Olá,

Visitante

Vigilância de Epizootias Visando À Prevenção da Febre Amarela no Município de Curitiba – Pr

ObjetivoIdentificar precocemente a circulação do vírus da febre amarela no município, bem como apontar populações em locais de maior risco para priorização de ações de imunização.MetodologiaEm 2008 foram mapeados locais no município com presença de bandos de PNHs, sendo identificados principalmente bandos de bugios, na região sul da cidade, e bandos de sagüis na região norte. Pelo fato dos bugios serem animais muito sensíveis à febre amarela, identificaram-se residências como pontos de monitoramento destes animais, onde os moradores eram observadores dos bandos. Os vínculos criados entre a equipe da UVZ e os moradores próximos às áreas de mata contribuíram para melhor vigilância através de notificação por parte destes moradores em situações de alteração no comportamento dos bandos ou morte de PNHs.

Desde 2008 a Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) realiza o monitoramento dos primatas não humanos (PNH) de vida livre no município. Tal monitoramento tem como objetivo a identificação precoce da circulação do vírus da febre amarela para desencadeamento de ações de imunização, uma vez que o município não fazia parte da área de indicação de vacina até março de 2018.

O trabalho articulado dos quatro eixos – vigilância de epizootias em PNH, vigilância entomológica, vigilância de casos humanos, vacinação – para prevenção e combate à febre amarela vem sendo realizado de forma exemplar no município de Curitiba. O trabalho desenvolvido há mais de 10 anos pela UVZ vem sendo importante para formação de vínculo com a população para identificação de epizootias, bem como para apontar populações prioritárias para imunização contra febre amarela.

Principal

Ana Paula Coninck Mafra Poleto

A prática foi aplicada em

Paraná

Sul

Instituição

Curitiba

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

emanoel.filho@fiocruz.br

11 set 2016

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Lei Municipal Nº 7438/2013: a Vigilância Sanitária na Construção e Inspeção dos Estabelecimentos Residenciais Terapêuticos no Município de Rio Grande – Rs
Rio Grande do Sul
Práticas
Detecção do 1º Caso de Raiva Canina e As Ações de Controle Executadas no Município de Hortolândia, São Paulo.
São Paulo
Práticas
Bem-Estar Laboral e Seus Efeitos para a Saúde dos Trabalhadores dos Caps de Caxias/Ma
Maranhão
Práticas
Fonte da Bica e o Monitoramento da Qualidade de Suas Águas.
Bahia
Práticas
A Integração das Vigilâncias Como Estratégia de Intervenção na Vigilância em Saúde
Bahia
Práticas
Cenário de Risco para a Saúde do Trabalhador
Tocantins
Práticas
Atividade Física e Promoção da Saúde Coletiva
Paraíba
Práticas
A Importância da Educação em Saúde no Enfrentamento As Doenças Negligenciadas (Chagas e Calazar).
Rio Grande do Norte
Práticas
Estratégia do Município Queimadas-Pb: Mutirão Contra As Arboviroses
Paraíba
Práticas
Projeto Dengue: “Vamos Acabar com Isso – Diga Sim a Saúde!”
Tocantins