Pb
Paraná
Práticas
Medidas Sanitárias Aplicada ao Controle Datransmissão da Leishmaniose Animal
Paraíba
Práticas
Fortalecimento e Ampliação da Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica Hospitalar na Paraíba
Paraíba
Práticas
Covid 19 – Experiência de Enfrentamento das Arboviroses, Combatendo As Endemias Durante a Pandemia
Rio de Janeiro
Práticas
Novas Estratégias para o Monitoramento e a Fiscalização das Práticas de Segurança do Paciente pela Vigilância Sanitária nos Hospitais do Distrito Federal.
Distrito Federal
Práticas
Experiência de Integração Intersetorial no Controle ao Aedes Aegypti e Bloqueio da Doença Chikungunya no Município de Cunha Porã, Sc.
Santa Catarina