Olá,

Visitante

Imunização o “Fazer” e o “Saber Fazer”, para Produzir Respostas às Necessidades Apresentadas Pela População do Município de Alfredo Vasconcelos

Categoria não especificada

A vacinação e caracterizada por uma ação simples e de grande eficácia na prevenção de doenças imunopreveníveis sendo uma das principais ações de promoção da saúde na atenção básica. Na Unidade Básica de Saúde, a vacinação deve ser realizada em conformidade com as normas do Programa Nacional de Imunização (PNI), segundo o calendário de vacinação estabelecido pelo Ministério da Saúde. Uma das principais ações de promoção da saúde inserida no contexto da atenção básica e a imunização, desta forma este trabalho tem como objetivo de demonstrar como o município de Alfredo Vasconcelos traça suas estratégias a realiza o alcance de metas de vacinação. O município de Alfredo Vasconcelos é situada em minas gerais e possui em média de acordo com o IBGE uma população estimada de 7.052 pessoas (2021), possui área urbana e rural. Hoje o município contem três equipes de saúde da família, com cobertura de atendimento em 100% da população, e possui uma única unidade básica de saúde onde se situa a sala de vacinação. O enfermeiro é o responsável técnico por todas as atividades exercidas na sala de vacinação, organização, planejamento , coordenação e avaliação das atividades, sendo necessária uma supervisão diária, no qual inclui solicitar a quantidade de insumo correta para cobrir a demanda na sala de vacinação, organizar o estoque de vacina corretamente, controlar a temperatura da geladeira, câmaras ou geladeiras portáteis ,visando à manutenção da alta cobertura vacinal, diminuindo a taxa dos faltosos. Para eficácia na imunização é importante que os profissionais estejam sempre integrados e desenvolvendo estratégias de acordo com as necessidades do território para que o alcance das metas de cobertura vacinal seja atingido, faz-se necessária a implementação de estratégias para aumentar a cobertura vacinal, principalmente nas localidades de mais difícil acesso como na zona rural. Sendo assim, e preciso desenvolver estratégias para o fortalecimento de ações desenvolvidas pela equipe de Atenção Primária à Saúde (APS) para o alcance das metas de cobertura vacinais. Os dados que são repassados do Município são analisados na APS pela referência técnica de sala de vacinação, são monitorado e acompanhado, posteriormente. As estratégias utilizadas para atendimento da cobertura vacinal e essencial, e utilizado diversas formas alternativas para esse alcance como: capacitações de todos os profissionais da rede de saúde sempre que necessario,ampliação de um dia semanal do horário de funcionamento da sala de vacina contemplando o trabalhadores do horário comercial , verificação de cartões vacinal nas escolas, verificação de cartões durante a visita domiciliar do agente comunitário de saúde, realização de vacina na residência do usuário acamados, domiciliados e de famílias que não comparecem mesmo após varias orientações de suas ida a sala de vacinação, e cominando por fim em busca ativa de esquema vacinal incompleto em domicilio pelos profissionais. Os profissionais e gestores do município sempre se empenham mesmo diante de algumas dificuldades para atingir as metas de imunização com qualidade e segurança.

Mediante ao trabalho verifica-se sempre como desafio a conscientização da população da importância de receber a vacina, muitas crianças deixam de ser vacinadas pelos mais diferentes fatores, que abrangem nível cultural e econômico, crenças, superstições, mitos e credos religiosos. A adesão a essa ação preventiva é fundamental, especialmente no primeiro ano de vida, pois contribui para o decréscimo da morbidade e da mortalidade causadas pelas doenças infecciosas evitáveis no público infantil. A organização do processo de trabalho da APS integrada aos demais pontos da rede de atenção constitui forte aliada no enfrentamento dos principais problemas de saúde e eficiência, efetividade e qualidade das ações propostas.

Como estratégia de fortalecimento da imunização pode-se pensar: na verificação do cartão vacinal na consulta médica, em grupos operativos de saúde, no Programa de Saúde na Escola, adotar juntamente com a Secretária de Educação do Município a solicitação do cartão vacinal do ato da matricula, verificações frequentes nos cartões de vacina de um público-alvo, verificação nas visitas domiciliares realizadas pelo agente de saúde, vacinação extramuros na escolas, vacinação em pontos estratégicos inclusive na zona rural, vacinação residencial, busca ativa dos cartões atrasados, e por meios de comunicação sensibilizar a população da importância da imunização.

Mediante todo o estudo entende-se que a imunização deve ser entendida como um modificador no curso das doenças, já que apresentam acentuado decréscimo da morbidade e da mortalidade causada pelas doenças infecciosas evitáveis por vacinação. Ela representa o procedimento de menor custo e maior efetividade, que garante a promoção e a proteção da saúde em indivíduos vacinados. Sendo assim e sempre necessário que a APS esteja pronta para traçar o melhor plano de ação, e atenta a as orientações juntamente ao Ministério da Saúde e o PNI. Falhas podem ocorrer por falta de capacitação nos profissionais, conhecimento do território de trabalho, e o planejamento de ações, o que pode resultar em falta de orientações aos pacientes, dando abertura para mitos e crenças, assim ocasionando problemas na imunização.

Principal

ROSANGELA CRISTINA FERREIRA

Coautores

Isabela Salles Freire

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba