Olá,

Visitante

Monitoramento, uma estratégia pontual, para melhoria das coberturas vacinais em Buriti dos Montes

O município de Buriti dos Montes situa-se na Região de Carnaubais, Macrorregião de Campo Maior. Com densidade demográfica de 3,01 hab/km², e distância da Capital km, de 251 com a extensão territorial de 344,691 Km². Conforme dados do IBGE a população estimada para 2021 foi 8.282 pessoas. Considerando o relatório de cadastro individual, até o período de dezembro de 2021 o município cadastrou 8.113 pessoas, sendo o quantitativo da população de 0 a 4 anos de 513 no período. Os dados de cadastro de 2022 apresentam 8.274 cidadãos ativos, sendo que desse total 530 são a população de 0 a 4 anos. (E-SUS AB). Atentando-se a esse cenário desfavorável de alcance das coberturas em 2021, trazendo o percentual geral de 15,47% considerando todas as vacinas que contemplam a faixa etária já mencionada, a Secretaria Municipal de Saúde inicia o monitoramento do desempenho dos indicadores do Calendário Básico de Vacinação das crianças menores de 0 a 4 anos de idade no território. Ressalta-se que o monitoramento das coberturas vacinais (CV) representa um importante instrumento de planejamento, análise e avaliação, visto que reflete, direta ou indiretamente, a adesão da população às ações de vacinação e a efetividade do programa de imunização. Considerando a magnitude do problema relativo à queda acentuada nas coberturas e homogeneidade vacinais, foram definidas as estratégias de monitoramento e avaliação de modo a acompanhar o desempenho dos indicadores e implementar ações para alcance das coberturas e, consequente, mudança no cenário.

A estratégia de monitoramento possibilitou identificar as principais dificuldades, sendo elas: Primeiro ano de retorno de algumas atividades pós- pandemia- consultas de puericultura não realizadas; Campanhas permanentes de vacinação contra a COVID-19; Poucas ações de monitoramento, principalmente, com relação ao envio das informações em tempo oportuno; Sistema e- SUS AB- CDS, como Sistema de Informação da Atenção Básica; Das Equipes de ESF, três são rurais, sendo a maior parte da população residente na zona rural- (CD 2021: 1.003 domicílios na zona urbana e 1.681 na zona rural; CD 2022: 1.055 domicílios na zona urbana e 1.757 na zona rural); As Equipes da Zona Rural possuem vários pontos de apoio para atendimento, o que dificulta o acesso; O município possui áreas rurais bem distantes, que fazem de litígio com os municípios de Milton Brandão, Juazeiro do Piauí; também possui áreas rurais menos distante da sede, no entanto, com maior proximidade das cidades de Castelo do Piauí e de Crateús, no Ceará, e devido ao acesso, às vezes, as crianças são vacinadas nessas cidades; Envio de frascos multidoses com tempo de validade após abertura do frasco.

