Olá,

Visitante

Os desafios de imunizar e manter os indicadores em tempos de pandemia no município de Tefé

O município de Tefé, com população aproximada de 72.000 (setenta e dos mil) habitantes segundo o cadastro ESUS-AB (distante 525 quilômetros da capital), no médio Solimões. Sendo que 80% reside na área urbana e 20% na área rural. Em Tefé nos anos anterior a Pandemia da covid-19 os indicadores do Programa de imunização eram alcançados mesmo levando em comiserando as dificuldades de logística, condições climáticas, hidrográficas e geográficas. Entretanto com advento da Pandemia da covid-19 o cenário mudou devido as fake News divulgadas nas redes socais, que além de interferir na vacinação da covid-19, afetou diretamente a credibilidade das vacinas de rotina do calendário vacinal oficial. Outro fator preponderante, que afetou os resultados foi a definição dos grupos prioritários definidos pelo Programa Nacional de imunização para covid-19, que além de nos limitar a vacinar a população nos territórios de difícil acesso, afetava diretamente nos resultados da vacina de rotina, campanha do sarampo, campanha da pólio e campanha da influenza. Pois no início da pandemia não se podia administrar as demais vacina no mesmo dia da vacina de covid-19, acarretando dificuldades na logística município/comunidade e a capacidade de garantir no tempo hábil a segunda dose da vacina, tanto pelo alto custo, mas também pela distância do território. Vale ressaltar ainda, que a quantidade de vacinadores não era suficiente para ampliar o número de postos de vacinação necessários com objetivo de atender o maior número de pessoas no mesmo período de tempo, pois não tínhamos capacidade instalada de atendimento para o volume de pessoas que procuravam o serviço. O presente projeto visa demostrar a estratégias traçadas com objetivo de ajustar o fluxo de atendimento e obter o maior indicador em tempos de pandemia.

A organização do processo de trabalho foi ajustada para atender a população urbana no sentido de desmistificas as fake News, ampliar o número de postos de atendimento, descentralizando o serviço, ampliando o horário de atendimento nas UBSs e estendendo o horário de atendimento nos finais de semana. Na área rural ampliamos o número de atendimento, expandimos o número de viagens para atender a população ribeirinha, garantimos o acesso à vacinação em tempo oportuno, conforme Calendário Vacinal, estabelecido pelo Ministério da Saúde/PMI. Estabelecemos como prioridade as comunidades no período das cheias, pois no período da estiagem o acesso a essas comunidades é praticamente impossível, a dificuldade na região norte ocorre na estiagem (seca) e cheias do rios, que no amazonas os rios, furos, igapós, lagos e igarapés são nossas estradas vicinais (fluviais). A capacitação da equipe e as palestras nos territórios adscritos as UBS, informação sobre a campanha em todas as mídias sociais e também nas rádios locais que atingiam as comunidade rurais com objetivo de quebrar barreira da informação e restabelecer a credibilidade das vacinas. A imunização é uma das principais medidas de prevenção para proteger os indivíduos e controlar a disseminação de doenças em regiões com pequena ou grande densidade demográfica. No entanto para que a vacinação seja eficaz e segura, é preciso desenvolver ações estrategicamente planejadas frente aos desafios. Alguns desses desafios incluem: logística estado/município, município/comunidades, armazenamento adequado, monitoramento. Além de todo envolvimento estratégico a nível de gestão, coordenação, investimento em recursos e tecnologia, distribuição e abastecimento.

Em tempos de pandemia a Secretaria Municipal de Saúde adotou medidas planejadas e sistematizadas, desenvolvidas de maneira intersetorial e institucional, utilizando a comunicação e mobilização social como meio de atingir todos os estratos sociais. ü Capacitação de profissionais; ü Ampliação das equipes da estratégia da saúde da família, dobramos o número de vacinadores; ü Suporte logístico para aquisição de vacinas independe da logística do município a prefeitura disponibilizou o serviço para que enviasse independente do dia contratado de transporte, custeado todo custo extra, até mesmo aluguel de aeronave para transportar os imunobiológicos; ü Intensificação das campanhas e atividades de rotina; ü Busca ativa casa a casa (através das equipes de saúde) foi a maior estratégia já realizada com ACS; ü Horários estendidos nas UBS e ampliação nos atendimento nos finais de semana (oportunizando a vacina para a população sem disponibilidade no período diurno); ü Mutirões de vacinação (praia, praças, porto, aeroporto, escolas, estabelecimentos comerciais; ü Drive Thur (oportunizando a vacinação às pessoas com necessidades especiais e idosos; ü Premiação das equipes, como forma de incentivar o alcance das metas; ü Comunicação e mobilização social para conscientização da população (rádios, carro volante, redes sociais).

Em tempos de pandemia é crucial que se adote boas estratégias de vacinação. Para que as ações sejam bem sucedidas, é importante que a Secretaria Municipal de Saúde tome medidas intersetorial e interinstitucional, estrategicamente planejadas, identificando os desafios, estabelecendo as prioridades, utilizando as estratégias e meios adequados para realizar uma vacinação eficaz. Os profissionais de saúde, idosos e pessoas com comorbidades são considerados os grupos mais vulneráveis. No entanto, também são considerados grupos prioritários as crianças, trabalhadores essenciais e pessoas com alto risco de exposição as doenças. Essa situação impõe ao PMI tomada de decisões acertadas para uma cobertura vacinal homogênea. Para o bom desempenho das ações e dos profissionais envolvidos, foi fundamental a comunicação clara e objetiva. As informações sobre os benefícios, compartilhadas de forma compreensível e responsável garantiu ações bem sucedidas. Sendo assim, o Programa Municipal de Imunização recomenda, antes de tudo, que se faça a identificação dos desafios e viabilizem ações condizentes com a realidade local e grau de complexidade. Estabeleça uma boa comunicação, de modo que todos os profissionais envolvidos trabalhem juntos.

Principal

Elines Alves Moura Da Silva

A prática foi aplicada em

Todos os Estados (Norte)

Norte

Esta prática está vinculada a

Projeto ImunizaSUS

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

30 ago 2023

e atualizada em

29 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Oferta e Inserção do DIU pelo Enfermeiro na Atenção Primária a Saúde do Município de Assunção
Paraíba
Práticas
A prática da natação para crianças e adolescentes com deficiência em município do sertão paraibano
Paraíba
Práticas
Potencializando ações e atendimentos itinerantes nos bairros para melhoria e alcance de metas
Paraíba
Práticas
Implantação do cuidado farmacêutico na atenção básica, integrando farmácia a rede de atenção a saúde
Paraíba
Práticas
A eficácia do instrumento de classificação de risco gestacional na atenção primaria à saúde.
Paraíba