Olá,

Visitante

A Competição Interespecífica Entre Aedes Aegypti e Aedes Albopictus,e Sua Interferência na Incidência de Arboviroses Transmitidas pelo Aedes Aegypti, no Município de Rio Claro/RJ

OBJETIVOS: Buscar hipóteses para a baixa infestação de Aedes aegypti e a incidência de arboviroses por ele transmitidas, gerando planilhas e gráficos, comparando-os ao número de casos notificados no SINAN, direcionando ações de controle vetorial, pós análise.METODOLOGIA: As coletas de larvas foram realizadas durante todo o período de 2013 a 2016 pelos Agentes de Controle de Endemias. As larvas coletadas foram analisadas e identificadas por duas servidoras, devidamente qualificadas, transcrevendo os resultados para planilhas em excel. Bimestralmente, o responsável pelo projeto solicitou junto a Vigilância Epidemiológica os números de casos notificados pelo SINAN Net, comparando a planilha de análise larval, buscando observar se houve competição interespecífica entre as larvas. No final de cada ano, esta comparação gerou gráficos com o intuito de medir a interferência da competição interespecífica detectada, na incidência dos casos notificados.

Diante do baixo índice, larval de Aedes aegypti e, de suas arboviroses, a vigilância em saúde do Município de Rio Claro, buscou respostas, através da coleta e identificação das larvas encontradas no período de 2013/ 2016, já que os municípios fronteiriços teriam enfrentado surtos ou epidemias de dengue. O resultado apontou para uma competição interespecífica entre Aedes.

A pesquisa apontou, hipoteticamente, que a competição entre as espécies interfere na incidência das arboviroses. A partir deste resultado foram gerados as seguintes ações: Mapeamento das áreas de infestação das espécies

Principal

João Marcos Penna Junior, Rosiane Ferreira Duque, Renata Barbosa da Silva E Juliana Magalhães.

marquinhopenna@yahoo.com.br

A prática foi aplicada em

Rio Claro

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Av. João Batista Portugal, 289

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

João Marcos Penna Junior

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

07 jul 2022

e atualizada em

13 mar 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Vigilancia em Saude e Saúde na Escola: uma Parceria de Sucesso no Municipio de Queimadas-Pb
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Laboratorial do Lacen-Pb: Um Relato de Experiência
Paraíba
Práticas
A Feira Livre de Esperança-Pb: Vigilância Sanitária e As Ações de Prevenção e Combate À Covid-19
Rio de Janeiro
Práticas
Ferramentas Tecnológicas Aplicadas no Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Laboratorial do Lacen-Pb
Paraná
Práticas
Medidas Sanitárias Aplicada ao Controle Datransmissão da Leishmaniose Animal
Paraíba
Práticas
Fortalecimento e Ampliação da Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica Hospitalar na Paraíba
Paraíba
Práticas
Covid 19 – Experiência de Enfrentamento das Arboviroses, Combatendo As Endemias Durante a Pandemia
Rio de Janeiro
Práticas
Novas Estratégias para o Monitoramento e a Fiscalização das Práticas de Segurança do Paciente pela Vigilância Sanitária nos Hospitais do Distrito Federal.
Distrito Federal
Práticas
Experiência de Integração Intersetorial no Controle ao Aedes Aegypti e Bloqueio da Doença Chikungunya no Município de Cunha Porã, Sc.
Santa Catarina
Práticas
Lei Municipal Nº 7438/2013: a Vigilância Sanitária na Construção e Inspeção dos Estabelecimentos Residenciais Terapêuticos no Município de Rio Grande – Rs
Rio Grande do Sul