A partir da identificação das problemáticas locais, desenvolvemos estratégias pontuais com o intuito para fortalecer as ações de imunização, sendo as principais: Intensificação das ações de monitoramento das coberturas; Implementação das reuniões de monitoramento trimestrais com as Equipes de Saúde; Implantação do Prontuário Eletrônico em parte das Unidades de Saúde; Criação e implementação da ficha de monitoramento para as Equipes de Saúde realizarem a avaliação de todos os cartões das crianças de 0 a 6 anos residentes na área; Estabelecemos parcerias intersetoriais, principalmente, com as escolas; Realizamos a Semana do Bebê, em formato intersetorial, com a temática – “A Importância da Afetividade para o Desenvolvimento Infantil: Quem ama Vacina”. Reavaliando as Coberturas em Janeiro de 2023, referente ao ano de 2022, constatamos a efetividade das ações implementadas e outras atividades foram propostas. Dentre elas: Primeiro ciclo das reuniões de monitoramento das equipes que foram realizadas de 13 a 17 de fevereiro; Expansão do Prontuário Eletrônico para mais Unidades de Saúde; A Puericultura foi definida com uma ação prioritária e a realização pelas Equipes deverá ser executada mensalmente e, será monitorada através das programações e relatórios de atendimento. Além disso, foi definido também, o resgate às consultas das crianças acima de 2 anos até 6 anos, considerando os intervalos de atendimento preconizados pelo Ministério da Saúde; Adesão ao Programa Saúde na Escola, e uma das ações, avaliação de cadernetas de vacinação; Qualificação para os Agentes Comunitários de Saúde, com foco na avaliação de Caderneta de Vacinação, realizada no dia 07 de março de 2023; Qualificação para Auxiliares, Técnicos em Enfermagem e Enfermeiros, com foco nas Boas Práticas para uma Vacinação Segura, realizada no dia 16 de março de 2023. Outras ações propostas: Captar as crianças logo após o nascimento, de preferência no momento do teste do pezinho e/ou consulta puerperal, marcando a primeira consulta de puericultura para a primeira semana de vida; Garantir que as vacinas que compõem o calendário vacinal sejam ofertadas cotidianamente nas Unidades Básicas de Saúde, com estratégias pontuais, para as vacinas que possuem restrição de validade; Orientar nas consultas de pré-natal e de puericultura sobre a importância da administração das vacinas preconizadas pelo Ministério da Saúde; Manter contato com as creches e Pré- escolas para verificação do calendário vacinal, acompanhamento conjunto e diálogo colaborativo entre as partes; Realizar o acompanhamento nominal das pessoas e famílias adscritas à equipe; Construir protocolos locais que organizem a atenção, o rastreamento, a busca ativa de crianças com esquema vacinal incompleto e realização do acompanhamento dos faltosos (atraso no calendário vacinal) individualmente; Realizar intervenção educativa, sistematizada e permanente com os profissionais de saúde, aspecto fundamental para mudar as práticas em relação à imunização e aprimorar a qualidade do registro das informações de saúde; Realizar ações educativas direcionadas à comunidade para sensibilização da importância de manter o esquema vacinal completo nas crianças nesta faixa etária; Estabelecer uma rotina de atualização e acompanhamento das Cadernetas da Criança, tanto na aplicação do calendário vacinal (incluindo as vacinas de campanha) quanto de registros anteriores de vacinação no prontuário do cidadão.

Com análise das coberturas, após o desenvolvimento das principais ações citadas, percebe-se a melhoria significativa, com alcance de 92,44% do total geral das vacinas realizadas na faixa etária de 0 a 4 anos, referente ao de 2022. Nesse sentindo, o monitoramento é de fundamental importância para as atividades de vacinação, devendo ser realizado sistematicamente no conjunto das ações da atenção básica. Configura-se como um poderoso instrumento no julgamento e na análise das atividades de vacinação, contribuindo para que as ações adotadas sejam revisadas, bem como novas estratégias sejam implementadas. A partir dos seus resultados, todos os envolvidos e responsáveis pelas atividades de vacinação, como profissionais, gestores, etc.; poderão melhor conduzir as ações. Isso significa escolher as estratégias mais indicadas para aquela população- alvo da área ou do território específico e adequar as ações às especificidades locais, permitindo, assim, a manutenção de coberturas acima do mínimo preconizado.

Principal

Fernanda Tavares Brandão

Coautores

Fernanda Tavares Brandão

A prática foi aplicada em

Todos os Estados (Norte)

Norte

Esta prática está vinculada a

Projeto ImunizaSUS

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

30 ago 2023

e atualizada em

29 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba
Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba
Práticas
Adote um sorriso: auto estima e saúde, buscar sorrisos felizes é nossa prioridade.
Paraíba
Práticas
Adesão às consultas de puericultura: uma intervenção na estratégia de saúde em Esperança – PB
Paraíba
Práticas
Descentralização do cuidado: levando as práticas de atividade física a população da zona rural
Paraíba
Práticas
Reterritorialização: desafios e avanços no município de Campina Grande-PB
Paraíba
Práticas
Promovendo a amamentação: inauguração da sala de amamentação na UBSF Dr Antonio Virgílio Brasileiro
Paraíba