Olá,

Visitante

Incentivando o mais simples em busca de melhores resultados – aleitamento materno

Apesar das recomendações sobre amamentação exclusiva, de sua importância para o desenvolvimento físico, intelectual e psicológico, da sua contribuição para um planeta mais sustentável minimizando os efeitos no meio ambiente e clima, esta prática não é tão frequente como deveria ser. Observação realizada no cotidiano do atendimento das nutrizes e gestantes adstritas nas áreas de abrangência das equipes de Estratégia de Saúde da Família e no Hospital Municipal de Pontalina já se percebia ser comum o desmame precoce. Mesmo sendo uma medida simples e econômica, as falhas no que se diz respeito à promoção a amamentação sempre existiu, e seus altos índices de desistência contribuíram para o aumento da adesão aos hábitos orais deletérios, promovendo alterações oclusais, respiração bucal e problemas de fala, que resulta em uma parcela importante da demanda por reabilitação clínica nas áreas de fonoaudiologia, otorrinolaringologia e ortodontia.. Com o advento da pandemia do COVID 19, as consultas de pré-natal com praticas de incentivo a amamentação pelos profissionais de saúde, decaíram significativamente. Relatos das puérperas acompanhadas para aconselhamento sobre amamentação e realização do teste da linguinha, confirmam que maioria delas não realizou o número de consultas de pré – natal preconizada pelo Ministério da Saúde na Atenção Básica, contribuindo para elevação da taxa de mortalidade e intercorrências neonatais nos municípios. Nosso maior desafio atualmente é manter os bebês amamentados por mais tempo, através de profissionais sensíveis e capacitados para lidar as diversidades familiares e econômicas.

Manter os bebês amamentados por maior tempo que for possível. Iniciar o aleitamento materno na primeira hora de vida (Gold Hour) associado à duração do aleitamento exclusivo por no mínimo seis meses. Evitar o uso de mamadeiras e chupetas (hábitos orais deletérios). Evitar o desmame precoce. Contribuir para o desenvolvimento de um meio ambiente mais sustentável. Proporcionar maior efetividade nas políticas de prevenção e promoção a saúde, com atendimentos mais humanizados e de maior qualidade as nutrizes, ao bebê e seus familiares. Promover o trabalho intersetorial e multiprofissional dentro das secretarias municipais de saúde e ação social. Redução da mortalidade infantil.

Pactuação de parceria entre os profissionais do setor de fonoaudiologia e equipe de profissionais do hospital municipal de Pontalina para que se estimulasse a amamentação exclusiva e sensibilização para exercer uma rotina mais humanizada. Orientação de na rotina hospitalar, não oferecer ao recém-nascido nenhum outro alimento além do leite materno, a não ser que houvesse indicação clínica, e que fosse evitada a entrada de mamadeiras e chupetas nos leitos destinados as puérperas (respectivamente os passos seis e nove dos Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno recomendados pela Organização Mundial de Saúde- OMS e Unicef). Realização de visitas pela fonoaudióloga para orientações individuais as puérperas sobre a importância da amamentação exclusiva e as consequências negativas da utilização de mamadeira e da chupeta para o desenvolvimento da criança, associada à distribuição de pastas que reforçavam estas recomendações. Realização dos testes da Linguinha, possibilitando diagnosticar precocemente se o recém-nascido apresentava alterações do frênulo lingual, que pudesse interferir na sucção, mastigação, deglutição e fala, além de limitações de movimento de língua, que dificultasse a amamentação e levasse ao desmame precoce. Distribuição de almofadas de amamentação para incentivar e facilitar a pega correta. As mesmas ações de saúde contempladas pelo projeto são também ofertadas aos usuários dos municípios pactuados com Pontalina.

De agosto a dezembro de 2021 foram realizados 72 partos. Destes, 54 puérperas receberam orientações individualizadas sobre amamentação e sua importância para o desenvolvimento de fala, respiração e alterações oclusais. Foram realizados 54 testes da linguinha, sendo que 8 recém-nascidos apresentaram frênulo lingual alterado com indicação de frenotomia (5 de Pontalina, 2 de Edealina e 1 de Cromínia). Foram distribuídas 54 almofadas para amamentação e quites de roupinhas confeccionados pela Secretaria de Ação Social, parceria importante que fortaleceu o trabalho intersetorial dentro das secretarias de Saúde e Ação Social, efetivando diretrizes fundamentais do SUS como integralidade de assistência e universalidade de acesso. As puérperas e recém-nascidos dos municípios de Edealina (12) e Cromínia (5), que deram a luz no Hospital Municipal de Pontalina, devido às pactuações entre as secretarias de saúde, também tiveram acesso às mesmas ações oferecidas pelo projeto, promovendo a regionalização e hierarquização da rede de serviços de saúde. Conseguimos aumentar os vínculos entre os profissionais de saúde da atenção básica efetivando ações de maior qualidade e mais humanizadas, atendendo as diversidades culturais das famílias, minimizando o desmame precoce e efeitos negativos advindos da pandemia do COVID. Contribuímos para o desenvolvimento de um planeta mais sustentável evitando os substitutos do leite materno que afeta o meio ambiente e clima devido à sua produção, embalagem, distribuição e métodos de preparação.

O projeto em questão, através de uma ação simples como o incentivo do aleitamento materno, conseguiu aumentar os vínculos entre os profissionais de saúde da atenção básica efetivando ações de maior qualidade e mais humanizadas, atendendo as diversidades culturais das famílias, minimizando o desmame precoce e efeitos negativos advindos da pandemia do COVID.

Investimos na prevenção através da consolidação do teste da linguinha, comprovando a necessidade de efetivação de outros testes obrigatórios como o do teste da orelhinha. Garantimos a universalidade das ações de saúde através da regionalização. E a principal arma utilizada com sensibilidade para este fim: INCENTIVANDO O MAIS SIMPLES EM BUSCA DE MELHORES RESULTADOS.

Principal

ADA KELLE COSTA E SILVA

adakelle@hotmail.com

FONOAUDIÓLOGO

Coautores

ADA KELLE COSTA E SILVA

A prática foi aplicada em

Pontalina

Goiás

Centro-Oeste

Esta prática está vinculada a

HOSPITAL MUNICIPAL DE PONTALINA Av. Azárias Jorge, 491-581 - Centro, Pontalina - GO, 75620-000 Telefone: (64) 3471-1323

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 ago 2023

e atualizada em

05 set 2023

Início da Execução

01/01/2021

Fim da Execução

31/01/2021

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Educação em gênero no SUS e a proteção integral à mulher em situação de violência na atenção primária
Paraíba
Práticas
Era uma vez, apresentando uma história de cuidado e amor – a importância da educação vacinal desde o berço
Paraíba
Práticas
Estratégia de comunicação pública voltada à saúde no ambiente digital em Campina Grande
Paraíba
Práticas
Atuação do programa saúde na escola (PSE) no enfrentamento da dengue e outras arboviroses
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Zoonoses e Vetores na Escola: Informação, Educação e Comunicação em Saúde como ferramenta de mudança.
Rio de Janeiro
Práticas
A Integração Ensino Serviço Comunidade em Volta Redonda/RJ: Em defesa da formação no SUS para o SUS
Rio de Janeiro