Olá,

Visitante

Imunização: o Acesso em Consonância Com a Realidade Municipal

Categoria não especificada

Taguaí é um município brasileiro do estado de São Paulo, pertencente à mesorregião de Assis e à microrregião de Itapeva, pertence a DRS VI, região de saúde do Vale do Jurumirim. Sua população estimada no ano de 2020 segundo IBGE é de 14.141 habitantes. O município tem em sua rede de atendimento, 05 Unidades Básicas de Saúde, sendo uma UBS tradicional com ambulatório médico de especialidades e 04 unidades de Estratégia Saúde da Família que representam hoje cobertura de 100% da população da cidade. Ainda conta com um hospital de pequeno porte com maternidade e uma unidade de serviço móvel de emergência (SAMU). A Atenção Básica tem os processos de trabalho parametrizados em todas as unidades de saúde, fruto da planificação da Atenção Básica do Vale do Jurumirim. A principal atividade econômica do município é a facção de peças de jeans, sendo tal atividade responsável pela geração de grande número de empregos para os moradores bem como para a população das cidades vizinhas, razão pela qual a cidade tem crescimento com índices diferenciados das demais da região do sudoeste paulista. As confecções são responsáveis por mais de 40% dos empregos no município. Por se tratar de uma cidade jovem e em crescimento, faz-se necessário estratégias para alcance da população para atividades preventivas, em especial a imunização. A Coordenadoria Municipal de Saúde realiza gestão participativa e através de reuniões frequentes com as equipes de saúde realiza planejamento estratégico, com metas pactuadas e monitoramento de indicadores. Para melhor adesão das estratégias de saúde, foi necessário levar em consideração o perfil da população, escutar o usuário e entender suas reais necessidades de acesso. A principal necessidade foi a questão de atendimentos em horário alternativo, uma vez que a maioria da população encontra-se empregada nas confecções e dificilmente esses trabalhadores querem se ausentar do trabalho para prevenção de saúde. Também identificamos que o contato com essa população torna-se mais efetivo quando utilizamos as ferramentas digitais (whatssap e SMS) para comunicação e informação. Dessa forma as ações foram coordenadas entre setor de saúde e população, com resultados positivos em todos os segmentos: do atendimento aos grupos crônicos a imunização em todas as faixas etárias.

O estudo demostra redução da cobertura vacinal em diversas regiões do país, apontadas por múltiplos fatores. A pandemia agravou o problema. O destaque para o não conhecimento de doenças previníveis por vacinas pela população jovem também chamou a atenção de nossas equipes e demandaram estratégicas. A reintrodução dessas doenças representa um grave problema não só para famílias mas para todo sistema de saúde. Levando em consideração que grande parte da população de Taguaí está empregada nas confecções de jeans, ambientes fechados e com grande números de pessoas, algumas doenças imunopreviniveis, como sarampo, varicela, rubéola poderiam representar um risco para saúde pública.

Parte das ações foram enfatizadas no aumento da informação, reforçando os riscos das FakeNews, divulgando assim telefones de unidades de saúde para qualquer informação ou dúvida. Como grande parte da população encontra-se nas confecções, as equipes desenvolvem ações de palestras e imunização nesses locais. Os profissionais de saúde receberam capacitação sobre doenças previníveis de vacina e hoje são multiplicadores, realizam palestras em sala de espera e espaços coletivos. Nessas reuniões identificamos grande participação de usuários, inclusive de pessoas com mais idade que sempre reforçam o que vivenciaram quando tiveram suas famílias acometidas por essas doenças, relatos que servem como alerta e sensibilizam a população mais jovem. Conseguimos verificar através de indicadores de saúde inclusive do programa Previne Brasil que não tivemos redução de cobertura, mesmo com a pandemia, todo movimento de orientação, busca ativa e ampliação do acesso garantiu a toda população condições favoráveis para realização de suas vacinas

O aumento da cobertura vacinal é resultado de um conjunto de ações estratégicas, que começam pelo ambiência, aporte tecnológico, capacitação de profissionais, educação em saúde, busca ativa, escuta e valorização do usuário. Desenvolver estratégias sem a participação do usuário e dos profissionais que estão diretamente ligados ao atendimento é arriscar tempo e recursos. Evitar barreiras de acesso e desburocratizar os serviços que impeçam a população de se vacinar em especial populações mais vulneráveis é meta de qualidade de assistência de todas as equipes, monitorados pela gestão de saúde. Os bons indicadores de cobertura vacinal do município, estão diretamente ligados ao atendimento realizado conforme necessidade da população e reconhecendo a importância do profissional de saúde através de sua valorização. A pesquisa ImunizaSUS traz conteúdo e informações atualizadas sobre causas e consequências, proporcionam a gestão em saúde e equipes condições para planejamentos de ações, dessa forma torna-se possível trabalhar com clareza e objetividade. A vacinação continua sendo a principal ferramenta de prevenção primária de doenças e uma das medidas mais bem sucedidas em saúde pública, é conquista e direito do usuário, lutar pela imunização é evitar doenças, sequelas, mortes e sofrimento.

Principal

Giovana Cadamuro Rocha de Andrade

Coautores

Renata Bergamo Pires Maria Gabriella Carniato Romano Galdino

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro