Olá,

Visitante

Proposta de Implantaçâo de Comprovante de Procedimento Assistencial para Usuários do SUS.

Reuniões com técnicos do Departamento de Informática do SUS/DATASUS para apresentação e discussão da proposta e elaboração do instrumento Comprovante de Procedimento Assistencial, composto pelas seguintes informações: identificação da unidade de saúde, do usuário, do profissional que realizou o atendimento, e do procedimento realizado. A tabela SIGTAP deve ser referência para registro dos procedimentos, que devem constar nos prontuários dos usuários. Recomendação: Inicialmente, propomos a adoção compulsória do comprovante de atendimento e de serviços prestados ao usuário do SUS, em regime ambulatorial ou hospitalar, que será emitido no ato da liberação ou alta do usuário, e entregue a ele. Posteriormente, evoluir para um sistema informatizado com registro instantâneo dos procedimentos realizados, permitindo a extração do comprovante do atendimento, com valores de custo, ao término do atendimento ambulatorial ou de internação, com envio imediato para o Sistema de Informações Ambulatorial/SIA e ao Sistema de Informações Hospitalares/SIH.

O financiamento do Sistema Único de Saúde/SUS é feito pelos entes governamentais, federal, estadual e municipal, que aportam significativo volume de recursos para as ações e os serviços públicos de saúde. A União, os estados e os municípios têm por obrigação o controle da aplicação dos recursos do SUS. Dentre as iniciativas de controle, o Ministério da Saúde desenvolveu a ferramenta Carta SUS com o objetivo de monitorar a aplicação dos recursos, avaliar o atendimento e os serviços prestados na rede pública de saúde e nas unidades conveniadas. A correspondência, que começou a ser enviada em janeiro de 2012, é destinada aos usuários do SUS, que tenham sido internados ou submetidos a procedimentos de alta complexidade na rede pública ou em unidades conveniadas, para que façam uma avaliação do atendimento e dos serviços prestados. As respostas que denunciam possíveis irregularidades na prestação dos serviços são enviadas aos órgãos de controle, para averiguação das denúncias. Ações de controle realizadas, em decorrência das denúncias das cartas, têm evidenciado fraudes como pagamento de internação hospitalar para usuários que receberam assistência ambulatorial, cobrança de procedimentos de custo maior do que foi realizado, cobranças aos usuários de procedimentos pagos pelo SUS. Justificativa: Considerando que a Carta SUS não é enviada a todos os usuários do sistema, que nem sempre é respondida, e, dada a quantidade significativa de procedimentos pagos pelo SUS, que não são cobertos pelas ações de fiscalização, propomos a implantação de um instrumento para comprovação do atendimento ambulatorial e/ou hospitalar no momento seguinte da realização desse atendimento, e que deve ser entregue ao usuário. Objetivo: Apresentar proposta de instrumento de comprovação dos procedimentos realizados pela unidade de saúde, visando contribuir para a redução de irregularidades na prestação de serviços.

Principal

Regina Áurea Mello S. Cavalcanti

A prática foi aplicada em

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Organização social

Foi cadastrada por

Regina Áurea Mello S. Cavalcanti

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Conselho itinerante:fortalecendo o controle social em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
Oficina de Culinária Afeto e Sabor
Paraíba
Práticas
Aproximando a Comunidade com a Gestão da Atenção Primária em Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Implantando Novas Instâncias Deliberativas no Município Paulo Jacinto – Al
Alagoas
Práticas
Importância da Conferência Municipal de Saúde para o Fortalecimento da Participação da Comunidade na Defesa do SUS.
Paraíba
Práticas
Participação Popular na Estratégia Saúde da Família em Petrópolis-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Roda de Conversa com As Famílias: Cuidando de Quem Cuida
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação de Colegiado Gestor nas Unidades de Saude da Família de Japeri-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Controle Social e Saúde do Trabalhador: a Experiência Regional do Conselho Gestor do Cerest- Pólo Duque de Caxias – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
A Experiência do 1º Curso de Capacitação para Conselheiros de Saúde e Membros das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador (Cists) Sobre a Temática da Saúde do Trabalhador do Cerest- Pólo Duqu
Rio de Janeiro