Olá,

Visitante

União multissetorial para aumento das coberturas vacinais em menores de 15 Anos, Ipameri(GO)

Ipameri é um município brasileiro do interior do estado de Goiás que teve sua história iniciada em 1816 com o surgimento do “Arraial do Vai-Vem”, à margem esquerda do Ribeirão “Vai-Vem”. Em 1870 foi elevado à categoria de cidade recebendo o nome de “Entre Rios”, localizado entre os rios Corumbá e São Marcos. Em 1926, o nome foi alterado para “Ypameri”, que é uma tradução modificada da expressão “entre rios” em tupi. Posteriormente, o “Y” deixou de integrar o alfabeto português brasileiro e foi substituído por “I”. Sua população, conforme estimativas do IBGE de 2022, é de 24.617 habitantes. O município tem dois distritos (além do distrito-sede, que dá nome ao município), são eles: Domiciano Ribeiro e Cavalheiro (IBGE, 2022). No âmbito da saúde Ipameri faz parte do sudeste do Estado de Goiás, inserida na região Estrada de Ferro com outros 17 municípios. A secretaria municipal de saúde possui três salas de vacinas abertas de segunda a sexta-feira das 07h às 17h sem interrupção no horário do almoço, uma destas abre no sábado das 08h às 15h. Durante campanhas de vacinação faz ações extra muro, abre pontos de vacinação em todas as 9 unidades de ESF´s do município e também em horários e dias não comerciais. É feito monitoramento das coberturas vacinais de rotina pelo PIN PEC e de campanha pelo SIPNI.

Já temos alguns anos que estamos acompanhando as baixas coberturas vacinais e com a pandemia da COVID 19 a situação piorou ainda mais. Os motivos para a falta de adesão dos usuários na vacinação são inúmeros, entre os usuários o desinteresse na prevenção à saúde, crenças e percepções equivocadas acerca das vacinas e a terceirização das próprias responsabilidades. Com relação aos profissionais da saúde existe a deficiência no acompanhamento da situação vacinal, desinteresse ao conhecimento científico e a falta de empenho quanto ao trabalho multiprofissional. A respeito dos governos temos a limitação na distribuição dos imunos, dificuldade de acesso aos serviços de vacinação, falta de investimento financeiro adequado, limitações da qualidade dos sistemas e dos dados do PNI e necessidade de atuação conjunta entre as principais intervenções públicas e níveis de governo.

Durante o monitoramento da Campanha Nacional contra Poliomielite e Multivacinação em menores de 15 anos, realizada no mês de agosto de 2022, a vigilância epidemiológica observou baixa adesão dos usuários e adotou a estratégia da união multissetorial através de quatro ações para verificação da situação vacinal do referido público, no mês de setembro de 2022, a fim de aumentar as coberturas vacinais no município. As ações consistiam na atuação dos profissionais da AB durante as consultas médicas e de enfermagem, no acompanhamento dos beneficiados do Programa Auxílio Brasil, nas visitas dos ACS e na parceria com outros órgãos, como a SME, CT e CMCD para a verificação das cadernetas de vacinação. Foram verificadas a situação vacinal por meio da apresentação das cadernetas e/ou registros nos sistemas de informações de saúde, comparando com o calendário vacinal e as campanhas de vacinação em andamento, conforme a idade preconizada. Os usuários que apresentavam atraso no esquema vacinal eram direcionados imediatamente às salas de vacinas para a atualização vacinal. Quanto a parceria com as escolas, o objetivo foi de emitir um recado aos pais, para enviarem as cadernetas vacinais, no dia pré-agendado, para que os profissionais da AB realizassem a verificação da situação vacinal dos alunos, os quais teriam o acesso direto às vacinas em atraso. Caso os responsáveis não atendessem ao chamado para o envio das cadernetas e para a atualização vacinal, era realizada uma segunda tentativa com prazos para os pais se adequarem. O não comparecimento dos pais no prazo estipulado, o CT e CMCD realizaram ligação com orientações e solicitação para o comparecimento às salas de vacinação.

Com a implantação das ações obtivemos resultados exitosos, com grande adesão do público alvo, a vacinação. Em agosto de 2022, foram administradas 937 doses de vacinas de rotina em crianças e adolescentes menores de 15 anos, no município de Ipameri-GO (sistema ESUS PEC) e 435 doses da campanha de Poliomielite em crianças de 1 a 4 anos, segundo registros no SIPNI. Após ações implantadas em Ipameri-GO, no mês de setembro de 2022, foram registradas 1420 doses de vacinas de rotina em menores de 15 anos (sistema ESUS PEC) e 461 doses da campanha da Poliomielite em crianças de 1 a 4 anos, segundo registros no SIPNI. Apresentado um aumento de 51,5% na administração das vacinas de rotina em menores de 15 anos e nos registros da campanha da poliomielite em crianças de 1 a 4 anos o percentual era de 60% evoluindo para 123%. Podemos concluir que os profissionais de saúde da AB devem permanecer atentos quanto a verificação das cadernetas vacinais dos menores de 15 anos durante os atendimentos de rotina, para captar os atrasados e realizar as atualizações necessárias. As parcerias com outros órgãos distintos aos da saúde, também foram relevantes para o êxito da estratégia proposta, demostrando a importância em manter esses elos em outras ações, principalmente os referentes a vacinação e a saúde das crianças e adolescentes.

Principal

Peterson Perfeito Santana

ideiasus@gmail.com

Coautores

Peterson Perfeito Santana

A prática foi aplicada em

Ipameri

Goiás

Centro-Oeste

Esta prática está vinculada a

Projeto ImunizaSUS

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

30 ago 2023

e atualizada em

26 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Oferta e Inserção do DIU pelo Enfermeiro na Atenção Primária a Saúde do Município de Assunção
Paraíba
Práticas
A prática da natação para crianças e adolescentes com deficiência em município do sertão paraibano
Paraíba
Práticas
Potencializando ações e atendimentos itinerantes nos bairros para melhoria e alcance de metas
Paraíba
Práticas
Implantação do cuidado farmacêutico na atenção básica, integrando farmácia a rede de atenção a saúde
Paraíba
Práticas
A eficácia do instrumento de classificação de risco gestacional na atenção primaria à saúde.
Paraíba