Olá,

Visitante

A Contribuição da Fonoaudiologia na Qualidade de Vida dos Idosos

O crescimento vertiginoso da população idosa é um fenômeno mundial tão intenso, que provocou uma grande crise socioeconômica e política que reflete em todos os setores, principalmente na saúde tanto em país desenvolvido e como em desenvolvimento, tornando-se hoje, o tema mais discutido em fóruns, congressos, seminários e em variados artigos, periódicos, literaturas nacionais e internacionais. De acordo com as estimativas populacionais descritas no documento oficial das Nações Unidas elaborada pela Divisão de População do Departamento de Desenvolvimento Econômico e Assuntos Sociais (DESA, 2010) em 1950 era 8% o número de idoso no mundo, em 2009 houve um aumento de 11%, já em 2050 estima-se um crescimento de 22% dessa população. Segundo a ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS, 2005) o que levou a mudanças na densidade demográfica no cenário mundial foram o aumento da expectativa de vida e a redução das taxas de mortalidade. A saúde do idoso é o que mais tem preocupado os países desenvolvidos e os em desenvolvimento, tanto que a OMS foi criada com o objetivo de desenvolver políticas públicas que melhorem a qualidade de vida. A saúde foi definida 1948 por essa organização, não somente como a ausência de patologia, mas sim, resultante das condições de vida do sujeito e de seus fatores psicossociais. No caso do Brasil, esse cenário preocupante levou a implantação do SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) estabelecido na Constituição de 1988, como sistema de saúde brasileiro, cujas diretrizes encontram-se regulamentadas pelas Leis nº 8.080/90 (Orgânica da Saúde) e nº 8.142/90 (Controle Social). Seus princípios são universalidade ao acesso, equidade e integralidade na assistência, regionalização e hierarquização dos serviços e participação popular. Essa tarefa desafiadora propõe um novo olhar, um novo pensamento e mudanças nas práticas para que melhore a qualidade da assistência a saúde, vem levantando discussões em vários âmbitos da sociedade, inclusive nos meios acadêmicos em áreas como (Medicina, Enfermagem, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Nutrição, Terapia Ocupacional, Odontologia e Psicologia), no sentido de propiciar uma ampla reflexão acerca de um melhor atendimento dessa numerosa população em nível de atenção básica, que são ações que abrangem a promoção e prevenção da saúde. A Fonoaudiologia é uma área que apresenta uma atuação bastante ampla, o qual envolve diversos grupos da sociedade, assumindo um papel significativo na população idosa, visto que o impacto do envelhecimento pode provocar vários distúrbios limitantes na comunicação. Pensando nisso, no período da graduação, mais especificamente em 2009, tivemos a oportunidade de vivenciar práticas fonoaudiológicas junto à população idosa, através do Estágio Supervisionado em Saúde Pública, com um pequeno grupo dentro de um Centro Social Urbano (CSU) da região metropolitana de Salvador. A partir daí surgiu o interesse em realizar essa pesquisa, uma vez que a Fonoaudiologia assume um papel significativo no que tange ao envelhecimento saudável. Essa tarefa desafiadora propõe um novo olhar, um novo pensamento e mudanças nas práticas para que melhore a qualidade da assistência à saúde, no sentido de propiciar uma ampla reflexão acerca de um melhor atendimento dessa numerosa população no nível da atenção básica e na direção da promoção à saúde dos idosos. Foram sujeitos desta pesquisa um grupo de 06 idosos que participaram do projeto ?Valorizando a qualidade de vida dos idosos com enfoque fonoaudiológico? desenvolvido para disciplina Estágio Supervisionado em Saúde Pública do curso de Fonoaudiologia em uma instituição de ensino superior, conduzidos por 02 estagiárias sob supervisão docente. A construção desse projeto buscou abordar as alterações mais recorrentes que podem prejudicar a qualidade de vida dessa população com o avanço da idade. Por isso, foi pensando em temas voltados para audição, deglutição, mastigação, memória e voz. Foram ao todo 08 encontros realizados entre os meses de setembro e dezembro de 2009 durante 40 minutos às sextas-feiras. Cada encontro apresentava um objetivo, uma justificativa e uma estratégia de acordo com a temática abordada relacionado à saúde do idoso. Os materiais utilizados em sua maioria foram confeccionados a cada encontro, de acordo com a estratégia da temática abordada para se alcançar o resultado esperado. O procedimento da coleta dos dados foi obtido através dos registros semanais dos relatórios, obtidos durante a execução das estratégias da vivência com os idosos. No qual, foi observada pelas estagiárias a expressão corporal, se sabiam falar sobre a temática abordada e o relato feito por cada idoso sobre o encontro.

Analisar se as práticas fonoaudiológicas desenvolvidas na população idosa são eficazes na melhoria da qualidade de vida. Uma vez que a Fonoaudiologia assume um papel significativo no que tange à qualidade de vida na terceira idade. Essa tarefa desafiadora propõe um novo olhar, com mudanças nas práticas para que se melhore a qualidade assistência à saúde, no sentido de propiciar um melhor atendimento dessa população na direção da promoção à saúde.

O envolvimento de uma equipe multidisciplinar de profissionais de saúde oferece uma grande oportunidade de integrar uma atuação em conjunto, permitindo um envelhecimento saudável e independente para os idosos.

Principal

Caroline Silva Fraga

A prática foi aplicada em

Salvador

Bahia

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Caroline Silva Fraga

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Fato ou fake: utilizando a força da internet no combate a fake news sobre vacinação em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Projeto saúde na feira: ampliando o acesso de serviços de saúde no município de Ingá.
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Promoção da saúde mental dos trabalhadores da estratégia de saúde da família: cuidando do cuidador.
Paraíba
Práticas
Projeto Hidrovida: a utilização de terapia aquática como forma de tratamento para idosos com doenças osteomusculares.
Paraíba
Práticas
Assistência multiprofissional aos portadores de hipertensão e diabetes mellitus de uma UBS de Belém do Brejo do Cruz – PB: relato de experiencia
Paraíba