Olá,

Visitante

Fiocruz prorroga inscrições de chamada pública com foco em ações de saúde em favelas

Edital é o primeiro do Brasil voltado para a saúde integral nas favelas, prevendo repasse de 5,5 milhões

Leitura: 2 minutos

A Fiocruz prorrogou as inscrições para a seleção de projetos com foco em ações de saúde integral nas favelas do Rio de Janeiro até 23 de fevereiro. O edital da Chamada Pública é o primeiro do Brasil com este foco e prevê o repasse de R$ 5,5 milhões para organizações sociais com atuação nesses territórios. Para ajudar as organizações sociais interessadas, será realizada uma reunião virtual de apresentação e dúvidas sobre a Chamada Pública nesta terça-feira (6/2), às 16h30, com transmissão ao vivo pelo canal da VideoSaúde no YouTube.

O investimento faz parte do Plano Integrado de Saúde nas Favelas do Rio de Janeiro, uma parceria da Fiocruz com UFRJ, Uerj, PUC-RJ, Uenf, IFF, SBPC, Abrasco e Alerj, criado no contexto crítico da pandemia de Covid-19, com objetivo de dar uma resposta às questões emergenciais em territórios vulneráveis e contribuir com o Sistema Único de Saúde (SUS). A partir da articulação das organizações que integram o Plano com a Fiocruz, já foram investidos R$ 35 milhões em ações nas favelas do estado através de dois editais lançados em 2021 e 2023.

O novo edital que prevê R$ 5,5 milhões, com inscrições abertas desde 02 de janeiro, tinha inicialmente o prazo de inscrições previsto para se encerrar no dia 2/2. De acordo com o coordenador-executivo do Plano Integrado de Saúde nas Favelas do RJ, Richarlls Martins, os efeitos socais produzidos pelas chuvas que atingiram diversas regiões do Estado nas últimas semanas motivaram a ampliação do prazo.

“As populações que vivem nas favelas fluminenses compõem um dos grupos sociais mais impactado com efeitos das chuvas. Diagnosticamos situações de emergência decretadas em 12 municípios do estado, a maior parte da Baixada Fluminense e acompanhamos, por meio do constante diálogo com as organizações sociais já apoiadas pela Fiocruz, as ações humanitárias que foram desenvolvidas por estes coletivos. Em função disso, acolhemos as muitas demandas da sociedade civil, que atua nestes territórios e se dedicou em ações de solidariedade, de ampliação no prazo de inscrição. Com esta medida, buscamos garantir maior equidade na submissão de projetos. Por esse mesmo motivo, faremos também mais uma live para apresentar e dúvidas sobre a Chamada Pública na próxima semana”, explica Martins.

Dentre as ações executadas por 90 projetos aprovados nos editais realizados até aqui no âmbito do Plano, foram feitas ações como construção de cozinhas comunitárias, distribuição de cestas básicas, atividades de reforço escolar, treinamento profissional, formação de grupos terapêuticos, projetos para o desenvolvimento da agroecologia e iniciativas de comunicação. Já foram impactadas mais de 325 mil pessoas. Os projetos abrangem favelas nos municípios de Angra dos Reis, Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Itaperuna, Magé, Mangaratiba, Maricá, Mesquita, Niterói, Nova Iguaçu, Paraty, Petrópolis, Queimados, Rio de Janeiro Seropédica, São Gonçalo, São João de Meriti e Volta Redonda. O novo edital de R$ 5,5 milhões permitirá ampliar ainda mais a abrangência territorial dos projetos. Confira mais detalhes no edital.

Por Leonardo Sodré (Plano Integrado de Saúde nas Favelas RJ), matéria publicada na Agência Fiocruz de Notícias, em 2/2/2024.

 

Gostou? Compartilhe clicando abaixo

Palavras-chave

Você pode se interessar também