Olá,

Visitante

PROJETO CONECTACS: pela organização dos serviços na onda digital.

Desde a constituição do SUS em 1988, o sistema utiliza várias estratégias para fortalecer e garantir seus princípios, como a universalidade, equidade e integralidade dos serviços. E como estratégia devo reportar as equipes de Agentes Comunitários de Saúde, que em 1994 vem somar forças ao SUS, trazendo o elo entre o território/comunidade e os serviços de saúde.
E neste contexto nos perguntamos quais as dimensões e habilidades do processo de trabalho deste agente? Que assume a dimensão tecnológica, a dimensão solidária e social, todavia muitos agentes sem a formação adequada ou apoiamento adequando irrompem os territórios munidos apenas do senso comum, o que pode comprometer o elo comunicativo do cuidado e adoção de práticas de promoção e prevenção em saúde. Onde suas competências estão relacionadas a capacidade de acompanhamento de um território através do monitoramento e identificação precoce de agravos. Daí a necessidade de tecnologias capazes de garantir esse papel ao ACS.
Em 2019 o Ministério da Saúde incluiu na Estratégia e-SUS aplicativos móveis para registro das ações realizadas pelos profissionais de saúde em locais de difícil manejo de computadores ou notebooks. O aplicativo é integrado ao sistema SISAB e permite ampliar a capacidade de captação de informações. No ano de 2020 o município adquiriu 380 tablets e iniciou o processo de informatização da APS. Tornando a informação de saúde mais precisa e o cadastramento dos usuários mais seguro, operacional e técnico.

Iniciar o processo de informatização da Atenção primária em Abaetetuba.
• Realizar formação de Manejo e Registro no Aplicativo E-sus Território, em 100% dos Agentes comunitários de Saúde;
• Aumentar a cobertura de cadastramento de usuários na captação ponderada em 70% conforme meta municipal;
• Prestar assessoria digital, quanto as dúvidas existentes e erros de validação dos registros realizados;
• Manter formação digital a cada 4 meses com as equipes de ACS’s;
• Melhorar os indicadores do Previne Brasil.
• Aumentar para 80% a cobertura de acompanhamento do Programa Auxílio Brasil.
• Fortalecer a política de atenção básica municipal;

Garantir o adequado cadastramento dos usuários ao sistema de informação da atenção básica, garantindo diagnóstico situacional dos territórios para melhor planejamento dos serviços e atendimento as necessidades da população.
Em janeiro de 2020 a Colônia Velha, unidade piloto, possuía 1.514 usuários cadastrados, e após a intensificação fomos para 2.985 usuários cadastrados. Ao todo o município contava com 53.217 usuários cadastrados, em janeiro de 2020. Em dezembro de 2021, encerramos o ano com 120.049 usuários cadastrados, (FONTE: SISAB/2022) seja, um incremento de 55,67% no cadastramento total do município.
Além disso, podemos avaliar o sistema de informação Bolsa Família, agora chamado de Auxílio Brasil nos anos de 2018, 2019 e 2020 ficarão na média de 70% e no ano de 2021 fechamos em 81,68% de registros de acompanhamentos, ganhando um aumento do número de pessoas acompanhadas, diminuindo o risco de perda de benefício por parte das famílias por dificuldade de acesso aos serviços de saúde e garantindo direito.
Quando ao custeio da APS diretamente relacionado a qualidade de cadastramento que é a Captação Ponderada e Desempenho, tivemos na primeira um incremento de quase 200% de recurso e no desempenho o aumento chegou a 106%, além disso o município recebeu qualificadores de informação através do recurso adicional de populações quilombolas e cadastro de adolescentes. Validando a eficácia do processo de qualificação da informação através da informatização da saúde, marco da saúde digital e o ACS como agente difusor de boas práticas.

O desenvolvimento de soluções computacionais em formato de aplicativo para dispositivos móveis representa um meio eficaz de disponibilizar conteúdos e atingir o público-alvo. E isso requer adequada coleta de dados, pois a informação é o principal elemento da tomada de decisão, como ferramenta para a qualidade da assistência e gestão.
A informação em saúde tem sua necessidade apontada para suprir o atraso tecnológico, baixa conectividade, baixa qualificação profissional, desigualdade e desorganização do SUS. Por isso, ela precisa acontecer como importante, porém não única, ferramenta de construção de práticas de saúde resolutivas e oportunas. O processo de informatização da saúde deve ser entendido por todos como um instrumento de qualificação da informação em saúde e com isso a possibilidade de oferta de serviços mais qualificados.
Conclui-se desta forma que o uso do Aplicativo Esus-Território como ferramenta de qualificação do ACS de Abaetetuba-Pará trouxe acesso a informações coerentes e oportunas para mudar e otimizar práticas do sistema buscando ganhos reais e melhorias de qualidade, estimulando o processo de planejamento como o exercício de uma prática gerencial pautada no alcance da melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Principal

KELLEN DA COSTA BARBOSA

keki.c@hotmail.com

TÉCNICA DE APS

A prática foi aplicada em

Abaetetuba

Pará

Norte

Esta prática está vinculada a

MUNICIPIO DE ABAETETUBA

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

30 ago 2023

e atualizada em

30 ago 2023

Início da Execução

20/04/2022

Fim da Execução

02/05/2022

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

PRÁTICA INSTITUÍDA NO SERVIÇO, COM ALTA QUALIDADE DE INFORMAÇÃO

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba
Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba