Olá,

Visitante

Ampliação da oferta da Abordagem Intensiva ao Fumante na Atenção Primária à saúde, por meio da incorporação de profissionais do Nasf e das academias da cidade em Belo Horizonte

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA Incorporar outras categorias profissionais, NASF e da AC, às equipes que realizam a AIF.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS: Após reuniões de planejamento e sensibilização das equipes do NASF e das AC, os profissionais de saúde foram capacitados na AIF. Essa abordagem é baseada nas técnicas cognitivo-comportamentais através de grupos de fumantes ou de forma individual, com 10 sessões, destinados aos fumantes motivados e que não conseguiram parar de fumar com abordagens breves. Esta forma de tratamento é acompanhada da prescrição medicamentosa e manuais de apoio, os quais são fornecidos pelo INCA/MS. Os fumantes foram captados por busca ativa realizada pela ESF, em consultas, acolhimentos e visitas domiciliares, ou por demanda espontânea dos usuários. O Programa de Controle do Tabagismo (PCT) foi responsável pelas capacitações, em um processo de Educação Permanente, monitorando as ações desenvolvidas e a gestão dos insumos.

O tabagismo é a principal causa evitável de morte no mundo, segundo a OMS, e um importante fator de risco para as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). No VIGITEL 2012, a prevalência de fumantes em maiores de 18 anos em Belo Horizonte (BH) foi de 12,5% e a média nacional 12,1%. Em 2016, 8,9% e 10,4%, respectivamente. Em 2012, apenas 21,1% Centros de Saúde (CS) realizavam a Abordagem Intensiva aos Fumantes (AIF), devido à demanda excessiva das equipes da Estratégia de Saúde da Família (ESF). Em virtude dessa baixa cobertura, optou-se pela incorporação de outros profissionais, Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) e Academias da Cidade (AC), às equipes que realizam esta atividade.

INDICADORES/VARIÁVEIS/COLETA DE DADOS: Na coleta de dados, foram utilizadas as Planilhas de Prestação de Contas do INCA/MS, o Prontuário Eletrônico (Sistema Saúde em Rede – SISREDE) e um extrator das informações eletrônicas obtidas nos acolhimentos realizados pela ESF.Os principais indicadores foram: número (nº) de CS com AIF, nº de fumantes atendidos e de profissionais capacitados. OBSERVAÇÕES/AVALIAÇÃO/MONITORAMENTO: O monitoramento utilizou instrumentos padronizados pelo INCA/MS e pelo PCT. Para o preenchimento das planilhas, utilizou-se o Google Drive, para garantir agilidade das informações dos 152 CS. Para o controle de insumos, o módulo Farmácia do SISREDE, que registra as dispensações dos medicamentos para cada usuário.

A inserção dos profissionais dos NASF e das AC às equipes que realizam a AIF nos CS foi uma estratégia fundamental para o aumento do nº de fumantes, que receberam tratamento para a cessação do tabagismo. Esta experiência evidenciou que é possível aumentar a efetividade das ações de promoção à saúde, através de iniciativas simples, bem articuladas e sem grandes investimentos, dentro da própria rede de Atenção Básica. O aumento do acesso de usuários à cessação do tabagismo é uma importante intervenção para a melhoria da qualidade de vida, prevenção das DCNT e redução da mortalidade.

Principal

Taciana Malheiros Lima Carvalho

tabagismo@pbh.gov.br

A prática foi aplicada em

Belo Horizonte

Minas Gerais

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Avenida Afonso Pena, 2336

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Taciana Malheiros Lima Carvalho

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

20 mar 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
PROJETO PRIMEIROS SOCORROS E PREVENÇÃO DE ACIDENTES NAS ESCOLAS – LEI LUCAS
Rio de Janeiro
Práticas
Consciência Vacinal: fortalecendo as estratégias e combatendo a desinformação para o cumprimento do calendário de vacinação de crianças no município de São Francisco-PB.
Paraíba
Práticas
Dengue: uma abordagem além do combate ao vetor nos centros de educação infantil
Rio de Janeiro
Práticas
Imunização na Zona Rural, em áreas de difícil acesso: Projeto Vacina Volante
Maranhão
Práticas
A importância da equipe multidisciplinar no tratamento e no cotidiano dos pacientes com Fibromialgia de Itatiaia-RJ
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto “Saúde Aqui: Relato de Experiência”
Tocantins
Práticas
Projeto Viva Mais, práticas de exercícios físicos e orientações nutricionais com princípios funcionais para a melhoria de qualidade de vida no município de Ourém (PA)
Pará
Práticas
Combatente municipal – escola e comunidade livres do Aedes Aegypti
Amazonas