Olá,

Visitante

Reinventando as Ações de Imunização na Região do Vale do Arinos

Categoria não especificada

Com a diminuição da cobertura vacinal, a reemergência de doenças imunopreveníveis e as divergências envolvendo à imunização, a necessidade em elaborar estratégias para conscientizar a população acerca da potencialidade da imunização na prevenção de doenças graves, elucidando conceitos que tratam as falsas notícias no contexto da saúde pública, além de recuperar os impactos de hesitação vacinal causados pela pandemia tornaram-se prioridade nas ações de políticas públicas. Neste contexto, os Municípios que compõem a região do Vale do Arinos (Juara, Novo Horizonte do Norte, Porto dos Gaúchos e Tabaporã), situado à noroeste do Estado de Mato Grosso, desenvolveram as mais diversas e criativas estratégias de campanhas de vacinação a todas as idades. As dificuldades vivenciadas na prática profissional em cada Município foram transformadas em realização de sucesso todas essas ações.

Implementar as estratégias de saúde mais inovadoras e eficientes para o alcance de metas, garantindo melhorar a resposta às emergências de doenças imunopreveníveis e conscientizar a população acerca da potencialidade da imunização na prevenção de doenças graves, elucidando conceitos que tratam as falsas notícias no contexto da saúde pública, além de recuperar os impactos de hesitação vacinal causados pela pandemia.

A estratégia de educação em saúde teve um papel primordial para conscientizar a população sobre a importância da imunização no processo de saúde-doença de cada indivíduo. Os municípios do Vale do Arinos desenvolveram as mais diversas e criativas estratégias de campanhas de vacinação a todas as idades. Os imunizantes foram ofertados em horários diferenciados, ações “extra-muros” foram amplamente utilizadas, envolvendo a vacinação “in loco” nos comércios locais e em grandes empresas, nas escolas e na zona rural (sítios, chácara, assentamentos e fazendas). As mídias locais e redes sociais foram amplamente utilizadas. A busca ativa domiciliar, com levantamento de faltosos com atrasos de imunizantes, realizando a vacinação em casa, também foi uma das estratégias utilizadas. Festas nas comunidades, com o “Arraiá da Vacinação”, “Pancadão da Vacinação”, “festa do dia das crianças”, “Balada da Vacina”, “Vacina na Feira”, “Turma do Zé Gotinha em ação”, foram ações de sucesso, diminuindo as tensões que envolvem a mistificação em torno da imunização. A região também aderiu a Carreta da Imunização ofertada pelo Estado de Mato Grosso, que esteve presente nas comunidades de cada município e pode ser mais um evento que favoreceu a oferta e adesão da população do Vale do Arinos à vacinação. Além das ações descritas, cada Município realizou e traçou análise documental sobre metas e parâmetros estabelecidos pelo Programa Nacional de Imunizações; análise do banco de dados do Sistema de Informação de Imunizações; construção de critérios para categorização do público alvo, da infância à vida adulta, segundo coberturas vacinais; e estabelecimento de critérios de priorização para implantação da proposta de vigilância de acordo com a realidade local. Diante da performance da intensificação e execução da vacinação, os Municípios do Vale do Arinos estiveram ao longo dos anos de 2021 e 2022 entre os melhores índices de vacinação do estado de Mato Grosso, sendo que, em específico, Porto dos Gaúchos recebeu o selo “Imuniza Mais MT” por dois anos consecutivos, em 2021 e 2022 respectivamente, por atingir cobertura de 95% em campanhas contra a Influenza e contra a Covid-19. Observou-se também um aumento significativo na procura pela vacina diante da redução comprovada no número de óbitos por Covid na região. Como comprovado, a vacinação tem como principal finalidade a prevenção de doenças infectocontagiosas, e, consequentemente, a redução da morbimortalidade infantil, evitando a ocorrência de surtos epidêmicos e melhorando a saúde e a qualidade de vida de toda a população.

A hesitação em relação às vacinas e a desinformação são os principais entraves para se alcançar a cobertura vacinal e a imunização da população. O amplo trabalho criativo das ações e de busca ativa com a sensibilização e conscientização da potencialidade dos imunobiológicos na permanência da erradicação das doenças, permitirá o alcance positivo das coberturas vacinais. A vacinação é uma das ações mais seguras e efetivas na eliminação e controle de doenças, além de ser determinante na redução da morbimortalidade, especialmente em crianças, contingente mais vulnerável. É de suma importância esclarecer as interferências que as notícias falsas têm provocado na percepção da população a respeito das vacinas, bem como o impacto na adesão à mesma. Investir continuamente com ações contextualizadas, que considerem os determinantes sociais e ambientais, estimulando à adesão vacinal, além de considerar o diálogo e a educação em saúde, estratégias fundamentais para manter o calendário vacinal atualizado.

Principal

LISETE STEFFENS

Coautores

Katia Gomes, Karine Alencar , Gina Jonasson Mousquer Capelin, Patricia Farias

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Teste do Certificado
Minas Gerais
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba