Olá,

Visitante

A Vigilância Ambiental e o Enfrentamento da Febre Amarela Silvestre Baseada nos Pilares da Integralidade das Ações Públicas no Município de Maricá no Período de 2017-2018

OBJETIVOS:Monitoramento e identificação do evento sentinela realizado pela Vigilância Ambiental (VIAMB) associada ao programa de imunização da população de Maricá contra a Febre Amarela, com o apoio de demais secretarias municipais amplificando as ações.METODOLOGIA:Com o avanço dos casos de Febre Amarela na Região Sudeste, a Vigilância Ambiental Municipal, em fevereiro de 2017, alertou a equipe do Grupamento de Defesa Ambiental, que após sua imunização foi orientada a realizar incursões periódicas nas matas do município a procura de sinais. A partir disso toda a rede de saúde foi acionada, gerando ações que pudessem mapear a movimentação do vírus. Houve planejamento de um cinturão de Bloqueio vacinal nas fronteiras do município com auxílio conjunto das secretarias de segurança, comunicação, transporte, além do GDA, VIAMB e a equipe da Fiocruz auxiliada pelo pesquisador e presidente da Sociedade Brasileira de Primatologia, Danilo Simonini Teixeira.

A febre Amarela é uma doença infecciosa viral aguda, cuja estratégia de vigilância se baseia no monitoramento de primatas não humanos e vacinação humana em áreas de risco.Mosquitos silvestres arbóreos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem a doença no ciclo silvestre. Em condições ideais para transmissão, um número maior de macacos adoece e morre, alertando a sociedade na forma de epizootia.

O Trabalho conjunto da Secretaria de Saúde via Vigilância em saúde associada às ações integradas de demais secretarias pode proporcionar uma identificação rápida do primeiro e único caso através do evento sentinela, e consequentemente a proteção imunológica da população, que não apresentou mais casos suspeitos.Foi demonstrado que ações integralizadas tanto do poder público com auxílio da sociedade civil resultam em ganhos pra toda a população.

Principal

Micheli de Moraes Ferreira

michelimedvet@yahoo.com.br

A prática foi aplicada em

Maricá

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Av. Roberto Silveira, 43

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Micheli de Moraes Ferreira

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

03 ago 2020

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Qualificação do Sistema de Informação Sobre Mortalidade (Sim) – uma Questão de Estratégia
Pará
Práticas
Detecção Precoce da Hanseníase: a Eficácia da Triagem de Pele, Realizada por Técnicos de Enfermagem do Ecg na Atenção Primária de Saúde
Minas Gerais
Práticas
Vigilância em Saúde do Trabalhador e Trabalhadora na Atenção Básica
Práticas
Implantação de Instrumento Eletrônico no Monitoramento de Covid-19em Venda Nova do Imigrante
Espírito Santo
Práticas
Programa Saúde do Trabalhador: Vigilância em Saúde Interprofissional no Município de Rio do Sul,Sc
Rio Grande do Sul
Práticas
Monitoramento Remoto: Garantindo a Vigilância em Saúde de Pacientes em Isolamento Domiciliar com Sars-Cov-2
Paraíba
Práticas
Vigilância em Saúde do Trabalhador: Conflitos no Ambiente de Trabalho e a Saúde Mental
Mato Grosso
Práticas
Surto de Covid em Embarcação: Relato da Experiência Vivenciada pela Vigilância em Saúde de Cabedelo.
Paraíba
Práticas
Controle da Leishmaniose Visceral Canina no Município de Zabelê, Paraíba, Brasil.
Paraíba
Práticas
Momento Cuidar
Paraíba