Olá,

Visitante

Mindfulness, uma estratégia para redução da ansiedade e manejo de peso

No período da COVID 21, muitos pacientes do Ambulatório de Terapias Naturais e Complementares (ATNC) relatavam ansiedade, depressão e estresse. O ATNC é um ambulatório de gratuidade idealizado e mantido pela rede de saúde da Divina Providencia, com 26 anos de existência, que atende a comunidade do bairro Cascata e os colaboradores das Unidades de Saúde administrados pela rede de saúde. Durante a pandemia percebemos que as emoções influenciavam muito o comer e impactavam negativamente a qualidade de vida dos pacientes. Sentimos a necessidade de usar a meditação guiada ou mindfulness como estratégia para reduzir o impacto emocional, foi quando criamos o grupo Mente Leve. A vivência em nutrição tem como objetivo proporcionar práticas em grupo de meditação e aconselhamento nutricional para redução de ansiedade e promover Educação Alimentar e Nutricional (EAN) para auxiliar na mudança de comportamento e consequente manejo do peso. Os objetivos específicos dos encontros foram: apresentar o guia alimentar, realizar prática de mindful eating, reconhecer os sinais de fome e saciedade, identificar o comer emocional, orientar sobre rotulagem dos alimentos, realizar oficinas culinárias e orientar sobre a prevenção das principais doenças crônicas não transmissíveis.

De acordo com a demanda dos usuários, onde a maioria apresenta obesidade, hipertensão, diabetes, dislipidemia e muitos relatam ansiedade e estresse, implementamos o grupo Mente Leve. O grupo tem duração de 8 semanas, onde cada semana é abordado um tópico, de acordo com os objetivos específicos. Sendo que em todos os encontros a nutricionista conduzia duas meditações guiadas. No primeiro e no último encontro, foram mensurados os dados antropométricos e aplicamos o Inventário de Ansiedade de Beck (BAI), que avalia ansiedade e a escala Intuitive eating scale, que avalia o comer intuitivo. Nos encontros foram tratados os seguintes temas: importância do consumo de água, o guia alimentar para a população brasileira com a classificação dos alimentos, a rotulagem das embalagens, o comer emocional, o comer intuitivo (fome, saciedade, satisfação), entrega de e-book com receitas culinárias, oficinas culinárias de origem vegetal, prática de mindful eating com a uva passa, demonstração da quantidade de açúcar, gordura e sal dos ultraprocessados e aulas sobre hipertensão, diabetes, dislipidemias. Além disso, foi criado um grupo de whatsapp para criar maior vínculo, trocar experiências, receitas e fotos dos pratos elaborados pelos participantes.

A ação da meditação teve impacto significativo na redução da ansiedade dos participantes, visto na pontuação do Inventario de Beck. Por outro lado, o índice de massa corporal, houve pequena mudança, porém não significativa. O grupo teve uma magnitude maior do que o planejado, conforme os depoimentos de pacientes: … “Sempre sai das reuniões muito leve e relaxada” …; … “O grupo de mulheres foi muito bom para mim. Aprendi várias coisas sobre alimentação e o poder da força da mulher. No começo eu estava com vergonha e perdi, não quero mais sentir vergonha de nada” …; … “Para mim está sendo de muito aprendizado e transformações, criar consciência dos ultraprocessados e ter esse tempo para mim, está sendo muito bom e me auxiliando na organização da minha vida, só gratidão pela escuta troca e partilha” …; … “Aprendi muitas receitas e além de tratar minha alimentação, também tratei o psicológico, e isso é só um resumo do que aprendi!” …; … “Você me ajudou a encontrar a minha autoestima e a minha saúde” …; … “Não precisamos comer nossas emoções, temos que aprender a identificar a fome” …; …“Grupo composto por Mulheres com intenção de mudar para melhor alguma coisa dentro de si mesmas” …; … “Aprendemos e agora tempero com menos sal” …; …“Eu apesar de ser o único homem no grupo, aprendi sobre os rótulos dos alimentos”; “Anotar percebi o quanto eu como” …; … “Estou aprendendo a comer por fome e se estou estressada, saio correndo” …

Os encontros com as aulas e a meditação, foram importantes para além dos hábitos alimentares e mudanças no comportamento dos participantes. Percebemos que a meditação auxiliou na redução da ansiedade, contribuindo para melhora na qualidade de vida do grupo.

Principal

Ana Amélia

anamachadoduarte@gmail.com

Nutricionista

Coautores

Ana Amélia Machado Duarte Debora Aregui

A prática foi aplicada em

Porto Alegre

Rio Grande do Sul

Sul

Esta prática está vinculada a

Rua Francisco Martins, 9 - Cascata, Porto Alegre - RS

Uma organização do tipo

Terceiro Setor

Foi cadastrada por

Ana Amélia Machado Duarte

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

03 maio 2024

e atualizada em

03 maio 2024

Início da Execução

01/05/2021

Fim da Execução

20/06/2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba
Práticas
Práticas integrativas em um grupo tereapêutico “equilíbrio das emoções”
Paraíba
Práticas
Auriculoterapia uma práticas integrativas: como alternativa complementar no tratamento da ansiedade
Paraíba
Práticas
IMPLANTAÇÃO DE PRÁTICA INTEGRATIVA E COMPLEMENTAR NA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE QUEIMADAS-PB
Paraíba
Práticas
A terapia comunitária integrativa como inclusão e bem-estar na terceira idade.
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do Centro de Referência em MTC e Práticas Integrativas no Município de Duque de Caxias
Rio de Janeiro
Práticas
Planejamento orientativo do CTA/SAE Juara – MT, sobre protocolo de PEP às farmácias do Vale do Arinos.
Mato Grosso
Práticas
A Ozonioterapia no tratamento das doenças crônicas
Rio de Janeiro