Olá,

Visitante

Vacinação Covid: a Certeza para Dias Melhores

Categoria não especificada

O município de Santa Rosa -RS, localizado na região noroeste do estado do Rio Grande do Sul, possui pelos dados preliminares do censo de 2021, em torno de 75.573 pessoas. No âmbito da Atenção Primária em Saúde (APS) há 18 unidades básicas de saúde, sendo todas Estratégias de Saúde da Família (ESF) e, com a lógica de territórios de saúde. Todas as ESFs no território municipal possuem salas de imunização, com a finalidade de disponibilidade e acessos a vacinas dentro das realidades da própria comunidade. Além disso, em sua estrutura no centro administrativo da FUMSSAR, conta-se com o setor de Vigilância em Saúde subdividindo-se nos setores de vigilâncias, entre elas o Setor de Vigilância Epidemiológica. Foi criado em janeiro de 2021 pelo Ministério da Saúde um Plano Nacional de Operacionalização que orientava estados e municípios sobre as populações que deveriam receber as doses de forma priorizada, de acordo com a oferta de vacinas. No início, optou-se pela imunização de determinados grupos para garantir o funcionamento dos serviços de saúde, a proteção dos cidadãos com maior risco de contrair a COVID, além da preservação do funcionamento dos serviços essenciais. O primeiro ponto da listagem já contemplava as pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas, seguidos os demais grupos. Todo o processo de vacinação COVID-19 iniciado em janeiro de 2021 concentrou-se no município de Santa Rosa em dois objetivos principais: desperdício zero de doses e alcançar de maneira rápida a população-alvo em cada momento da vacinação. Para tanto, organizou-se o treinamento das equipes vacinadoras em conjunto com a 14ªCRS. E, em paralelo, reuniões com todas as entidades de classe de profissionais de saúde, grupo diretivo que coordenaria o processo de imunização nas Instituições de Longa Permanência (ILPIs), tanto públicas quanto privadas do município em um total de seis e com 132 idosos em sua totalidade. Adotou-se também a testagem sistemática a cada 30 dias nessas instituições com o objetivo de busca ativa de assintomáticos. Tivemos 4 óbitos no total nessas instituições o que demonstra que o trabalho em rede torna-se exitoso. Não somente no agendamento mas na informação oportuna por tratar-se de uma vacina que gerou e gera muitas influências das mídias sociais. O resultado foi uma vacinação por agendamento que trouxe: desperdício mínimo de doses, vacinação sem filas, sem denúncias de fura-fila e, com priorização dos grupos. A partir deste início ocorreram inúmeras correções de trajetórias para que a vacina estivesse sendo aplicada e aceita. Santa Rosa no que tange a saúde mais uma vez ocupou um lugar de destaque, voltando suas ações e atividades para a prevenção de doenças e mantendo o compromisso de que a imunização é imprescindível na qualidade de vida de sua população.

Os problemas encontrados podem ser divididos em três grandes grupos: • A desinformação e o movimento anti-vacina. • A necessidade de financiamento adequado. • Formação através de treinamento em sala de vacinas.

Estratégias de Fortalecimento das ações de imunização: • Um canal de comunicação para informações pontuais (via WhatsApp®); • Rodas de conversa com pais em escolas, EMEIS, públicas e privadas através do Programa Saúde na Escola – PSE; • Salas de espera nas UBS sobre vacinação COVID; • Divulgação através de outras mídias (rádio) sobre as vacinas. Metodologia: Objetivo Geral • Vacinar todas as populações com a vacina Covid-19. Objetivos Específicos • Diminuir os desperdícios de doses. • Vacinar oportunamente as populações vulneráveis. • Multiplicar as informações sobre a importância da vacinação em toda a população; Processos de trabalho Organizar listas de todas as populações priorizadas: Reuniões com todas as direções de ILPIs do município para obtenção de dados atualizados dos moradores, além dos estabelecimentos de saúde que foram recadastrados ou cadastrados no CNES, reuniões com entidades de classe de profissionais de saúde (COREN, CRM, CRO, CRMV, CREFITO entre outros). Também com as 4 principais indústrias do município para agendamento da vacina no local de trabalho. Organização dos dados em drives: Para controle dos nomes e da busca ativa das pessoas. Chamada telefônica para agendamento: Através das planilhas existentes. Busca ativa através de chamadas telefônicas e visitas das ACS: Todas as pessoas eram agendadas para vacinação com horários e dias estabelecidos e, em comum acordo com a pessoa a ser vacinada. Como pontos positivos destacaram-se as baixas perdas de dose e foco nas populações prioritárias e uma boa cobertura vacinal. A partir deste início já foram inseridas muitas estratégias para aumentar as coberturas a partir dos dados existentes e monitorados.

Através da experiência de Santa Rosa foi possível constatar a importância do fortalecimento da rede de atenção à saúde na estratégia de vacinação enquanto ação central de prevenção de doenças. Em Santa Rosa, foi possível acessar e ou sensibilizar os trabalhadores, o que aproximou o usuário ao Sistema Único de Saúde pautando que objetivo central é e sempre foi a promoção da saúde e a prevenção do adoecimento. No que tange a discussão da vacinação COVID apesar das exigências impostas pelo cenário cabe ressaltar promoção da saúde e proteção coletiva ofertada por ela exigiu inovações no fazer saúde, pois as desinformações “fake news” foram e são um limitador na cobertura das taxas de vacinação covid, o que por sua vez também reflete na vacinação de calendário de rotina (esquema básico de vacinação). A intersetorialidade mostrou-se como potente parceria para o êxito na vacinação. Uma vez que os demais setores públicos como a educação, desenvolvimento social entre outros, somados às indústrias e empresas privadas funcionaram como multiplicadores da importância da imunização. Destaca-se em especial a vacinação das ILPIs em que em um esforço conjunto todas as ILPIs particulares, municipais ou até mesmo as não “existentes legalmente” foram contatadas para vacina. Um resultado otimista foi que através do monitoramento efetivo e da vacinação em tempo oportuno tivemos a baixa ocorrência óbitos em ILPI. Cabe ressaltar que a tomada de decisão no âmbito da gestão em saúde torna-se qualificada quando diversos atores ecoam as ideias propostas e contribuem com olhares diferentes. A ação de co-gestão qualifica a temática, ampliando a visualização de possibilidades. O prêmio “Te Vacina” em 2021 foi promovido pela Secretaria Estadual da Saúde do RS realizando em julho/2021 o pagamento do prêmio total de R$ 625 mil aos vencedores da primeira etapa do Prêmio Te Vacina RS, que buscou reconhecer e valorizar os municípios que mais vacinaram contra a Covid-19 no RS. O cálculo levou em consideração as vacinas aplicadas em relação às doses distribuídas em quatro categorias, o município de Santa Rosa ficou em 1º lugar entre os municípios do Estado entre 50 mil e 99.999 habitantes, concorrendo com outros 26 concorrentes. Esse fato corroborou a certeza de que estamos enquanto estratégia municipal de imunização em um caminho exitoso. Precisamos sim avançar em relação a imunização contra a COVID 19, que passado esses mais de 2 anos de pandemia, podemos afirmar que estamos mais fortalecidos graças a proteção conferida através da criação destes imunobiológicos. A chamada hesitação vacinal deve ser visualizada e pensada na estratégia de garantir que a desinformação não impacte no direito de acesso a vacina, pelo contrário, que as esferas federal e estaduais auxiliem a população com informações confiáveis e com esclarecimento sistemático da eficácia da vacina através de campanhas em mídias, estas, que possam alcançar os quatro cantos do país. Consideramos que Santa Rosa no que tange a saúde mais uma vez ocupou um lugar de destaque, voltando suas ações e atividades para a prevenção de doenças e mantendo o compromisso de que a imunização é imprescindível na qualidade de vida de sua população.

Principal

Michele Silva Lachno

Coautores

Fabiana Breitenbach , Micheli Grzeca Silva , Cleusa Goemann Martins

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
Os caminhos para alcançar os indicadores de desempenho do Previne Brasil pelo município de Bom Jesus (PB)
Paraíba
Práticas
Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba