Olá,

Visitante

Intersetorialidade: Concepção Ampliada de Saúde nas Ações do Conselho Local de Saúde das Gramas – Castro /Pr

Objetivando traçar o perfil da localidade, foi realizada Estimativa Rápida Participativa (ERP) pelos Conselheiros locais de saúde. Esse trabalho, em conjunto com os dados do consolidado da Ficha A do SIAB, foram apresentados em reunião para os moradores. Utilizando os dados de diagnóstico dos problemas locais foi utilizada a ferramenta brainstorming como estratégia metodológica de discussão que permite a expressão livre acerca de determinado tema. Os moradores presentes elencaram a questão da qualidade da água consumida pela população como o problema mais importante a ser trabalhado pelo Conselho Local/Comunidade. O entendimento do grupo demonstra uma concepção estendida do processo saúde/doença para além dos processos patológicos individuais. Pelo levantamento realizado, 100% das 89 famílias cadastradas utilizavam como fonte de abastecimento para consumo a água de nascentes ou poços. Além disso, nenhuma família fazia tratamento na água que era consumida. Em relação ao sistema de esgoto (destino de fezes e urina), 56,18% (50 famílias) era a céu aberto e 43,82% (39) utilizava fossa. Para a armazenagem doméstica da água muitos moradores tinham caixas d´águas em condições precárias. O passo seguinte ao diagnóstico foi a planificação de ações, e para tanto, foi escolhido o Método Altadir de Planificação Popular – MAPP que, pelas suas características operativas, constitui-se no método de eleição para planejamento no nível local. Esse método favorece o comprometimento da comunidade e de suas lideranças com a análise e enfrentamento de seus problemas em contraposição à atitude de geradores de demandas e de soluções. (MATTUS, 1996)

Esse trabalho, desenvolvido em 2013, apresenta a proposta de intervenção realizada em Castro na área rural que pertence ao distrito Abapã, na microárea 001 denominada “Gramas”. Essa microárea é acompanhada pela ESF Abapã I e possui 89 famílias, totalizando 245 pessoas (SIAB, 2013). Em termos estruturais conta com Posto de Saúde com atendimento ambulatorial de consultas médicas e de enfermagem, vacinação e visitas domiciliares, com freqüência semanal.

Como aprendizagens e dificuldades destacam-se: 1. Investir na organização dos Conselhos Locais e buscar parcerias torna-se positivo e empodera a população na busca de solução de seus problemas

Principal

Denise Scheremeta

carlasche@gmail.com

A prática foi aplicada em

Castro

Paraná

Sul

Instituição

R. Francisco de Assis Andrade, 47.

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Denise Scheremeta

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Conselho itinerante:fortalecendo o controle social em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
Oficina de Culinária Afeto e Sabor
Paraíba
Práticas
Aproximando a Comunidade com a Gestão da Atenção Primária em Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Implantando Novas Instâncias Deliberativas no Município Paulo Jacinto – Al
Alagoas
Práticas
Visita Domiciliar ao Usuário do SUS com Demanda Judicial
Ceará
Práticas
Importância da Conferência Municipal de Saúde para o Fortalecimento da Participação da Comunidade na Defesa do SUS.
Paraíba
Práticas
Participação Popular na Estratégia Saúde da Família em Petrópolis-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Roda de Conversa com As Famílias: Cuidando de Quem Cuida
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação de Colegiado Gestor nas Unidades de Saude da Família de Japeri-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Controle Social e Saúde do Trabalhador: a Experiência Regional do Conselho Gestor do Cerest- Pólo Duque de Caxias – Rj
Rio de Janeiro