Olá,

Visitante

A Importância do Trabalho Multiprofissional e Intersetorial no Sim para as Vacinas

Categoria não especificada

Apresentação e contextualização. Salto Veloso é um município localizado na região meio-oeste catarinense, com uma população de 4.301 habitantes. O município possui duas equipes de saúde da família (ESF), com cobertura de 100% do território. Várias são as ações de imunização realizadas, entre elas: campanhas informativas de comunicação, fortalecimento da rede, busca ativa, ações integradas e articuladas entre setores. De acordo com dados recentes, a cobertura vacinal do município em 2022 obteve um aumento importante em comparação com 2018 (88,11%), alcançando 100% da cobertura vacinal para todas as vacinas do calendário nacional de vacinação de crianças e adolescentes. No entanto durante a pandemia da COVID-19 fake news sobre as vacinas inundaram o dia a dia da população fazendo com que gerasse desconfiança na aplicação de todos os imunobiológicos. Os dados da pesquisa ImunizaSUS oferecem uma oportunidade para refletir sobre as soluções e direções possíveis para lidar com a desinformação sobre vacinas, como sensibilizar os profissionais de saúde e capacitá-los a lidar com argumentos antivacina. Com base nessas informações, foram criadas sete Estratégias de Fortalecimento das Ações de Imunização que incluem o engajamento de atores sociais, líderes e técnicos no SIM para a vacina. Identificação de problemas e desafios. Tendo em vista a Pesquisa ImunizaSUS e a reflexão sobre os problemas e desafios das ações de imunização, é possível identificar três desafios mais relevantes para o aumento das coberturas vacinais no município de Salto Veloso: hesitação vacinal em 2023; capacitação e educação permanente dos profissionais; ações de comunicação e campanhas de vacina voltadas à população. Estratégias. As sete Estratégias de Fortalecimento das Ações de Imunização de Salto Veloso são: Estratégia 1: Divulgação semanal de incentivos à vacinação através de vídeos e imagens no perfil do Instagram da Prefeitura Municipal de Salto Veloso e instagram particular dos profissionais de saúde da UBS. Estratégia 2: Treinamento sobre Política Nacional de Imunização e sua aplicação nas rotinas de trabalho dos ACS E ACE; Estratégia 3: Questionário de Percepção do Profissional de Saúde sobre Vacinação; Estratégia 4: Fixação de Cartazes na UBS e em pontos estratégicos do município; Estratégia 5: Vídeo de conscientização. Vídeo Institucional da Campanha 2023: Vacina Salvam Vidas; Estratégia 6: Solicitação de Capacitações para o Ministério da Saúde. Estratégia 7: Fact-cheking sobre vacinação. “Confie em quem sabe: Verificação de fatos sobre vacinação pelos especialistas da UBS”. Considerações finais. Com base nos dados da pesquisa ImunizaSUS, podemos concluir que há vários fatores que influenciam as mudanças comportamentais de uma sociedade e seus padrões. Diante disso, destacar atores sociais do território em mídias é fundamental para transmitir a importância da segurança e eficácia das vacinas, como enfatizamos em nosso vídeo “Vacinas Salvam Vidas”. Por fim, vislumbramos o resgate sensorial através da emoção ao lembrar que geração bem próxima de nós cuidou da carteira vacinal como o registro de nascimento de uma criança. Nosso sonho é ainda ver essa cena: a carteira vacinal como um DOCUMENTO de grande valia.

Tendo em vista a Pesquisa ImunizaSUS e a reflexão sobre os problemas e desafios das ações de imunização, é possível identificar três prioridades do programa nacional mais relevantes que se enquadram na realidade do município de Salto Veloso para o aumento das coberturas vacinais: Hesitação vacinal em 2023; Capacitação e educação permanente dos profissionais; Ações de comunicação e campanhas de vacina voltadas à população.

O planejamento e implementação de novas estratégias para vacinação foram necessárias devido ao cenário vacinal nos primeiros meses de 2023, marcado pelo aumento da busca ativa e resistências pontuais nas coberturas vacinais de controle, um cenário nunca visto até então pelo setor de imunização em Salto Veloso. Outro ponto foi a resistência dos pacientes adultos na vacinação de rotina, antes de fácil aceitação e a alta rotatividade de munícipes que chegam e estabelecem domicílio, às vezes sem organização e cumprimento da carteira vacinal básica de controle. Também, outro fato importante neste contexto, foram as “fake news” e o contexto social em torno da vacina do Covid-19. Desta forma, o objetivo das Estratégias é aumentar a cobertura vacinal da população de Salto Veloso, e ainda a ressignificação de crenças pessoais e coletivas da população sobre a importância e segurança das vacinas. O melhor resultado que se pode esperar das estratégias já empregadas e planejadas para este ano é ver de novo os pais e a população em geral guardando a carteira de vacinação como um documento de grande valia. Segue sete Estratégias de Fortalecimento das Ações de Imunização de Salto Veloso: Estratégia 1: Divulgação semanal de incentivos à vacinação através de vídeos e imagens no perfil do Instagram da Prefeitura Municipal de Salto Veloso e Instagram particular dos profissionais de saúde da UBS. Segue abaixo algumas postagens que já foram realizadas em 2023: Postagem de vídeo de apresentação da sala de vacina e dos profissionais envolvidos na imunização; Postagens de imagens do Zé Gotinha com frases da campanha “Vacinas salvam vidas, acredite na ciência e não em fake news”, com simbologias da nossa UBS; Divulgação com o personagem Zé Gotinha presente nas escolas, esporte, oficinas da casa da cultura e Cras, diversas secretarias do município, clube do idoso empresas e comércios da cidade para ressaltar a importância da vacinação de toda população; Postagem em formato carrossel de imagens com textos sobre a segurança das vacinas; Postagens de Imagens com frases do movimento nacional de vacinação “Vacina é vida, vacina é para todos; Postagem de vídeo das Agentes Comunitárias de Saúde (ACS) circulando dentro da UBS e no território, falando sobre a importância das vacinas. Postagens de vídeos com depoimentos de usuários e profissionais reforçando a vacinação. https://drive.google.com/drive/folders/1cPp6RT8e4CEEYTPnkTLFkyfd0F_tmi-q?usp=sharing https://www.instagram.com/reel/Cq8Hrk9AP7C/?utm_source=ig_web_copy_link https://www.instagram.com/p/CqvD5zngeR0/?utm_source=ig_web_copy_link https://www.instagram.com/p/CqoAAzBvokt/?utm_source=ig_web_copy_link https://www.instagram.com/p/Cqn_1rAPYZA/?utm_source=ig_web_copy_link https://www.instagram.com/p/Cqn_hUDvfH2/?utm_source=ig_web_copy_link https://www.instagram.com/reel/CqIjrhhJsXO/?utm_source=ig_web_copy_link https://www.instagram.com/reel/CqGoIXbuSSl/?utm_source=ig_web_copy_link https://www.instagram.com/reel/Cp2jnRZvldl/?utm_source=ig_web_copy_link Estratégia 2: Treinamento sobre Política Nacional de Imunização e sua aplicação nas rotinas de trabalho dos ACS E ACE O primeiro treinamento para ACS E ACE ocorreu em formato presencial nos dias 20 e 27 de março de 2023, com duração total de 8 horas. A capacitação foi ministrada pela Enfermeira responsável pelo Setor de Imunização, juntamente com a preceptora do curso Saúde com Agente. As temáticas abordados foram: Seriedade e segurança da PNI; Fluxos vacinais; Necessidade de atingir metas, para efetivar a imunização da população; Importância da postura profissional para o sim da vacina. Ao final do treinamento, foram identificadas as percepções dos ACS sobre as hesitações da comunidade em relação à vacinação. Com base nesse levantamento, foi desenvolvido um questionário para ser aplicado em profissionais de saúde que atuam no setor de saúde do município, conforme descrito na estratégia 3. Estratégia 3: Questionário de Percepção do Profissional de Saúde sobre Vacinação A partir das percepções dos ACS E ACE sobre hesitação vacinal relatadas no Treinamento sobre Política Nacional de Imunização e sua aplicação nas rotinas de trabalho dos ACS E ACE (estratégia 2)”, foi elaborado um questionário intitulado “Questionário de Percepção do Profissional de Saúde sobre Vacinação” para ser aplicado em profissionais que atuam no setor da saúde. . O objetivo do questionário foi analisar o que se projeta como “novo” conceito sobre segurança das vacinas após a indústria de fake news e como reorganizar os treinamentos de lideranças acerca do assunto, para que se ouça de novo: sim para a vacina. No total, oito ACS e ACE foram capacitadas para realizar a aplicação do questionário de forma presencial por meio de entrevista. Foram entrevistados 47 colaboradores de diferentes setores da secretaria de saúde. O questionário foi anônimo e facultativo, o que permitiu que os profissionais optassem por não responder. As perguntas foram objetivas, com a possibilidade de acrescentar informações descritivas e complementares ao final no campo observações. As perguntas foram direcionadas para as temáticas relacionadas à segurança vacinal e acerca das dúvidas sobre efeitos adversos pós-vacinais. Resultados do Questionário de Percepção do Profissional de Saúde sobre Vacinação Foram convidados a participar da pesquisa 47 funcionários do setor de saúde de Salto Veloso. A adesão foi de 95,7% (n=45), sendo que dois funcionários se recusaram a responder o questionário. A idade mediana dos participantes foi de 38,50 anos e o tempo de atuação profissional de 9 (5-15) anos. Os respondentes incluíram médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentistas, ACS, ACE, motoristas e setor de transporte de pacientes,recepcionistas, fisioterapeutas, nutricionista, psicóloga, fonoaudiólogo, pediatra, psiquiatra, secretárias e auxiliares, digitador, diretora e gestores de saúde. Dos 47 participantes, 62,8% (n=28) afirmaram ter total segurança em tomar vacinas, enquanto 42,2% (n=19) indicaram ter dúvidas acerca dos efeitos adversos pós-vacinais. No que se refere aos efeitos pós-vacinais, 31,1% (n=14) dos participantes afirmaram ter dúvidas, 31,1% (n=14) reportaram que elas surgiram após outras pessoas terem experimentado possíveis reações. Além disso, 20% (n=9) dos participantes indicaram que as informações divulgadas pela mídia, que negavam ou amedrontavam sobre os possíveis efeitos das vacinas, contribuíram para o surgimento de suas dúvidas. Por fim, 24,4% (n=11) dos participantes relataram que suas dúvidas surgiram após terem ouvido falar sobre a associação da vacina com o desenvolvimento de outras doenças. Após a análise em subgrupos, foi possível observar que 89,3% (n=25) dos profissionais que têm total segurança nas vacinas não têm dúvidas sobre os efeitos adversos pós-vacinais. Por outro lado, 94,1%(n=16) dos profissionais que têm dúvidas sobre os efeitos pós-vacinais não têm segurança na vacina. Ao término do questionário, 20 participantes registraram algumas observações, conforme transcrito abaixo: Participante 1: “Tenho dúvidas sobre vacina da covid”. Participante 2: “Tenho insegurança com a vacina da covid para menores de 5 anos”. Participante 3: “Tomo as vacinas recomendadas, mas não confio totalmente nas vacinas mais recentes. Acredito que nada é 100%”. Participante 4: ”Tenho medo da vacina da covid…, pois li alguns relatórios sobre abortos espontâneos devido a vacina”. Participante 5: ”Acho importante a vacina mas tenho receio pela rapidez que foram feitas”. Participante 6: “Os pacientes devem ser orientados da forma correta, através de informações baseadas em evidências e em estudos científicos. As fake news tem nos atrapalhado bastante nesse sentido, já que informações falsas acabam sendo disseminadas. Nós como profissionais da saúde devemos passar informações corretas, somente baseadas em evidências e não propagar notícias falsas”. Participante 7: “Em cada consulta ressalto a importância de manter a vacinação em dia, mas sempre deixo o paciente à vontade para decidir.” Participante 8: “O que tenho de dúvida sobre a vacina esclareço na hora com a enfermeira” Participante 9: “Acredito que é importante sempre ressaltar a importância de todas as vacinas. Evidenciando que só conseguimos evoluir como sociedade, por causa das imunizações. Sempre é importante encorajar os pacientes a se vacinarem”. Participante 10:”Acho que faltam mais estudos científicos, principalmente da vacina contra covid.” Participante 11: “…Se todas as vacinas são eficazes, todos devem tomar”. Participante 12: ”Tenho total confiança nas vacinas mas como frequência temos contato com pessoas que relataram efeitos colaterais principalmente da vacina covid. Participante 13: “Eu só tenho insegurança na vacina da covid” Participante 14: “Tenho insegurança a dar para os meus filhos devido às condições de saúde dele”. Participante 15: “Minha insegurança é na vacina contra covid”. Participante 16: “Muitos profissionais de renomes são contra a vacina, isso me deixa inseguro. Participante 17: “Fico com duvida em relação a vacina do covid” Participante 18: “Só não tenho segurança da vacina do covid” Participante 19: “Tenho dúvidas sobre a vacina contra covid” Participante 20: “Menos do covid (sobre ter segurança)…falha eficácia – inclusive de médicos! Mesmo tomando vacina…pegou e agravou. Com intuito de potencializar a discussão dos resultados, quatro profissionais da área de saúde que estão envolvidos nas ações para o fortalecimento das ações de imunização em Salto Veloso, discutiram suas percepções em relação aos primeiros resultados da aplicação do instrumento. Segue abaixo as transcrições: Profissional 1: “A minha percepção em relação aos resultados do questionário é que o número de 62,8% que afirma ter segurança é muito baixo, considerando que estamos tratando de vacinas em geral. Se fosse apenas em relação à vacina contra a Covid-19, por ser a mais recente, eu entenderia. O percentual de pessoas que têm dúvidas sobre os efeitos colaterais é altíssimo, apesar de termos vacinas antigas com inúmeros dados científicos. No contexto do trabalho, destacamos que nunca houve relato de efeito colateral grave da vacinação no nosso município. Por isso, considero esse número de 42% de profissionais com dúvidas dos efeitos pós-vacinais muito alto. Penso que precisamos fazer mais, porque somos nós, profissionais da área de saúde, que encorajamos nossos munícipes a se vacinarem, tanto eles mesmos quanto seus filhos e avós. Como já mencionei anteriormente, seria aceitável se esse percentual de 42% fosse específico para a vacina contra a Covid-19, já que ainda há muito a ser comprovado e estudado sobre ela para que as pessoas realmente se sintam seguras. Eu confio na vacina contra a Covid-19 e fiz todas as doses, mas entendo que é importante fazermos um trabalho com nossos profissionais para encorajar a nossa população a ter confiança e acreditar em todas as vacinas do calendário, que são preconizadas pelo PNI há muitos anos, como a vacina contra a poliomielite, como mostrado no nosso vídeo.” Outra coisa que eu acho bem importante ressaltar é que não temos queixas e mesmo nesses questionamentos, por mais que não colocamos nas perguntas para os profissionais se tiveram reação adversa ou não. A gente não vê nossos profissionais citarem que tem dúvida na confiabilidade ou tem dúvida por que tiveram efeitos adversos mais graves. Então acho bem importante ressaltar isso que ninguém coloca aí a sua dúvida aos seus questionamentos em cima de efeitos adversos que tiveram dessas vacinas …a gente não vê queixas frequentes dos profissionais. ….eu tomei a vacina do tétano, tomei