Olá,

Visitante

Missão Velha-Ce: Diagnóstico, Monitoramento e Ações do PrograMA Municipal de Imunização: Reconstrução e Resiliência na Melhoria Dos Indicadores Vacinais

Categoria não especificada

Missão Velha, estado do Sul Ceará, população média de 36mil habitantes, 17 UBS, 100% cobertura de atenção básica em saúde, sala de vacinação e todas as unidades básicas de saúde, está inserido nesse atual contexto: baixas coberturas vacinais. Mediante este cenário, realizamos análise de indicadores, monitoramento, definição de ações e estratégias, dias D extras de vacinação, educação permanente mais fortalecida, veiculação nas mídias sociais e revisto processo de trabalho conseguindo uma melhoria excelente , atingindo dois indicadores de vacina( BCG e Pneumo) e aumento percentual em todos os outros indicadores de rotina e até quatro anos.

A partir dos resultados da Pesquisa ImunizaSUS e da reflexão sobre os problemas e desafios das ações de imunização, identificar e apontar os mais relevantes para o aumento das coberturas vacinais no município ou região de saúde. O município de Missão Velha é acidentalmente extenso fazendo divisa com mais de seis cidades e uma zona rural grande e íngreme, tendo desde cultivo da banana ou área de aproximação com a chapada do Araripe o que dificulta o acesso e, algumas épocas do ano. Desafios mais encontrados: negacionismo, hesitação, funcionamento inadequado das salas de vacinação, dispensação do imunobiológico e dos insumos em números insuficientes, cadastros dos vacinadores desatualizados, dificuldade em digitação nos vários sistemas de informação, parte da equipe recém admitidos no serviço. A estratégia nacional do ImunizaSus nos traz uma realidade paradoxal ao que o país estava acostumado a realizar e nos fez despertar uma necessidade de mudança imediata e busca novamente por maiores coberturas vacinais e menores riscos de retorno de algumas doenças imunopreveniveis da infância. O projeto estruturou-se em três pilares: educação, comunicação e pesquisa e nos direcionou para diminuir a hesitação vacinal resgatando nossa expertise no tema, tendo impacto positivo por ter conduzido teoria e prática e ter trazido o problema para ser resolvido junto com as três esferas despertando a co-responsabilidade do ato de vacinar.

Reuniões para discutir diagnóstico, monitoramento, avaliação com assessorias e coordenadores e diretora do hospital no qual compilamos um documento norteador no qual estabelecemos metas e parâmetros desejáveis e fomos fortalecendo seu check list: 1- Criação pela secom da rural da vacina pra chamar atenção e realizar vacinação extramuro 2- Monitoramento mensal das crianças por território e microarea e busca ativa 3- Treinamento e atualização com enfermeiros e técnicos de enfermagem e acs 4- Monitoramento das crianças que estão em dias de fazer a vacina com o pin PEC e busca ativa 5- Descentralização das vacinas de covid para todas as unidades básicas de saúde 6- Chamamento e mutirão para atualizar vacinas covid 7- Campanha de atualização nos registros vacinais 8- Campanhas extra de dias D 9- Trabalho de educação em saúde com os pais de alunos e escola sobre importância da vacinação 10- Avaliação dos cartões de vacinas das crianças que estão matriculada no município 11- Webnários sobre ImunizaSus 12- Forte veiculação nas mídias sociais e nas rádios sobre a importância da vacinação 13- Busca ativa pelo SINASC nominalmente 14- Acréscimo de uma enfermeira a mais para cooperar com as vacinas de rotina 15- Fortalecimento de informações sobre disponibilidade de vacinas 16- Equipe para fazer extramuros semanalmente 17- Contratação pinpac e monitoramento com varias oficinas do PREVINE 18- Implantação do núcleo de epidemiologia hospitalar 19- Reabertura da sala de vacinação do hospital e seu devido acesso 20- Parcerias com educação e assistência social no fortalecimento da importância do calendário vacinal está atualizado

A gestão mudou em treze de agosto de 2021 e muito pretensiosamente articulou-se essa movimentação interna e desprendimento de muita força e energias para mudar o cenário municipal que estava atropelado e a população esperando e pressionando pela vacinação contra covid19 e em meio a esse turbilhão agregaram-se novos trabalhadores do SUS com experiências e nova vivencias culminando um melhor resultado encontrado. Em análise do gráfico observamos que BCG e Pneumo menor de 1 ano atingimos metas preconizadas, BCG tivemos aumento de mais de 700%. Saimos de 13% para 93%. Todos os imunos tivemos aumentos percentuais que variam de 108% a 151% . Nossa população de menor de um ano modificou-se e mesmo assim mantivemos numeros absolutos maiores comparados entre o ano de 2021 e 2022. A oscilação de aumento percentual na rotina de zero ao primeiro ano de vida foi de 108 a 700% Dois imunos atingimos as metas, outros 3 ficamos acima de 90% cobertura, outros cinco imunos acima de 80% cobertura e os imunos com metas mais baixas tivemos desabastecimentos gerais nacionais e estaduais

Principal

Edilasy Barbosa Mariz

Coautores

ANGELA VALERIA XAVIER DE FRANÇA, KAY FRANCE DE ARAÚJO PEREIRA QUINDERÉ, ALINE MARIA ALENCAR DA FRANCA, PALOMA ROLIM GOMES FECHINE, ISLA ARAÚJO DOS SANTOS, ELIDA FERREIRA DE FIGUEIREDO, LUANA FERNADES CRUZ, DEYSELANE MARIA GARCIA ARAÚJO, SAMARA CARTACHO MACEDO, ROSANA BRAZ DA SILVA, MICHAELLA SANTANA

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Teste do Certificado
Minas Gerais
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba