Olá,

Visitante

Projeto de Intervenção em Educação Sanitária com Foco em Vigilância Sanitária para Alunos do 1º ao 3° Ano da Escola Municipal “Manoel de Paula Serrão”, Município de Anchieta/Es.

A educação em saúde é conhecida como uma prática que combina ações voltadas à geração de experiências de aprendizagem que irão conduzir o indivíduo a uma vida saudável. No Brasil, a incapacidade política de implantar atividades educativas de forma racional e planejada gera preocupação, pois, além disso, a inexistência de campos de atuação técnico-científicos, deixam uma grande lacuna no desenvolvimento de práticas educacionais voltadas à área da intervenção em prevenção de doença com a possibilidade de aumentar ganhos em saúde, melhorando indicadores de morbidade e evitando tempo de internação e gasto em terapêuticas dispendiosas e na promoção em Saúde utilizando intervenção precoce na saúde materna e na saúde infantil (CANDEIAS, 1997).Os projetos de intervenção orientados para a ação de uma forma sustentada são uma boa forma de encarar a ação de educação e promoção à saúde, com absoluto respeito pelas características especificas da população alvo. Os projetos devem estar dentro das prioridades, definidas pelos programas nacionais a desenvolver, indicados pelo Plano Nacional de Saúde.Mediante este contexto, o estudo projeto se objetiva em oportunizar espaços de reflexão entre profissionais de saúde e educação, de modo a promover a ressignificação de suas vivências para a transformação da realidade social, através da concretização de ações locais de vigilância sanitária, para efetivamente intervir na prevenção de agravos à saúde coletiva e individual, fornecendo informações que o possibilitem a agir com senso crítico sanitário.O ambiente escolar é um cenário para transformações culturais e de mudanças de comportamento, pois através de aprendizagens significativas é proporcionado o desenvolvimento de atitudes de promoção da saúde. Sabe-se que a aprendizagem para ser significativa deve estar relacionada à experiência que o indivíduo vive e trabalhar com o coletivo permite fortalecer cidadanias. A partir das experiências vivenciadas pelo coletivo, pode-se contribuir para a solução de problemas e para o desenvolvimento de cada um e assim promover transformações na organização da gestão, da atenção e do controle social.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS: O Ensino Fundamental, anteriormente conhecido como Primeiro Grau, é concebido a partir da junção dos antigos cursos primário e ginasial. É composto de dois ciclos: o primeiro ciclo – anos iniciais, que correspondem aos primeiros cincos anos do Ensino Fundamental. Nesta fase, geralmente, o trabalho pedagógico é realizado por um ou, no máximo dois professores regentes. Segundo ciclo (quatro anos finais) uma equipe de professores especialistas nas diferentes disciplinas é quem desenvolve o trabalho. Para o desenvolvimento das ações desta intervenção, será estabelecida a atuação dentro de segundo ciclo do Ensino Fundamental abordando do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental. A proposta do projeto de intervenção foi de cunho transversal e interdisciplinar, conforme é definido p

Necessidade de promover a educação sanitária com foco em vigilância sanitária, empoderando-se a criança de informação para que possibilite o agir com senso crítico sanitário.

Destaca-se que as crianças foram capazes (através do entretenimento), de assimilar técnicas e práticas em vigilância sanitária, construindo ideias, interpretando a história e aplicando-as em seu cotidiano. Comprovando assim a efetividade desta técnica como ferramenta de trabalho para a difusão da consciência sanitária, desenvolvendo na criança o conhecimento através do envolvimento pessoal, ao invés da transmissão de informação tradicional em sala de aulaDiante disso, pode-se dizer que o papel do agente fiscal neste projeto de intervenção foi de suma importância, agindo como porta voz dos bons hábitos de higiene na construção do processo de cultura sanitária. O que reforça a importância da replicação desta metodologia, em todas as escolas de Ensino Fundamental do Município de Anchieta, como forma de multiplicar conhecimento e lapidar comportamento.

Principal

Carlos Hemilio Fontana Gomes

A prática foi aplicada em

ES

Espírito Santo

Sudeste

Instituição

320040

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

claudia.oliveira@fiocruz.br

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Educação Permanente em Saúde Diária como Estratégia de Sustentação na Integração Entre Equipes Técnicas Distintas – Atenção Básica e Vigilâncias
São Paulo
Práticas
Avaliação Interdisciplinar e Diagnóstico Diferencial – Mobilização na Busca de uma Linha de Cuidado Assertiva no Cer de São Bernardo do Campo
São Paulo
Práticas
Intervenção do Farmacêutico do Nasf no Uso Irracional de Antiinflamatórios Não Esteroidais (Aines), uma Experiência da Ubs União
São Paulo
Práticas
Tecendo Redes: uma Experiência de Articulação do Trabalho em Rede Intersetorial em um Território de Saúde no Município de Assis/Sp
São Paulo
Práticas
Empoderamento Social em Defesa do SUS no Município de des calvado – Sp
São Paulo
Práticas
A Experiência de Implantação da Política de Saúde Integral para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (Lgbt) na Região Central do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
des envolvimento da Gestão de Custos no SUS em São José do Rio Preto
São Paulo
Práticas
Processo de Implantação da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil como Forma de Transformação e Reorganização do Trabalho em Ubs
São Paulo
Práticas
Primeira Mostra de Experiência da Linha de Cuidado Sobrepeso e Obesidade, Os Resultados Alcançados Pelo Município de Parapuã Sp
São Paulo
Práticas
Compulsão Decisória na Judicialização da Saúde, des estruturando e des afiando o Financiamento Finito do Sistema Único de Saúde
São Paulo