a vacina da meningite, do covid mesmo e tive uma reação grave, como eu falei, as reações que a gente tem de relato são reações esperadas e reações leves. Profissional 2: “Me chama a atenção o número elevado de funcionários que responderam ao questionário. Acho que o percentual de 62,8% de confiança nas vacinas é relativamente baixo, considerando que se trata de profissionais com opinião formada. Isso afeta a opinião dos pacientes. E acho que o percentual de 42,2% de profissionais de saúde com dúvidas acerca dos efeitos pós-vacinal é elevadíssimo. Os percentuais de dúvidas mostram a necessidade de mais informações. É preciso uma divulgação confiável sobre os efeitos pós-vacinais, documentados pela ciência, bem como sobre a associação de novas doenças ou potencialização de doenças pré-existentes por conta das vacinas. Acredito que esses percentuais precisam de mais divulgação por parte de laboratórios e empresas, mais confiabilidade nesses dados ou mais exposição desses dados. Acho que as informações da mídia são importantíssimas, pois 20% dos que têm dúvida na vacinação tiveram a sua confiança abalada por conta das fake news. E para mim, um fator muito importante são as observações dos profissionais. As vacinas de rotina devem ser o foco principal, bem como nao atrelar nossos dúvidas dessas como temos para as vacinas de COVID-19 treinamentos do Ministério da Saúde, tanto na orientação, condução e efeitos pós-vacinais, quanto no novo contexto que ela trouxe, os paradigmas para o setor da vacina. É preciso considerar as observações individuais de cada profissional de saúde, a palavra “dúvidas” por conta da vacina da COVID-19 aparece com muita frequência. Se isso é um fenômeno por conta do contexto sociopolítico que essa vacina trouxe, se faz necessário alguma estratégia de treinamento para reavaliar e refazer as crenças, especialmente nos profissionais de saúde.” Profissional 3: “Acredito que esse percentual de profissionais que falaram que tem dúvidas acerca da aplicação das vacinas e dos sintomas pós vacinais foi alto, porque muitos deles, relacionaram no questionário todas as vacinas com a vacina do covid. Porque nunca se teve tanto receio por parte dos pacientes e profissionais quanto as outras vacinas rotineiras. Temos alguns casos de pais que levam as crianças vacinar no particular, mas com intenção de diminuir os efeitos pós vacinal, mas não que esses tem alguma dúvida quanto a seguridade da vacina propriamente dita. Então todas essas dúvidas vieram depois do covid. Portanto, é importante que haja de fato capacitações aos profissionais de saúde mostrando que a segurança, estudos, pesquisa da vacina contra o covid, porque, como são os profissionais que encorajam a população a fazer as vacinas, se eles não estão seguros, não é a população que vai estar segura para fazê-las.” Profissional 4:: “De modo geral ao meu ver a vacina contra a covid fez com que as pessoas ficassem temendo mais a vacinação, a imunização. Elas chegam com certo receio perguntando se realmente é determinada vacina que iremos aplicar ou é a do covid. É importante ressaltar a confiabilidade nos profissionais sendo que nenhum profissional da imunização vai vacinar alguém sem pelo menos explicar, indicar e falar o que está sendo aplicado, ou seja, a vacina que estará sendo administrada. enquanto profissional da enfermagem percebo que embora o entendimento de quem atua na sala de vacinas seja vasto diante do assunto, o vacinador não tem a mesma credibilidade do profissional médico, ouvimos então de muitos pacientes relatos que ouviram do médico que eles desenvolveram determinada doença após a vacina do covid e isso vem causando uma descrença em todas as outras vacinas também. As pessoas criam um receio, um medo de serem imunizadas e virem a desenvolver alguma outra doença de base. Se destaca também que nada é comprovado cientificamente ainda, então hoje eu acredito que é preciso que os profissionais médicos também se conscientizem de que são formadores de opinião e em geral é o que o paciente vai acreditar, independente de qualquer outra coisa. Eles são uma autoridade máxima, principalmente em uma UBS. Então o que médico falar, o paciente vai levar ao pé da letra e vai acreditar, portanto independente da crença de qualquer profissional dentro da unidade de saúde, devemos orientar e incentivar o paciente para o melhor possível. Uma equipe multiprofissional, multidisciplinar deve falar a mesma língua e sempre seguir a mesma linha de estratégias, para não ter divergência de idéias e acabar causando constrangimento, ou até mesmo uma certa confusão para o paciente. Nosso dever enquanto profissionais é o bem estar, a confiança e amenizar riscos aos nossos pacientes.” Os resultados encontrados serão discutidos e utilizados no planejamento e desenvolvimento das ações. Estratégia 4: Fixação de Cartazes na UBS e em pontos estratégicos do município Fixação de cartazes e faixas em todas as salas da Unidade Básica de Saúde e em pontos estratégicos do município, abordando o Zé Gotinha: vacinas salvam vidas e reforçando a importância das vacinas com o objetivo de combater a hesitação. Estratégia 5: Vídeo de conscientização. Vídeo Institucional Campanha de 2023: Vacina Salvam Vidas O vídeo de conscientização “Vacina Salvam Vidas” é uma estratégia de comunicação que tem como objetivo acionar valores e sensibilizar a população sobre a importância e segurança das vacinas, destacando a vacinação como um ato de responsabilidade social. Para alcançar um impacto efetivo, líderes comunitários, profissionais da saúde e gestores do município foram convidados a participar da produção do vídeo. Com o intuito de estabelecer uma conexão mais forte entre o público e a mensagem transmitida, foi utilizada uma ferramenta de “influência” conhecida no marketing, visando aumentar o engajamento do público e, consequentemente, a probabilidade de alcançar o objetivo. O vídeo apresenta a história de um idoso que é considerado um ator social importante para o município. Ele relata que foi vítima da paralisia infantil, doença que poderia ter sido evitada se houvesse a oferta de vacinas no ano 1948. Ao observar crianças brincando, ele reflete sobre como teria sido sua infância se tivesse acesso à vacinação, promovendo assim uma reflexão sobre o impacto das vacinas na prevenção de doenças ao longo da vida. Logo em seguida, duas enfermeiras aposentadas que dedicaram 35 anos em média de trabalho no município, relatam não terem presenciado casos de sequelas decorrentes da vacinação durante o período em que estiveram envolvidas na imunização da população. Essa informação, compartilhada por líderes comunitários, reforça a segurança da vacina e a importância de se confiar na ciência. O vídeo apresenta ainda a cena em que o prefeito é vacinado pela enfermeira, transmitindo uma mensagem encorajadora aos cidadãos como um líder político. Essa atitude pode contribuir para redução da hesitação vacinal, promovendo confiança e, consequentemente, aumentando a adesão à imunização. A equipe de imunização aparece fixando faixas de conscientização “Vacina Salvam Vidas” em todo o município, uma estratégia de comunicação e engajamento social. Dentro da unidade de saúde, a médica e o secretário de saúde encorajam a vacinação, reforçando a importância da prevenção e do cuidado com a saúde pública. Por fim, a cena em que os ACS visitam as residências e os membros das famílias participam da vacinação, ilustra a importância do trabalho de campo na promoção da saúde. Além disso, enfatiza que a imunização é um ato coletivo, no qual é fundamental que todos se unam para garantir o bem-estar da população. O vídeo será divulgado a partir do dia 24 de abril de 2023. As estratégias de divulgação são: Publicar em redes de comunicação, como YouTube, Instagram e Facebook; Compartilhar em grupos de whatsapp do município, escolas, entidades e empresas; Enviar individualmente para os usuários do SUS; Incentivar os usuários a compartilharem o vídeo com seus contatos individuais; Reproduzir o vídeo na TV da Unidade Básica de Saúde; Avaliar a possibilidade de criação de anúncios no facebook, instagram e Google por meio de tráfego pago para aumentar o alcance das publicações. Se concretizado essa ação será pioneira na região. Para ver o vídeo, clique no link: https://www.youtube.com/watch?v=NSYHstkEzy8 Para ver fotos dos bastidores, clique no link: https://drive.google.com/drive/folders/1cPp6RT8e4CEEYTPnkTLFkyfd0F_tmi-q Estratégia 6: Solicitação de Capacitações para o Ministério da Saúde Com base nas percepções dos profissionais sobre a hesitação vacinal, será solicitado ao Ministério da Saúde que considere a necessidade de promover formações intersetoriais com foco em temas como paradigmas vacinais e o futuro da vacinação, dentre outras temáticas relevantes sobre o universo das vacinas e reações adversas pós-vacinais. Estratégia 7: Fact-cheking sobre vacinação. “Confie em quem sabe: Verificação de fatos sobre vacinação pelos especialistas da UBS” A prática do fact-checking sobre imunização vai envolver a verificação de informações sempre que circularem/viralizarem postagens falsas em Salto Veloso. A estratégia adotada para combater a desinformação será a gravação de vídeos pelos profissionais da UBS, que irão desmentir as notícias falsas com base em evidências científicas. Esses vídeos serão veiculados nas redes sociais da Prefeitura de Salto Veloso, como uma forma de garantir que a informação correta seja disseminada ao público em geral e que a desinformação seja combatida de forma eficaz. Estratégias: Resultados esperados Participação efetiva dos profissionais, autoridades e atores sociais na ação Vacina Salvam Vidas. Divulgação em massa do material de divulgação descrito nas estratégias. A curto prazo manutenção dos índices de vacinas básicas da infância previstos no previne brasil. A médio prazo (3 meses) melhora dos índices de vacina da gripe comparados ao período de 2022. A longo prazo melhora dos índices de vacina entre profissionais de saúde, e, melhora dos índices de vacinação no público geral.

A maior reflexão que realizamos neste trabalho foi sobre a importância da escuta do usuário e do contexto individual e coletivo. Através dos resultados do nosso questionário, observamos que mesmo equipes de saúde tecnicamente treinadas para ofertar vacinas, foram influenciadas pelo coletivo e pela mídia em seus processos de trabalho e decisões em relação à vacinação, incluindo seus medos sobre a segurança e efeitos pós-vacinais, entre outros aspectos. Com base nos dados da pesquisa ImunizaSus, podemos concluir que há vários fatores que influenciam as mudanças comportamentais de uma sociedade e seus padrões. Destaca-se a importância histórica das vacinas como marco civilizatório de segurança para a nossa espécie. Porém, neste trabalho, destacamos a negação da imunização em geral após a introdução da vacina do Covid-19. Diante disso, vemos como fundamental destacar atores sociais do território em mídias para transmitir a importância da segurança e eficácia das vacinas, como enfatizamos em nosso vídeo institucional da campanha 2023: Vacina Salvam Vidas. Por fim, vislumbramos o resgate sensorial através da emoção ao lembrar que geração bem próxima de nós cuidou da carteira vacinal como um documento, e este tinha valor como o registro de nascimento de uma criança. Nosso sonho é ainda ver essa cena: a carteira vacinal como um DOCUMENTO de grande valia. VACINAS SALVAM VIDAS.

Principal

Juliana Cristina Scolaro

Coautores

Magda Cristina Donadeli Gemelli, Marina Hartcoph, Vanessa Vedana, Yolanda Gonçalves da Silva Fontes

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba