Olá,

Visitante

Maloca do Conto

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:Esse trabalho atenta para uma nova prática em saúde, que se diferencia pela sensibilidade de seus atores em protagonizar inovações na promoção da saúde em atividade conjunta com a comunidade. Além de desenvolver a capacidade de acadêmicos de diferentes cursos da área da saúde, no que diz respeito à avaliação e identificação de necessidades das famílias, em atividade com os indivíduos em comunidade.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS:Assim como tenda, a maloca do conto tem como metodologia o uso de objetos antigos que lembrem história e evoquem o passado. No centro social comunitário é montada a maloca, com folhas, palhas, bambus e uma rede. Ao centro uma canoa dá lugar à cadeira onde os usuários irão entrar, sentar e com seus objetos contar suas historias. “A caminho de uma pescaria, utilizando a mesma como meio de transporte para ir aos grandes centros ou voltando com caças para tribo. Neste vai e vem da canoa sobre as águas do rio, se desenrola o conto”. Em roda, coordenada por um membro preparado teoricamente, os participantes da maloca se dirigem a canoa e, munidos de algum objeto que represente suas memórias, compartilha com o grupo uma história, um conto, uma música, uma dança, um verso ou uma brincadeira que seja representada com aquele objeto.

A “Maloca do Conto” se constitui como uma dinâmica de encontro, onde o processo de aprendizagem ocorre a partir das trocas e saberes e de experiências. Idealizada e implementada pioneiramente por Gadelha da ESF em Panatins (Natal/RN), esse trabalho em equipe oferece para os profissionais de saúde a oportunidade otimizar o acolhimentos e de estabelecer vínculos com a comunidade. Dentre as experiências de abordagem comunitária, a Tenda do Conto foi eleita como ferramenta de trabalho para estreitar os vínculos entre a Comunidade Moita Verde (Parnamirim/RN) e membros da Liga Acadêmica Multidisciplinar de Saúde da Família e Comunidade. Transformamos a Tenda para nossa realidade, hoje “Maloca do Conto” por se tratar na grande maioria de usuários indígenas de varias etnias. Regionalizamos as ações de saúde para nossa realidade, dessa forma estamos aproximando/envolvendo os comunitários com as ações em saúde. A Comunidade Nsa. do Livramento, estar situada à margem esquerda do Baixo Rio Negro no Igarapé do Tarumã- Mirim da foz com o Rio Negro na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Tupé (RDS-TUPÉ, que fica a 8km de Manaus capital do Estado do Amazonas e seu acesso é somente por via fluvial. Sua população é mista composta por indígenas e ribeirinhos média de 1.300 habitantes e 300 famílias.

Em atividade com a comunidade abordando temas como: saúde do homem, saúde da mulher, saúde e estatuto do idoso, hiperdia, grávidas, crianças/adolescente, uso de objetos antigos nas atividades diárias, tabagismo, etilismo, educação física (prevenção de quedas), brincadeiras populares e educação. Com essa atividade pudemos conhecer como a comunidade se mostra organizada e seus valores culturais. Os comunitários relataram ser um espaço de valorização de suas experiências e vivências, onde a troca de experiências, o desabafo são os remédios para seus problemas, tratados em um ambiente lúdico e acolhedor

Principal

Elves de Sá Guedes

subgs@pmm.am.gov.br

A prática foi aplicada em

Manaus

Amazonas

Norte

Instituição

Av. Mário Ipiranga Monteiro, 1695

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Elves de Sá Guedes

Conta vinculada

emanoel.filho@fiocruz.br

05 fev 2016

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Projeto Resgatando Sorrisos
Paraíba
Práticas
Acolhimento Como Ferramenta de Escuta e Mobilização no Grupo de Mães do Tea no Município de Sumé
Paraíba
Práticas
Programa de Atendimento Fisioterapêutico Domiciliar em Pacientes Crônicos Restrito ao Leito em Locais de Difícil Acesso
Rio de Janeiro
Práticas
Agenda Jovem Aprendiz
Minas Gerais
Práticas
Hiperdia em Ação nas Comunidades: Estratégias para Melhorar a Qualidade de Vida dos Cidadãos Coqueirenses.
Práticas
Uso do Futsal Como Estratégia de Promoção da Saúde e Diminuição do Risco de Marginalização: Projeto Caminhos do Viver.
São Paulo
Práticas
Qualidade de Vida no Grupo “Mulher Ativa” na Cidade de Montalvânia – Mg
Minas Gerais
Práticas
Qualidade de Vida e Longevidade: Educação/Prevenção/Promoção em Saúde Sob os Aspectos Biopsicossociais Como Ferramenta para o Cuidado de Pacientes Hipertensos e Diabéticos.
Minas Gerais
Práticas
Projeto “Viva Leve”
Minas Gerais
Práticas
Grupo Girassol: Relatos de Experiência de Ações de Promoção da Saúde para Melhoria da Qualidade de Vida de Pessoas com Doenças e Sequelas
Minas Gerais