Olá,

Visitante

Uso da metodologia Lean como estratégia para redução do tempo de espera nas Upas de BH: Projeto Menos Espera, Mais Saúde

Belo Horizonte, população estimada em 2.501.576 (IBGE, 2018), é organizada em nove Regionais de Saúde com a atenção à saúde estruturada em Redes. A Atenção Primária de Saúde, coordenadora do cuidado, adota a Estratégia de Saúde da família como modelo estruturador da atenção. A Rede de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde é composta por 9 Unidades de Pronto-Atendimentos (UPAs) Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, 9 hospitais públicos de urgências, Serviço de Atenção Domiciliar e Transporte Sanitário. em 2018, foram atendidos 634.389 usuários nas UPAs. em situações de urgência, o tempo é um dos principais recursos para assegurar a assistência em tempo oportuno. o Projeto “Menos Espera, Mais Saúde”, em implantação nas UPAs, utiliza a metodologia lean e suas ferramentas para a organização dos processos de trabalho. Iniciado em janeiro de 2018 é prioridade do Planejamento Estratégico do Governo Municipal com meta de expansão para todas as UPas de BH.

Geral: Qualificar e agilizar o atendimento de urgência nas Unidades de Pronto Atendimento de Belo Horizonte. Específicos: Reduzir o tempo-resposta para o atendimento às urgências. Melhorar satisfação dos usuários e das equipes de saúde. Otimizar rec o “Menos Espera, Mais Saúde” é estratégia de organização do fluxo de atendimento nas UPAs. Adotou-se o Fast Track/atendimento rápido, ferramenta da metodologia Lean Healthcare aplicada às urgências, para melhor gestão do tempo e dos recursos disponíveis. Utiliza-se o trabalho padronizado, gestão por metas, política da qualidade, 5’S (organização), mapa de fluxo de valor, just in time produção exata de acordo com a demanda), gestão visual. A partir de diagnóstico operacional, elabora-se matriz de dados de entrada, passagem e saída dos pacientes atendidos na clínica médica, definindo-se com a equipe, planos de ação com indicadores para monitoramento de resultados. o Projeto é discutido junto aos colegiado de gerentes e conselhos de saúde.

Após a implantação do projeto nas UPas Noroeste II, UPA Leste e UPA Venda Nova no ano de 2018, foi verificado uma redução em 50% do tempo de espera entre a classificação de risco e o primeiro atendimento médico. Observou-se que o tempo médio entre a entrada do usuário e o primeiro atendimento médico, para aqueles classificados como verde, reduziu de 4h. e 15’ para 1h e 48’. o tempo entre a entrada e saída na unidade reduziu de 7h e 50’ para 3h e 25’. Para os usuários classificados como amarelo, o tempo para o primeiro atendimento médico reduziu de 1h e 29’ para 47’ e o tempo entre entrada e saída reduziu de 8h e 12’ para 2h e 54’. Destaca-se ainda a percepção de melhoria avaliada pelos usuários com a redução de conflitos.Desenvolvido de forma compartilhada com equipe de saúde da Unidade e integrado com a Atenção Primária, colegiado de gerentes, serviços de apoio logístico e conselhos de saúde, o projeto demandou ajustes e adequações de áreas físicas, repactuações de acesso e de fluxos, padronização de protocolos e treinamentos. Os impactos observados, redução do tempo-resposta, percepção positiva dos usuários e trabalhadores e, integração da Rede, fortalecem a diretriz de implementação em todas as UPas de BH.

Principal

Taciana Malheiros Lima Carvalho

tacianamalheiros@pbh.gov.br

Coautores

Jackson Machado, Alex Sander Sena Peres, Melina Fernandes S. Marinho, Miriam Maria De Souza, Susana Maria Moreira Rates

A prática foi aplicada em

Belo Horizonte

Minas Gerais

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Av. Afonso Pena, 2336 - 13º Andar - Funcionários - Belo Horizonte (MG)

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Jackson Machado Pinto

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

20 mar 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal