Olá,

Visitante

A Vigilância Ambiental e o Enfrentamento da Febre Amarela Silvestre Baseada nos Pilares da Integralidade das Ações Públicas no Município de Maricá no Período de 2017-2018

OBJETIVOS:Monitoramento e identificação do evento sentinela realizado pela Vigilância Ambiental (VIAMB) associada ao programa de imunização da população de Maricá contra a Febre Amarela, com o apoio de demais secretarias municipais amplificando as ações.METODOLOGIA:Com o avanço dos casos de Febre Amarela na Região Sudeste, a Vigilância Ambiental Municipal, em fevereiro de 2017, alertou a equipe do Grupamento de Defesa Ambiental, que após sua imunização foi orientada a realizar incursões periódicas nas matas do município a procura de sinais. A partir disso toda a rede de saúde foi acionada, gerando ações que pudessem mapear a movimentação do vírus. Houve planejamento de um cinturão de Bloqueio vacinal nas fronteiras do município com auxílio conjunto das secretarias de segurança, comunicação, transporte, além do GDA, VIAMB e a equipe da Fiocruz auxiliada pelo pesquisador e presidente da Sociedade Brasileira de Primatologia, Danilo Simonini Teixeira.

A febre Amarela é uma doença infecciosa viral aguda, cuja estratégia de vigilância se baseia no monitoramento de primatas não humanos e vacinação humana em áreas de risco.Mosquitos silvestres arbóreos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem a doença no ciclo silvestre. Em condições ideais para transmissão, um número maior de macacos adoece e morre, alertando a sociedade na forma de epizootia.

O Trabalho conjunto da Secretaria de Saúde via Vigilância em saúde associada às ações integradas de demais secretarias pode proporcionar uma identificação rápida do primeiro e único caso através do evento sentinela, e consequentemente a proteção imunológica da população, que não apresentou mais casos suspeitos.Foi demonstrado que ações integralizadas tanto do poder público com auxílio da sociedade civil resultam em ganhos pra toda a população.

Principal

Micheli de Moraes Ferreira

michelimedvet@yahoo.com.br

A prática foi aplicada em

Maricá

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Av. Roberto Silveira, 43

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Micheli de Moraes Ferreira

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

03 ago 2020

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Estudo das infecções do trato urinário na população de Queimadas (PB) atendida pelo SUS
Paraíba
Práticas
VIVER BEM É SER SAUDÁVEL: ACOMPANHAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO-TRANSMISSIVEIS
Paraíba
Práticas
Vigilância Epidemiológica: relato de experiência sobre a operacionalização do trabalho no município de Quatis
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação antirrábica animal itinerante – a vigilância ambiental em saúde vai até você!
Rio de Janeiro
Práticas
Estratégia de rodízio para ampliação do acesso da população às vacinas com apresentação multidoses
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto agrotóxicos: Um olhar consciente
Paraíba