Olá,

Visitante

O Uso do Censo Vacinal como Proposta de Intervenção para o Aumento da Cobertura Vacinal

Categoria não especificada

A problemática deste projeto surgiu através do retrocesso na cobertura vacinal (CV), obtendo no município uma queda superior a 40%, com o objetivo de elevar a cobertura vacinal de crianças menores de dois anos foi realizado um estudo descritivo e retrospectivo sobre a CV e o uso do censo vacinal que possibilitou a descoberta real de crianças com calendário atrasado, a busca ativa e monitoramento e assim fez com que o município de Craíbas saísse da marca de 49,63% (2021), para 95,21% (2022).

Elevar a cobertura vacinal de crianças menores de dois anos • Mapear as crianças menores de dois anos com vacinas atrasadas; • Realizar busca ativa; • Monitorar a vacinação.

Estudo descritivo e retrospectivo sobre a Cobertura Vacinal (CV) das vacinas aplicadas nas crianças menores de 2 (dois) anos, entre 2019 (pré-pandemia) e 2022 (pós-pandemia), as vacinas selecionadas para análise de foram: BCG, Hepatite B, Meningococo C, Rotavírus Humana, Penta, Pneumocócica, Poliomielite, Febre Amarela, Hepatite A Tríplice viral e DTP. A intervenção consistiu no acompanhamento prévio e na vacinação dos indivíduos, através do censo vacinal e elaboração de uma proposta de intervenção para ampliação de cobertura vacinal. O censo vacinal foi realizado em crianças menores de dois anos, em maio de 2022, solicitando aos agentes de saúde que recolhessem os cartões de vacina e juntamente aos enfermeiros e vacinadores observou-se a situação vacinal, preenchendo o “livro de acompanhamento vacinal” com o intuito de monitorar as crianças presentes naquela região, identificando atrasos no calendário definido pelo Ministério de Saúde Brasileiro (MS). Após o mapeamento das crianças com calendário atrasado, foi realizado busca ativa para vacinação. O livro de acompanhamento vacinal foi criado para os vacinadores monitorar todas as vacinas das crianças, fica nas salas de vacinas de todas as UBS. Então, cada criança que nasce o enfermeiro ao realizar teste do pezinho coloco o nome e já registra a BCG e Hepatite B realizada na maternidade, o técnico dar seguimento ao preenchimento do livro, monitorando e realizada busca ativa quando necessário.

O censo vacinal possibilitou a descoberta real de crianças com calendário atrasado de cada UBS, das dez UBS implantadas no município, todas havia crianças com vacinas em atraso, sendo que algumas estavam com cerca de 80% de crianças com vacinas atrasadas. Cobertura Vacinal 2021: BCG: 37,81%; Hepatite B (menores de 30 dias): 31,88%; Hepatite B (1ª dose): 75,46%; Penta: 75,46%; Pneumocócica: 46,56%; Pneumocócica (reforço): 60,09%; Rotavírus Humana: 60,32%; Meningococo C: 56,88; Meningococo C (reforço): 50,46%; Poliomielite: 69,72%; Febre Amarela: 27,06%; Hepatite A: 50,23%; Tríplice Viral D1: 59,40%; Tríplice viral D2: 24,09%; DTP: 33,72%; Pólio ( 1º reforço): 23,17% e varicela: 44,50%. Cobertura de Vacinal 2022: BCG: 105,71%; Hepatite B (menores de 30 dias): 101,43%; Hepatite B (1ª dose): 106,67%; Penta: 106,19%; Pneumocócica: 108,81%; Pneumocócica (reforço): 100,48%; Rotavírus Humana: 89,29%; Meningococo C:107,38%; Meningococo C (reforço): 105,95%; Poliomielite: 106,67%; Febre Amarela: 63,33%; Hepatite A: 87,86%; Tríplice Viral D1:91,90 %; Tríplice viral D2: 77,86%; DTP: 80,24%; Pólio (1º reforço): 73,57% e Varicela: 80,24%. No geral, a amplificação da cobertura vacinal das crianças menores de dois anos, entre 2021 e 2022, foi de 45,58%. O município de Craíbas saiu da marca de 49,63% (2021), para 95,21% (2022) com projeção de atingir os 100% no seguinte ano (2023). Ao analisar as coberturas vacinais em Craíbas, é possível avaliar o desempenho do programa de imunizações e identificar os grupos vulneráveis a doenças imunopreveníveis. Os resultados da pesquisa destacaram diferenças significativas nas coberturas vacinais entre as diferentes Unidades de Saúde da Família, além de altas taxas de abandono em relação às vacinas contra o rotavírus humano, Febre Amarela e Varicela. O censo vacinal foi de grande valia para mapear as crianças com calendário atrasado e atualmente o município usa de instrumentos de monitoramento das crianças a serem vacinadas, como o livro de acompanhamento vacinal que tem surtido efeito positivo na permanência do aumento da cobertura. É fundamental que as autoridades de saúde intensifiquem esforços para incentivar a população a manter-se atualizada com as vacinações, a fim de prevenir surtos de doenças preveníveis e garantir a proteção da saúde da população. Assim, diante do exposto a proposta de intervenção implementada teve um resultado positivo, observando o aumento da cobertura.

Principal

Elissandra Silva Santos

Coautores

Antônio Gama Barbosa , Diorgenes Costa da Silva

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro