Olá,

Visitante

Poliomielite, Desafios e Estratégias para Atingir Cobertura Vacinal em Frutuoso Gomes, Microrregião do Alto Oeste Potiguar

Categoria não especificada

Estimular as estratégias para vacinação do público infanto-juvenil certamente tem sido um grande desafio na saúde pública do Brasil. Apesar das coberturas vacinais serem responsáveis por substanciais reduções na mortalidade infantil, o número de jovens e adultos vacinados tem diminuído circunstancialmente. O Programa Nacional de Imunização (PNI) é referência internacional e ferramenta essencial para implementação de vacinas no calendário do Sistema Único de Saúde (SUS). A poliomielite é uma doença imunoprevinível, ou seja, pode ser evitada a partir da utilização da vacina que é causada pelos poliovírus 1, 2 e 3. No Brasil realiza-se campanhas de combate a poliomielite, com o estabelecimento de metas de coberturas, para direcionar e estimular os municípios e gestores a cumprirem com os indicadores de saúde pública. As estratégias foram elaboradas e executadas no município de Frutuoso Gomes que fica localizado na região oeste potiguar do Estado do Rio Grande do Norte, onde residem cerca de 4.041 habitantes. Dentro os desafios apresentados durante a campanha de vacinação contra poliomielite, certamente estimular a aceitabilidade e convencer os genitores a vacinarem seus filhos foi o principal deles. Outro ponto, foi a eminente necessidade de atualização da classe trabalhista a respeito do Plano Nacional de Imunização e da identificação de possíveis atrasos nos cartões de vacinas. As estratégias utilizadas pela equipe de trabalho resumiram-se em elaborar um plano de ação, com base nos dados epidemiológicos do município afim de quantificar as crianças da faixa etária atingida pela campanha (1 a 4 anos), posteriormente foi realizado reuniões de capacitação com a equipe de agentes comunitários de saúde sobre atualização das carteiras de vacina, aprazamento e o PNI. Além dessas estratégias, foi sistematizado que todo e qualquer atendimento à crianças realizado na atenção primária só aconteceria mediante a apresentação da caderneta de vacinação infantil, afim de identificar as vacinas em atraso e realizar vacinação e aprazamentos. Outro ponto, foi a realização do espelhamento do calendário vacinal com as cadernetas de vacina realizados pelos agentes comunitários de saúde em suas 11 microáreas. Com isso, o município alcançou 100% da meta da campanha vacinal contra poliomielite.

Dentro os desafios apresentados durante a campanha de vacinação contra poliomielite, certamente estimular a aceitabilidade e convencer os genitores a vacinarem seus filhos foi o principal deles. Para tal, foi utilizado algumas estratégias que reestabeleceram a confiança entre o profissional de saúde, SUS, ciência e os pais das crianças, resultando na nova busca pelos serviços de imunização. Além do desafio anterior, foi necessário realizar uma sistematização da relação nominal das crianças residentes no município afim de facilitar a busca ativa por parte dos profissionais de saúde e favorecer a campanha vacinal. Outro ponto, foi a eminente necessidade de atualização da classe trabalhista a respeito do Plano Nacional de Imunização e da identificação de possíveis atrasos nos cartões de vacinas para que fosse possível realizar vacinação e agendamentos para vacinas posteriores.

As estratégias utilizadas pela gestão municipal foram essenciais para o significativo aumento na cobertura vacinal de poliomielite no ano de 2022. Para iniciar o processo de trabalho na campanha de vacinação, foi necessário realizar uma reunião com os agentes comunitários de saúde municipal, onde foram realizadas analises de cartões de vacinas afim de capacita-los sobre identificação e aprazamentos, além de identificar possíveis atrasos na vacinação infantil, conforme imagem 1 e 2 (em anexo). Posteriormente, foi realizado a organização de uma relação nominal de crianças que corresponde a faixa etária público alvo da campanha, onde foram identificadas 219 crianças. Os agentes comunitários de saúde deram inicio a busca ativa por crianças não vacinadas, afim de acelerar o processo de vacinação nas suas respectivas microáreas. Essa ação refletiu em resultados significativamente positivos para o avanço da cobertura vacinal. Os agentes comunitários de saúde realizaram também o espelhamento entre o calendário nacional de vacinação com as cadernetas de vacina das crianças que residem em suas respectivas áreas, de modo a realizarem atividades educativas sobre a importância da vacinação e a convocação para comparecimento na unidade básica de saúde para realizar a vacinação de seus filhos e/ou aprazamento de próximas doses, como demonstra a imagem 3 e 4, (em anexo). Logo depois, foi estabelecido um novo fluxo de trabalho dentro da Unidade Básica de Saúde José Ginaldo Bezerra – Dodô, principal unidade básica do município. A mudança foi realizada principalmente no momento de triagem e acolhimento inicial dos usuários, realizados no serviço que é a principal porta de entrada de usuários aos atendimentos do SUS. Dessa forma, todo e qualquer atendimento realizado pela equipe multiprofissional, seja odontóloga, médica, fisioterapêutica, psicológica ou nutricionista, foi realizado mediante apresentação da caderneta nacional de vacinação para inspeção, de modo que a ausência da carteira não anula o atendimento. Resultando em maior adesão a campanha de vacinação e maior controle de aprazamentos. Por fim, foi realizar junto as instituições de educação presentes no municípios atividades de educação em saúde, onde foi trabalhado a importância da vacinação, de bons hábitos de saúde e relação prevenção-adoecimento, convocando os alunos a levarem suas cadernetas de saúde para a própria instituição de ensino, com a autorização de seus responsáveis, para que a Enfermeira responsável pela atenção primária realizasse uma pequena inspeção e convidasse aqueles que possuíam vacinas em atrasos a comparecer até a unidade primária de saúde para realizar a vacinação, assim como demonstrado na imagem 5, (em anexo).

Em suma, o município de Frutuoso Gomes, atingiu com excelência a meta da campanha de poliomielite graças a uma força tarefa para realização de estratégias de estimulo a vacinação dentro do território municipal, realizado pela equipe de gestão e multiprofissional da equipe de atenção básica. É essencial que outros municípios realizem a formulação e o planejamento de estratégias como essa e empenhem-se de maneira efetiva para o cumprimento das campanhas vacinais para reafirmar os indicadores de saúde pública e reinstituir os bons hábitos de vacinação com a população, resultando nos baixos índices de adoecimento.

Principal

Maria Madalena Paulo Torres

Coautores

Gerdilene Carlos Tomás da Silva , Pedro Davi Carlos de Moura

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos