Olá,

Visitante

Intersetorialidade: Concepção Ampliada de Saúde nas Ações do Conselho Local de Saúde das Gramas – Castro /Pr

Objetivando traçar o perfil da localidade, foi realizada Estimativa Rápida Participativa (ERP) pelos Conselheiros locais de saúde. Esse trabalho, em conjunto com os dados do consolidado da Ficha A do SIAB, foram apresentados em reunião para os moradores. Utilizando os dados de diagnóstico dos problemas locais foi utilizada a ferramenta brainstorming como estratégia metodológica de discussão que permite a expressão livre acerca de determinado tema. Os moradores presentes elencaram a questão da qualidade da água consumida pela população como o problema mais importante a ser trabalhado pelo Conselho Local/Comunidade. O entendimento do grupo demonstra uma concepção estendida do processo saúde/doença para além dos processos patológicos individuais. Pelo levantamento realizado, 100% das 89 famílias cadastradas utilizavam como fonte de abastecimento para consumo a água de nascentes ou poços. Além disso, nenhuma família fazia tratamento na água que era consumida. Em relação ao sistema de esgoto (destino de fezes e urina), 56,18% (50 famílias) era a céu aberto e 43,82% (39) utilizava fossa. Para a armazenagem doméstica da água muitos moradores tinham caixas d´águas em condições precárias. O passo seguinte ao diagnóstico foi a planificação de ações, e para tanto, foi escolhido o Método Altadir de Planificação Popular – MAPP que, pelas suas características operativas, constitui-se no método de eleição para planejamento no nível local. Esse método favorece o comprometimento da comunidade e de suas lideranças com a análise e enfrentamento de seus problemas em contraposição à atitude de geradores de demandas e de soluções. (MATTUS, 1996)

Esse trabalho, desenvolvido em 2013, apresenta a proposta de intervenção realizada em Castro na área rural que pertence ao distrito Abapã, na microárea 001 denominada “Gramas”. Essa microárea é acompanhada pela ESF Abapã I e possui 89 famílias, totalizando 245 pessoas (SIAB, 2013). Em termos estruturais conta com Posto de Saúde com atendimento ambulatorial de consultas médicas e de enfermagem, vacinação e visitas domiciliares, com freqüência semanal.

Como aprendizagens e dificuldades destacam-se: 1. Investir na organização dos Conselhos Locais e buscar parcerias torna-se positivo e empodera a população na busca de solução de seus problemas

Principal

Denise Scheremeta

carlasche@gmail.com

A prática foi aplicada em

Castro

Paraná

Sul

Instituição

R. Francisco de Assis Andrade, 47.

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Denise Scheremeta

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Avaliação da Qualidade e Satisfação do Usuário do SUS com os Hospitais Conveniados
Mato Grosso
Práticas
Análise Institucional dos Conselhos de Saúde de Joinville
Santa Catarina
Práticas
Condições do financiamento em saúde nos municípios de Pernambuco
Pernambuco
Práticas
Conhecendo a Realidade de Saúde de Trabalhadores na Agricultura por Meio de Escutas Itinerantes
Distrito Federal
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Relato de Experiência da Implantação dos Conselhos Distritais e Locais de Saúde em João Pessoa ? Pb.
Paraíba
Práticas
Organização do Sistema Loco-Regional das Pacientes com SUSpeita de Câncer de Mama no Hospital Regional de Cotia
São Paulo
Práticas
A Arte da Escuta
São Paulo
Práticas
A Pesquisa de Satisfação dos Usuários SUS em Hortolândia: o Fortalecimento da Participação Popular
São Paulo
Práticas
Ouvidoria Ghc – Espaço de Escuta e de Participação Popular
Rio Grande do Sul
Práticas
Educação Popular, Saúde e Participação Popular: Relato de Experiência de Projeto de Intervenção de Estudantes de Medicina em uma Comunidade
Paraíba