Olá,

Visitante

Vacina Contra Influenza para Toda População no Municipio de Novo Itacolomi- Pr

Categoria não especificada

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório, é de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais, podendo também causar pandemias, os casos de influenza podem variar de quadros leves a graves e podem até levar a óbito. O programa de imunização é responsável pela Política Nacional de Imunizações que visa reduzir a transmissão de doenças imunopreveníveis, ocorrência de casos graves e óbitos, com fortalecimento de ações integradas de vigilância em saúde para prevenção promoção, proteção em saúde da população brasileira, e que o programa de imunizações brasileiro oferece, de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Entre as vacinas ofertadas pelo PNI está à vacina contra a influenza que contribui para prevenção e proteção dos pacientes, pois ela é uma forte aliada para que a população esteja imunizada e protegida contra a gripe e suas variantes além de contribuir na redução da circulação viral na população bem como suas complicações e óbitos especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco, tendo como principal objetivo reduzir a carga da doença prevenindo as hospitalizações. O ministério da saúde oferta somente vacina para grupos prioritários que inicialmente era composta de idosos de 65 anos e alguns grupos específicos atendidos pelos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIEs) em 2000 foi estendida aos maiores de 60 anos. Somente a partir de 2011 foram incorporados os grupos prioritários para campanha sendo que 2011 a 2013, a população alvo foram de crianças de 6 meses a menores de 2 anos de idade; de 2014 a 2018, de 6 meses a menores de 5 anos de idade; e, a partir de 2019, de 6 meses a menores de 6 anos de idade. Em 2020 passaram a fazer parte as pessoas com deficiências, e em 2021 passou a ser especificado com deficiência permanente, as comorbidades foram incorporadas em 2013. Pensando na importância da prevenção, o município de Novo Itacolomi criou a lei nº. 284/2005 e com ela deu um passo importante, no avanço das ações de saúde pública proporcionando a vacinação da influenza para população de zero a cinco anos inserida em abril 2006. A partir daí a cada ano foi se ampliando as faixas etárias e aumentando o número de doses adquiridas, em 2009 o município de Novo Itacolomi, adquiriu doses para 100% da população que não eram atendidas nos grupos prioritários pelo Ministério da Saúde, e desde então estas são adquiridas anualmente, e ofertadas a toda população possuindo uma ótima adesão a vacinação, sendo uma media de cobertura vacinal de 95% da população. Diante disso o presente estudo tem o objetivo destacar a importância da vacinação contra o vírus da influenza para toda a população no Município de Novo Itacolomi.

A campanha de vacinação contra a influenza foi incorporada no calendário do PNI em 1999 com o propósito de reduzir internações, complicações e mortes por influenza na população-alvo, muitos são os desafios desde sua implantação entres eles podemos destacar que o Ministério da Saúde oferta somente vacina para grupos prioritários que inicialmente era composta de idosos de 65 anos e alguns grupos específicos atendidos pelos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIEs) em 2000 foi estendia aos maiores de 60 anos. Somente a partir de 2011 foram incorporados os grupos prioritários para campanha sendo que 2011 a 2013, a população alvo foram de crianças de 6 meses a menores de 2 anos de idade; de 2014 a 2018, de 6 meses a menores de 5 anos de idade; e, a partir de 2019, de 6 meses a menores de 6 anos de idade. Em 2020 passaram a fazer parte as pessoas com deficiências, e em 2021 passou a ser especificado com deficiência permanente, as comorbidades foram incorporadas em 2013. Diante desses desafios o município de Novo Itacolomi foi pioneiro no desenvolvimento de estratégias para fortalecimento das ações de vacinação contra a influenza.

Pensando na importância da prevenção, o município de Novo Itacolomi criou a lei nº. 284/2005 e com ela deu um passo importante, no avanço das ações de saúde pública proporcionando a vacinação da influenza para população de zero a cinco anos inserida em abril 2006. A partir daí a cada ano foi se ampliando as faixas etárias e aumentando o número de doses adquiridas, em 2009 o município de Novo Itacolomi, adquiriu doses para 100% da população que não eram atendidas nos grupos prioritários pelo Ministério da Saúde, e desde então estas são adquiridas anualmente, e ofertadas a toda população possuindo uma ótima adesão a vacinação, sendo uma media de cobertura vacinal de 95% da população. As ações de educação em saúde são de extrema relevância a ser desenvolvidas principalmente por profissionais da atenção primaria á saúde, entre as estratégias para alcance da cobertura vacinal podemos destacar parcerias com mídias locais, empenho e comprometimento da equipe de imunização, realização do dia “D” dia especifico para vacinação de toda população, empenho do Programa Saúde da Família, com visitas domiciliares fazendo buscas ativas, comunicados e orientação a toda a população sobre a importância da vacinação, uma vez que, assim procedendo, estarão evitando problemas maiores de saúde, a vacinação é uma ação integrada dos serviços de saúde e de nível de baixa complexidade, e de grande impacto nas condições gerais de saúde de toda população.

A importância da administração da vacina influenza, para toda população gratuitamente, no município de Novo Itacolomi, proporcionou resultado tão satisfatórios promovendo ações de prevenção, promoção e proteção. Em 2009 foi realizado um estudo com crianças na faixa etária de zero a cinco anos no município de Novo Itacolomi, onde verificou- se que entre os anos de 2006 a 2008, apenas 2 crianças foram internadas por infecção respiratória aguda , totalizando 3,8% isto comprova a eficácia da vacina contra a influenza. Analisando uma serie histórica de dados epidemiológicos de 2014 a 2022 em relação a morbidade é possível evidenciar que as doenças dos aparelhos respiratórios não foi a principal causa de internamento e mortalidade do município, no período de nove anos tivemos 19 internamentos por doenças do aparelho respiratória, sendo uma media anual de 1,58 internamentos , em relação na ocorrência de mortalidade pós doenças do aparelho respiratório em nove anos tivemos uma media de 3,33 óbitos. Com a lei nº 284/2005 ficou instituída a campanha de vacina contra a influenza no município de Novo Itacolomi, onde foi inserida no calendário básico de vacinação neste município em 2006 até o momento, foram adquiridas 19.865 doses vacinando 95 % da população. O trabalho realizado pelo município é uma estratégia importante, pois com isso o município previne muitas doenças do aparelho respiratórias, e possíveis complicações e óbitos relacionados pela doença, se destacando por vacinar quase 100 % da população. Concluídos, portanto que diante de tantos desafios enfrentados nos últimos anos para o alcance de metas vacinais, o município de Novo Itacolomi merece destaque por ser pioneiro em ações estratégicas em relação à imunização.

Principal

PRICILA FELISBINO

Coautores

Tatiana Favorito, Cleonice Leopoldina Monteiro de Almeida

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro