Olá,

Visitante

Imunização: Estratégias e Os Desafios Adotadas Pelo Município de Barão de Melgaço para Garantir a Vacinação Dos Munícipes

Categoria não especificada

Barão de Melgaço é um município brasileiro do estado de Mato Grosso, contando com cerca de 8.000 (oito mil) habitantes, ocupando uma Área Territorial. 11.374,872 km². Esta localizada na região do Pantanal, contando com aproximadamente 15 comunidades ribeirinhas e 05 comunidades rurais. O município esta a cerca de 110 km de Cuiabá, capital do estado e fazendo parte do macro região centro norte. O presente relato descreve a experiência e os resultados das estratégias de vacinação desenvolvidas pelo município de Barão de Melgaço. Onde foram adotadas estratégias de vacinação de rotina, bloqueio vacinal, campanhas de vacinação, além do resgate de não vacinados a partir do monitoramento rápido de coberturas vacinais e varredura. Quando se fala de comunidades ribeirinhas e rurais pode se fazer um emaranhado de problemáticas relacionadas aos desafios enfrentados pelo município para entrega agilidade e qualidade na assistência dessa população. Uma das dificuldades que o município enfrenta esta relacionado ao acesso à internet, o que contribui para um atraso na alimentação de dados no SI-PNI e E-sus. Em razão do alto custo logístico, operacional e financeiro, para esta se locomovendo a estas comunidades, sendo assim, o município em muita das vezes prefere aguardar para receber a totalidade de vacinas adequadas para a primeira e segunda dose, para assim iniciar a imunização em localidades mais distantes. As estratégias adotadas pelo município no fortalecimento das ações de vacinações é feita por meio da busca ativa da população nas comunidades, contando com o apoio dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) para explorar as áreas de abrangência, a fim de propagar a vacinação em todo território. As inúmeras notícias que bombardearam as redes sociais relacionadas à imunização pela vacina da Covid-19, resultaram em inúmeros desafios para a realização efetiva das campanhas de vacinação pelos serviços de saúde não só em Barão de Melgaço, mas em tantos outros municípios.

Barão de Melgaço, conta no total de 20 comunidades as margens do rio, e quando se fala de comunidades ribeirinhas e rurais pode se fazer um emaranhado de problemáticas relacionadas aos desafios enfrentados pelo município para entrega agilidade e qualidade na assistência dessa população. Uma das dificuldades que o município enfrenta esta relacionado ao acesso à internet, o que contribui para um atraso na alimentação de dados no SI-PNI e E-sus. Outra limitação, é a distribuição fracionada da vacina pelo Ministério da Saúde, o que tem levado o municípios a definir estratégias diferenciadas de vacinação. Em razão do alto custo logístico, operacional e financeiro, para esta se locomovendo a estas comunidades, sendo assim, o município em muita das vezes prefere aguardar para receber a totalidade de vacinas adequadas para a primeira e segunda dose, para assim iniciar a imunização em localidades mais distantes. A resistência da população à adesão da vacinação contra a Covid-19 e outras vacinas também se faz presente no município onde muitas das vezes, encontra-se atrelada aos valores culturais e religiosos que estão fortemente enraizados na vivência dos povos tradicionais da região, e em outros pela escassez e dificuldade de acesso a informações devido a localidade onde residem, baixa renda e a falta de escolaridade que influencia na forma como lidam com as ideias disseminadas através de redes sociais, por isso tendem a tomar como verdade absoluta informações errôneas e equivocadas por parte de pessoas desinformadas, uma vez que não são detentores do conhecimento necessário. Com a abordagem das atividades de imunização extramuros trouxe uma serie de condições que reúne comumente uma série de peculiaridades e especificidades desafiadoras, tais como: falta de energia elétrica, manutenção da rede de frio, grande dispersão geográfica, dificuldades de acesso geográfico, condições ambientais adversas e diversidade das características culturais dos povos da população-alvo. O município tenta realizar um planejamento criterioso afim de torna-se instrumento que permite melhorar o desempenho, a eficácia e a eficiência das atividades de imunização.

As estratégias adotadas pelo município no fortalecimento das ações de vacinações é feita por meio da busca ativa da população nas comunidades, contando com o apoio dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) para explorar as áreas de abrangência, a fim de propagar a vacinação em todo território. A Vacinação de rotina é realizada geralmente no atendimento da população nas comunidades, no dia-a-dia e no próprio local do serviço de imunização, por demanda espontânea. Já, as Campanha de vacinação é uma ação que tem um fim de mobilizar todos os serviços para assim ter uma abrangência maior, visando à vacinação em massa de uma determinada população, com uma ou mais vacinas. E por fim a cada 03 meses realizamos as Vacinações extramuros que são aquelas atividades realizadas fora das unidades de saúde do município; realizado por uma equipe que realizam a vacinação casa à casa (incluindo residências, como escolas, creches, etc), essa estratégia é realizada especialmente, pessoas que vivem em áreas rurais, de difícil acesso (populações ribeirinhos e do campo, por exemplo), adotamos esse estratégia afim de possibilitar alcance das populações que, de outra maneira, certamente nunca seriam vacinadas.

As inúmeras notícias que bombardearam as redes sociais relacionadas à imunização pela vacina da Covid-19, resultaram em inúmeros desafios para a realização efetiva das campanhas de vacinação pelos serviços de saúde não so em Barão de Melgaço, mas em tantos outros municípios. Assim, percebe-se a importância de combater a desinformação, e as notícias falsas que assolam diferentes grupos, através da intensificação das ações de educações em saúde, que tem por objetivo, orientar, sanar dúvidas, receios acerca dos imunizantes e incentivar esses indivíduos a aderirem à vacinação seja ela rotina ou de campanha nas distintas comunidades. Uma ferramenta que esta nos auxiliando nesse combate a desinformação é o Programa Saúde na Escola_xFFFE_PSE, rodas de conversas com os pacientes nas unidades básicas de saúde. E o por fim, vale ressalta a importância do projeto imunizaSUS, um projeto novo, mas enriquecedor, faz com que acendemos um alerta quando se fala de imunização. Apontando, índices preocupantes que mesmo desenvolvendo ações que contemplem toda a camada da população, ainda não esta sendo efetiva e seguimos atuantes para fazer o papel primordial da Atenção Primaria à Saúde – APS, a prevenção.

Principal

Adriano Conceição da Silva Santana

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba