Olá,

Visitante

Saúde no Campo – Edição Tapera/Água Fria

A realização da atividade levou uma atenção a saúde qualificada e com uma apresentação diferenciada da vista no dia a dia pela comunidade, de forma a incentivar a participação da comunidade, alguns dos serviços ofertados como coleta de exames laboratoriais, especialidades odontológicas e laboratório de próteses dentárias foi preferencial aos usuários classificados como prioritários, tais como gestantes, acamados ou restritos ao leito, deficientes e idosos.Ofertamos atendimento multiprofissional, disponibilização de transporte aos prioritários, os quais foram previamente selecionados pela equipe de saúde, principalmente os menos assíduos na unidade de saúde, vacinação, verificação de sinais vitais, dados antropométricos, coleta de exames laboratoriais, avaliação bucal, moldagem de próteses dentárias, escovação supervisionada e aplicação de flúor, atividade física, palestras educativas, testes rápidos para HIV e sífilis, consulta em clinica geral e ginecologista, coleta de exame de Papanicolau, busca ativa por criadouros do mosquito Aedes Aegypti, integração saúde-escola.Atores envolvidos28 profissionais de saúde, dentre médico, enfermeiro, dentista, ginecologista, educador físico, agente comunitário de saúde, agente de endemias, técnico em enfermagem, auxiliar em saúde bucal, psicólogo, nutricionista, assistente social, motorista, zelador. Equipe de saúde da família Tapera/Água Fria, núcleo de apoio a saúde da família, laboratório municipal, centro de especialidades odontológicas e laboratório de próteses odontológicas.

A comunidade da zona rural tem sua assistência em saúde muitas vezes dificultada, principalmente, oriundas do acesso, seja pela logística de deslocamento até a unidade de saúde ou pela oferta de alguns serviços a nível central, urbano.

Aprendizados e dificuldades Atividades como essas estimulam e revigoram o fazer saúde de toda equipe envolvida. A comunidade sente-se privilegiada e passa a confiar mais nos serviços ofertados pela secretaria municipal de saúde e seus profissionais. A principal dificuldade enfrentada foi a logística de deslocamento dos materiais e insumos extras para a unidade de saúde no dia da ação.Perspectivas futuras ou Desdobramentos do TrabalhoNosso objetivo é tornar a ação “Saúde no Campo” rotina nas zonas rurais, com periodicidade de ocorrência mínima de 2 vezes por ano em cada unidade rural.

Principal

Lúcia Leonara Fonseca Rodrigues Alves

campomaior.saude@hotmail.com

A prática foi aplicada em

Campo Maior

Piauí

Nordeste

Instituição

R. Zezinho Andrade - Nova Cidade

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Lúcia Leonara Fonseca Rodrigues Alves

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vivência em atendimento em grupo de portadores de Diabetes Mellitus da Esf Itapuca, Resende, RJ
Rio de Janeiro
Práticas
A descentralização das ações de controle da tuberculose no município de Volta Redonda
Rio de Janeiro
Práticas
O matriciamento de cardiologia e endocrinologia no fortalecimento a atenção à doenças crônicas
Rio de Janeiro
Práticas
A expansão do processo matricial no município de Volta Redonda – uma experiência exitosa
Rio de Janeiro
Práticas
A importância da equipe multidisciplinar no programa de osteoporose de Penedo – Itatiaia (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Sensibilização da APS para o cuidado integral da população em situação de rua da cidade de Resende
Rio de Janeiro
Práticas
Coordenação do cuidado, ordenação da rede de atenção à saúde e o e-SUS AB como ferramenta de gestão
Rio de Janeiro
Práticas
Programas de provimento médico federais: estratégias de monitoramento e avaliação municipais
Rio de Janeiro