Olá,

Visitante

Monitoramento, Avaliação e Estratégias para Alcançar a Cobertura Vacinal de Poliomielite Inativada e Pentavalente em Crianças Menores de 01 Ano

Categoria não especificada

O município de Piquet Carneiro, localizado no Estado do Ceará, com distância de 300km de Fortaleza/CE, com uma área territorial de 589.601km², com uma população estimada de 17.210 habitantes (IBGE, 2021). As ações de imunização acontecem de forma descentralizada e intersetorial. Este trabalho tem como objetivo apresentar o monitoramento, avaliação e estratégias que o municipio de Piquet Carneiro/CE realizou para atingir 100% no indicador 05 do Programa Previne Brasil. Dentre as ações foi a criação de uma avaliação nominal das crianças após ser retirado o relatório do e-gestor, com a identificação das crianças é realizado uma avaliação detalhada e individualizada. No ano de 2021 estávamos com 24% no indicador 05 do Previne Brasil e foi a partir desses resultado que nos levaram a discutir com a equipe interna da secretaria de saúde. Ao final do quadrimestre de 2022 Q3 conseguimos alcançar 100% no indicador 05 do previne brasil, através de todos esses métodos de monitoramento e mapeamento dessas crianças dentro do PEC (e-SUS APS), SIPNI WEB, SISAB e contando com essa grande equipe.

Os problemas e desafios das ações de imunização que consideramos mais relevantes para o aumento da nossa cobertura vacinal é: Organização dos processos de trabalho: rotina dos serviços, busca ativa e os sistemas de informação. Quanto à Infraestrutura das salas de vacina e logística: aplicação, registro e Hesitação e a recusa vacinal.

As estratégias para fortalecer as ações de imunização no município foram voltadas para melhorar a cobertura vacinal do indicador 05 de Previne Brasil, que é ‘Crianças de 1 (um) ano de idade vacinadas na APS contra Difteria, Tétano, Coqueluche, Hepatite B, infecções causadas por haemophilus influenzae tipo b e Poliomielite inativada.’ Dentre as ações foi a criação de uma planilha de avaliação nominal das crianças, no Google Drive que é compartilhada com todas equipes de saúde. É realizado a retirada do relatório do e-Gestor, com a identificação das crianças que vão pontuar dentro do quadrimestre, é realizado uma avaliação detalhada e individualizada de cada criança. A planilha de avaliação e monitoramento dentro Drive tem os dados de CNES, INE, Nome da criança, CPF, CNS, data de nascimento, data que foi administrado a terceira do de VIP e Penta, contra uma aba de marcação para informar se a criança atingiu o indicador: sim, não, mudou-se ou duvidoso (que é para aqueles casos que constam erros nos cadastros ou duplicidade), temos ainda uma parte que detalha todas as observações que encontramos durante a avaliação. Na avaliação, é primeiro realizado a análise do cadastro da criança no PEC (e-SUS APS), identificando possíveis erros como duplicidade de cadastros, data de nascimento, nome, CPF, Cartão Nacional de Saúde (CNS) e vínculo com a equipe de Saúde da Família (eSF). É observado ainda os cadastros: Individual e Territorial (Agente Comunitário de Saúde – ACS) e o Cadastro no CADSUS WEB, avaliando sempre se há duplicidades ou informações erradas. Posteriormente avaliamos as vacinas VIP e Penta no PEC (e-SUS APS). Avaliamos no registro das vacinas dentro do cartão de vacina que consta no PEC, os dados do imunobiológico: como nome, data de validade e fabricante. É observado se o profissional que realizou a vacinação está devidamente identificado, após essa análise, vamos para o SIPNI WEB verificar se consta a migração dos dados de vacinação. Essa avaliação inicial é realizada primeiro pelas coordenações de Imunização e dos Sistemas de Informação dentro da Secretaria Municipal de Saúde. Que após analisar todos as vertentes existentes dento do indicador repassa de forma individualizada para cada eSF. Ao início do quadrimestre é entregue a cada unidade de saúde a lista nominal das crianças (e-GESTOR SISAB) que vão pontuar no indicador durante o quadrimestre. Ao final do nome de cada criança tem as observações com as descrições que encontramos, dentre elas estão: criança desvinculada da unidade, que mudou de município ou estado, crianças que foram vacinadas (segundo o cartão controle na unidade) e não estão com as vacinas digitadas, data de nascimento errado, crianças sem o CNS ou CPF ou dados com duplicidade. Cada unidade de saúde quando recebe a sua planilha avalia todos os casos e resolve todas as inconsistências. É realizado uma ação multiprofissional do Coordenador de Imunização na supervisão de cada unidade de saúde, sempre avaliando se foi realizado as correções solicitadas e dentro da Sala de Vacina pelo técnico de enfermagem da sala de vacina, enfermeiro, ACS e os gerentes das unidades de saúde, esses ficam na parte de correção das informações. Com isso realizamos desde o ano de 2021 um trabalho em equipe com o intuito de cada dia mais qualificar nosso atendimento a crianças, no que concerne a imunização e ainda alcançar coberturas vacinais e indicadores de imunização propostos pelo Ministério da Saúde e Estado. No ano de 2021 estávamos com 24% no indicador 05 do Previne Brasil e foi a partir desses resultado que nos levaram a discutir com a equipe interna da secretaria de saúde, as formas que poderíamos melhorar o nosso indicador e nos fez refletir “Em que parte estamos errado ou deixando passar alguma informação” e foi a partir de algumas indagações que mudamos o nosso olhar para a imunização, partimos para o pressuposto multiprofissional e interdisciplinar. Iniciamos um trabalho de educação permanente que a princípio foi com a equipe de vacinadores (Técnico de Enfermagem), foi realizado oficinas de registro de imunização em todos os sistemas e demonstrado para elas o impacto que o registro tem dentro dos nossos indicadores. Dentre os temas de educação permanente foi incluído no público os médicos, enfermeiros e ACS para fortalecer ainda mais a imunização dentro do nosso município. Hoje temos uma equipe que atua em conjunto, se a criança vai para uma puericultura e o médico ou enfermeiro detectar alguma vacina em atraso encaminha imediatamente para sala de vacina, para essa criança ser imunizada. Outra adesão importante foi o ACS que no momento que chega uma criança na área já é realizado o cadastro e em seguida ele encaminha a criança para a sala de vacina ou ele leva todas as informações da criança para vacinadora, através do cartão espelho do ACS (essa foi outra metodologia que implantamos de avaliação do cartão, aonde o ACS passa mensalmente na casa da criança e anota todas as vacinas realizadas na sala de vacina ou encaminha essa criança para a unidade de saúde ao detectar vacinas em atraso). Esse trabalho vem sendo realizado e vem dando certo pois obtivemos grandes resultados em 2022. Ao final do quadrimestre de 2022 Q3 conseguimos alcançar 100% no indicador 05 do previne brasil, através de todos esses métodos de monitoramento e mapeamento dessas crianças dentro do PEC (e-SUS APS), SIPNI WEB, SISAB e contando com essa grande equipe.

Considerando que no ano de 2021 o indicador nº 05 do Programa Previne Brasil nos apontou uma baixa cobertura vacinal, o que nos chamou atenção para buscar estratégias a fim de melhorar o indicador. Mudamos as estratégias, capacitamos toda a equipe de Saúde da Família, trouxemos eles para perto dos técnicos da secretaria de saúde, as coordenações trabalham em conjunto a imunização, atenção primária e dos sistemas de informação. Conseguimos melhorar nosso indicador e assim pretendemos cada dia mais qualifica a nossa equipe. Para assim continuar atingindo as metas e vacinar nossas crianças, protegendo e possibilitando a elas um futuro de qualidade e com o menor número de doenças possível, garantindo vacinas e coberturas, garantimos também uma saúde pública de qualidade para as nossas crianças e um SUS cada dia melhor. Considerando que no ano de 2021 o indicador nº 05 do Programa Previne Brasil nos apontou uma baixa cobertura vacinal, o que nos chamou atenção para buscar estratégias a fim de melhorar o indicador. Mudamos as estratégias, capacitamos toda a equipe de Saúde da Família, trouxemos eles para perto dos técnicos da secretaria de saúde, as coordenações trabalham em conjunto a imunização, atenção primária e dos sistemas de informação. Conseguimos melhorar nosso indicador e assim pretendemos cada dia mais qualifica a nossa equipe. Para assim continuar atingindo as metas e vacinar nossas crianças, protegendo e possibilitando a elas um futuro de qualidade e com o menor número de doenças possível, garantindo vacinas e coberturas, garantimos também uma saúde pública de qualidade para as nossas crianças e um SUS cada dia melhor. Através do desenvolvimento dessa prática conseguimos vacinar as crianças que mais possuem dificuldades seja para vir a unidade ou por recusa dos pais, então conseguimos oferecer um pouquinho mais para aqueles que não tinham ainda se imunizado contra doenças imunopreviníveis. Para a implantação desse monitoramento é primordial a análise nominal das crianças dentro do e-SUS APS em conjunto com o cartão espelho da criança, e a utilização de um instrumento para avaliação nominal das crianças. Obtivemos a inclusão social através da detecção dos não vacinados e estratégias de vacinação de acordo com a realidade da família. Através desse instrumento no google drive as unidades e os demais municípios podem detectar as suas crianças com atraso vacinal e assim realizar a busca ativa.

Principal

ANTONIA RAFAELA ARAUJO DA SILVA

Coautores

Valeria Franco de Souza, Rivelino Fernandes Franco, Francisco Sarmento do Vale, Dejacir Rodrigues Campos, Antonia Oliveira Cavalcante, Fabiola Batista Pinheiro, Jardania Lopes Vieira da Silva, Michelle Paulino dos Santos, Rosangela Silveira Martins, Roberlânia Maria Moreira dos Santos, Maria Aparecida Victor de Sousa, Thricieli Bastos Ferreira, Rita de Cascia Vitor Machado

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Aperfeiçoamento e segurança: impacto do trabalho multiprofissional na farmácia básica de Queimadas/PB
Paraíba
Práticas
Abordagem multiprofissional a usuários em processo de reabilitação física em Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Grupo de trabalho Proteja: estratégias de combate à obesidade infantil no município de Alagoinhas – PB
Paraíba
Práticas
Expansão do teste do pezinho no município de Umbuzeiro – PB : garantindo triagem neonatal nas comunidades rurais.
Paraíba
Práticas
Odontologia de mínima intervenção e Programa Saúde na Escola: a saúde bucal além do consultório
Paraíba
Práticas
Saúde com o agente : uma formação sem ponto final.
Paraíba