Olá,

Visitante

Uso da Crotalária no Combate a Dengue em Caracol-Ms

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:Descrever o processo de plantio da crotalária juncea para o controle biológico do mosquito aedes aegypti no Município de Caracol.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS: No ano de 2015, no mês de Setembro, iniciou o Projeto de plantio e distribuição pela prefeitura municipal de Caracol, das mudas de crotalária juncea. Uma tentativa de diminuir o índice de infestação do mosquito aedes, por meio do controle biológico. Com o plantio da crotalária, uma leguminosa usada para corrigir o solo, que após sua floração esta atrai a libélula (anisoptera), inseto predador natural no mosquito e suas larvas que também são depositadas na água limpa são predadoras das larvas do mosquito. No município foram plantadas 5.000 mudas de crotalária juncea e distribuídas a população nas residências após 3 semanas gratuitamente e foram distribuídas sementes da leguminosa. Também houve um trabalho educativo nas Escolas do município e Escola Estadual com aulas prática do plantio. As ações rotineiras de levantamento de índice, tratamento e inspeção das residências foram intensificadas com os Agentes Comunitários de Saúde junto aos Agentes Comunitários de Endemias com parceria da Vigilância Sanitária municipal. As mudas foram confeccionadas em copos descartáveis recolhidos dos órgãos públicos e utilizado substrato de compostagem orgânica e plantadas pelos agentes comunitários de saúde, sob a supervisão do coordenador de endemias. Foi organizado um dia “D” para ações preventivas, educativas e distribuição das mudas e sementes das crotalárias. INDICADORES/VARIÁVEIS/COLETA DE DADOS:A coleta de dados será observada pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN online, sob o CID A90, observando o calendário epidemiológico.

A dengue é uma doença infecciosa e considerada um dos principais problemas de saúde pública no Brasil e nos países de clima tropical. A vigilância epidemiológica da dengue tem como principal objetivo detectar precocemente a doença e adotar medidas preventivas de bloqueio da cadeia de transmissão pelo mosquito aedes aegypti.O trabalho efetivo dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes Comunitários de Endemias é de suma importância no controle e no monitoramento da dengue. Estes profissionais realizam inspeção nos domicílios mensalmente a procura de focos, eliminação de depósitos, remoção mecânica e realizando tratamento químico com larvicida e borrifação com inseticida após caso notificado pela Vigilância Epidemiológica no Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN.A crotalária é uma leguminosa de verão, com duração de um ano, de crescimento muito rápido e vigoroso. Fornece nitrogênio em maior quantidade, protege o solo contra os efeitos da erosão, tem um bom controle de ervas daninhas. Por ser tóxica após a ingestão das flores e sementes, deve ser plantada em área reservada aos animais. A Crotalária adapta bem à seca ? ao clima quente, mas não suporta ? frio constante, que pode prejudicar as plantas pequenas. De quatro a cinco meses ocorre a floração. A leguminosa vem ganhando cada vez mais espaço nos jardins de casas. Isso porque descobriu que nela há uma poderosa arma biológica para o controle da dengue. A Crotalária atrai a libélula, um inseto predador do mosquito da dengue. O inseto busca colocar ovos em água parada e limpa, assim como o mosquito Aedes Aegypti, vai depositar seus ovos, essas larvas vão se alimentar das larvas do mosquito transmissor da dengue acabando com aquele foco.

Os resultados do Projeto Crotalária poderão ser observados após um ano de plantio por toda a cidade e após atrair as libélulas, sendo essas as predadoras. O controle biológico é uma tentativa de diminuir o índice de infestação pelo mosquito. Não deixando de realizar o serviço de inspeção pelos Agentes de Saúde Pública. Os impactos esperados é a redução dos casos notificados pelo SINAN. Após a floração podemos esperar uma diminuição do controle químico por meio do inseticida, pois este é prejudicial a saúde da população e pode matar os insetos envolvidos no projeto. O projeto ainda está em execução e em fase experimental. Concluímos que após a atração das libélulas os índices de notificações, que continuam altos, podem contribuir para a quebra da cadeia de transmissão do mosquito aedes aegypti.

Principal

Rosinéia Gomes de Assis

roseassis34@gmail.com

A prática foi aplicada em

Caracol

Mato Grosso do Sul

Centro-Oeste

Av. Libindo Ferreira Leite, 251

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Rosinéia Gomes de Assis

emanoel.filho@fiocruz.br

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
O Sarampo “Navegou” Pelo Rio Madeira e “Parou” em Porto Velho: Relatando A Experiência da Vigilância em Saúde do Município
Rondônia
Práticas
Enfrentamento do Surto de Sarampo no Município de Boa Vista: uma Experiência que Demonstrou o Quanto É Possível A Integração Entre Atenção Básica e Vigilância em Saúde
Roraima
Práticas
Cuidando de Quem Cuida: Um olhar Terapêutico Aos Profissionais de Saúde na Pandemia de Covid-19.
Paraíba
Práticas
Expresso Chagas 21
Práticas
Qualificação do Sistema de Informação Sobre Mortalidade (Sim) – uma Questão de Estratégia
Pará
Práticas
Detecção Precoce da Hanseníase: a Eficácia da Triagem de Pele, Realizada por Técnicos de Enfermagem do Ecg na Atenção Primária de Saúde
Minas Gerais
Práticas
Vigilância em Saúde do Trabalhador e Trabalhadora na Atenção Básica
Práticas
Implantação de Instrumento Eletrônico no Monitoramento de Covid-19em Venda Nova do Imigrante
Espírito Santo
Práticas
Programa Saúde do Trabalhador: Vigilância em Saúde Interprofissional no Município de Rio do Sul,Sc
Rio Grande do Sul
Práticas
Monitoramento Remoto: Garantindo a Vigilância em Saúde de Pacientes em Isolamento Domiciliar com Sars-Cov-2
Paraíba